Justiça censura reportagem da Folha sobre processo envolvendo juíza e advogado

Determinação foi proferida em 11 de dezembro, e jornal ainda não foi oficialmente notificado da decisão

São Paulo

​A Justiça do Rio de Janeiro censurou a publicação de uma reportagem pela Folha sobre um processo judicial que envolve o advogado Rafael Faria e a juíza Daniela Prado.

A juíza Adriana Ramos de Mello proibiu, a pedido de Faria, que o jornal veiculasse matéria sobre os fatos descritos nos autos. Ela alegou em sua decisão que buscava preservar a intimidade dos envolvidos.

A determinação foi proferida no dia 11 de dezembro, e a Folha ainda não foi oficialmente notificada da decisão.

Em SP, manifestante em ato contra a censura na área cultural
Em SP, manifestante em ato contra a censura na área cultural - Rafael Roncato/Folhapress

A reportagem sobre o processo judicial estava em apuração desde o dia 6, quando os autos eram públicos. No dia 9, após ser procurada pelo jornal, Prado solicitou à juíza do caso a decretação de segredo de Justiça. Mello atendeu ao pedido no dia 10.

No dia 11, Faria pediu a censura ao jornal após ser procurado pela reportagem para comentar os fatos do processo. A magistrada atendeu ao advogado.

Durante a apuração, Prado havia solicitado ao jornal a não publicação da reportagem. A Folha ainda debatia internamente a veiculação quando tomou conhecimento da existência da censura prévia judicial.

O jornal decidiu não publicar a reportagem, independentemente da existência ou não da censura, por considerar que não havia interesse público forte o suficiente para contrariar o pedido de Prado.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.