Partidos, senadores e deputados repudiam insulto de Bolsonaro a repórter da Folha

Nesta terça-feira, presidente insultou jornalista da Folha com insinuação sexual

São Paulo

Partidos e políticos de diferentes legendas se manifestaram contra o insulto do presidente Jair Bolsonaro, com insinuação sexual, à repórter Patrícia Campos Mello, da Folha

"Ela [repórter] queria um furo. Ela queria dar o furo a qualquer preço contra mim [risos dele e dos demais]", disse o presidente, em entrevista diante de um grupo de simpatizantes em frente ao Palácio da Alvorada. 

A ofensa do presidente à jornalista foi uma referência ao depoimento de um ex-funcionário de uma agência de disparos de mensagens em massa por WhatsApp, dado na semana passada à CPMI das Fake News no Congresso.

Em nota, a Folha afirmou: "O presidente da República agride a repórter Patrícia Campos Mello e todo o jornalismo profissional com a sua atitude. Vilipendia também a dignidade, a honra e o decoro que a lei exige do exercício da Presidência". 

Entidades de jornalismo e a OAB repudiaram e classificam a fala de Bolsonaro como um ataque aos jornalistas e à democracia.

Na Câmara, deputadas fizeram um ato criticando as declarações de Bolsonaro. 

Veja outras manifestações de repúdio à fala do presidente.

PSDB
Reafirmamos nossa solidariedade com a repórter @camposmello, que vem sendo perseguida com insinuações em torno do seu trabalho. Defendemos uma imprensa livre, mesmo que passível de críticas quando necessário.

PSL
As agressões contra a jornalista Patrícia Campos Mello são inaceitáveis e merecem o repúdio dos brasileiros de bem. A atitude, além de ofensiva, demonstra pouco apreço pela democracia.

Lídice da Mata (PSB-BA), deputada federal e relatora da CPMI das Fake News
Atitude covarde, descabida e grotesca do presidente da República com a jornalista Patrícia @camposmello , da @folha. Em mais de 30 anos de vida pública, nunca imaginei ver algo tão ridículo de um mandatário da #Nação

Lula (PT), ex-presidente
Esse comportamento do presidente já virou um comportamento cotidiano dele. Ofender as pessoas, achincalhar as pessoas. Lamentavelmente me parece que a democracia não chegou à cabeça das pessoas. Me parece que a educação, o respeito, não chegou à cabeça do presidente Bolsonaro. Eu penso que está na hora de ele aprender bons modos. Educação é uma coisa que faz bem para todo mundo.

Dilma Rousseff (PT), ex-presidente
O insulto à jornalista Patrícia Campos Mello, com conteúdo sexual, é ataque a todas as mulheres brasileiras. Misoginia e ignorância se juntam ao temor das revelações das reportagens da jornalista. Atitude inaceitável em um presidente.

João Doria (PSDB-SP), governador
Quero reafirmar todo respeito a liberdade de imprensa. Respeito pelos jornalistas, por aqueles que fazem a notícia. Considero muito desrespeitosa a atitude do presidente mais uma vez em relação aos jornalistas, em especial a uma jornalista mulher. Desrespeitosa e condenável a atitude do presidente.

Gleisi Hoffmann (PT-PR), deputada e presidente do PT
Os ataques de Bolsonaro a jornalista @camposmello atingem a todas nós mulheres. Triste, ultrajante, desrespeitoso. Ataca a mulher, pq não consegue se defender das revelações feitas pela profissional. Covarde @jairbolsonaro

Randolfe Rodrigues (Rede-AP), senador
Qual o limite do absurdo? Em que democracia sã um presidente da República se sente à vontade agredindo, assediando mulheres? O Brasil nunca esteve diante de tanta covardia! As instituições não podem se calar! Toda minha solidariedade à @camposmello!

Humberto Costa (PT-PE), senador
No exercício do cargo de presidente da República, um machista que agride covardemente uma mulher, repórter e, tentando desqualificá-la, ataca brutalmente a liberdade de imprensa. São tantos crimes de responsabilidade que é inacreditável como Bolsonaro não tenha perdido o cargo.

Janaina Paschoal (PSL-SP), deputada estadual
Seria prudente o presidente se policiar e seus auxiliares não o instigarem. Essas situações não ajudam ninguém. Por mais que ele tenha sido eleito com esse estilo, todo ser humano pode se esforçar para melhorar.

Ivan Valente (PSOL-SP), deputado federal
O país experimenta total degradação das relações institucionais. A agressão de Bolsonaro contra a jornalista @camposmello atinge todas as mulheres do Brasil. O ocupante do Planalto falta com decoro, atenta e viola a dignidade do cargo. O impeachment será inevitável. Basta! 

Margarida Salomão (PT-MG), deputada federal
Todos os dias Bolsonaro testa os limites da democracia. Todos os dias ele mente. Todos os dias, portanto, Bolsonaro comete crimes. Crimes contra o decoro, contra as mulheres, contra a democracia. Está na hora de pagar por seus erros. #ForaBolsonaro Todo apoio a @camposmello.

Miguel Torres, presidente da Força Sindical 
A repórter Patrícia Campos Mello, da Folha de São Paulo, merece todo o nosso apoio contra os que, feito o Bolsonaro, tentam depreciar o trabalho jornalístico, a dignidade da mulher, a democracia e a busca pela veracidade dos fatos.

 
Erramos: o texto foi alterado

Diferentemente do que afirmou versão inicial desta reportagem, Gleisi Hoffmann é deputada pelo Paraná, não pelo Rio Grande do Sul, e Humberto Costa é senador por Pernambuco, não pelo Ceará. O texto foi corrigido.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.