Sobral atrai curiosos e retoma rotina após toque de recolher e Cid Gomes baleado

Trator que senador levou até a porta de batalhão da PM no Ceará seguia parado à espera de perícia

Sobral (CE)

A população de Sobral (CE), a 270 km de Fortaleza, enfrenta uma quinta-feira (20) mais calma depois do clima de medo do dia anterior.

Na quarta-feira (19), comerciantes chegaram a fechar as portas devido ao toque de recolher imposto por homens encapuzados que circulavam em viaturas de polícia. A situação foi agravada ainda pela confusão diante do quartel com PMs amotinados, onde Cid Gomes (PDT-CE), senador licenciado, foi baleado ao avançar com uma retroescavadeira.

O trator que Cid levou até a porta do 3º Batalhão da PM, no centro de Sobral, ainda estava parado próximo ao portão arrebentado no início da tarde desta quinta.

A presença do veículo levou muitos curiosos ao local, que paravam e tiravam fotos —alguns gravavam vídeos para as redes sociais. Os vidros quebrados, uma pedra e uma garrafa de água vazia ainda podiam ser vistos dentro do trator.

Trator em que o senador licenciado Cid Gomes foi baleado nesta quarta-feira (19) continua parado em frente ao 3° Batalhão da PM de Sobral
Trator em que o senador licenciado Cid Gomes foi baleado nesta quarta-feira (19) continua parado em frente ao 3° Batalhão da PM de Sobral - Marcel Rizzo/Folhapress

"Está o dia inteiro assim, o povo passa e para, principalmente aqueles que vêm de moto. É uma recordação meio estranha para guardar", disse Rômulo Marques, 49, que trabalha com vans que transportam passageiros de Sobral até a cidade vizinha de Meruoca, na serra.

Ele não presenciou a confusão que terminou com o senador levado ao hospital —transferido nesta quinta para um hospital em Fortaleza, Cid tinha quadro de saúde estável. "Ouvi no rádio, até tentei voltar, mas quando cheguei já havia terminado. O dia inteiro ontem estava tenso", disse Marques.

O trator não deve sair do local até receber vistoria da perícia, que fará parte do inquérito que vai investigar os tiros levados pelo senador.

Na quarta, Cid, que estava em Fortaleza, havia publicado texto nas redes sociais afirmando que iria a Sobral para tentar pôr fim ao impasse com os PMs. O prefeito da cidade é Ivo Gomes (PDT), irmão do senador e de Ciro Gomes.

A relação de Cid com agentes das forças de segurança é tensa desde que ele foi governador do Ceará (2007-2014). No fim de 2011, enfrentou um motim ainda maior do que o vivido agora.

Um dos líderes daquela paralisação foi o atual deputado federal Capitão Wagner (Pros-CE), hoje o principal pré-candidato da oposição à Prefeitura de Fortaleza.

A capital cearense tem o PDT dos irmãos Ferreira Gomes como protagonista. O prefeito, Roberto Cláudio (PDT), está em segundo mandato. O grupo ainda estuda o nome ideal para disputar a eleição de outubro.

Os principais adversários dos pedetistas devem ser políticos ligados às polícias. Em, Sobral, por exemplo, um dos nomes de destaque da oposição é Sargento Ailton (SD), que acompanhava os PMs no batalhão ocupado.

Cid Gomes chegou ao município do interior cearense em um pequeno avião por volta das 16h. De lá partiu na retroescavadeira de uma empresa particular que presta serviço para a prefeitura.

A ideia inicial era usar o trator para facilitar a comunicação com os manifestantes, já que era possível ficar em um nível mais alto e ter uma visualização melhor de dentro do quartel.

Antes de levar os tiros, o senador se dirigiu a pé ao portão de entrada do batalhão tomado pelos PMs. Com um megafone, deu cinco minutos para que eles saíssem do local. 

Alguns manifestantes se aproximaram do portão gritando que ele não tinha autoridade para determinar a retirada e uma confusão começou.

Cid levou um soco e recuou. Depois, subiu na retroescavadeira e avançou sobre o portão. Foi quando levou os dois tiros, além de pedradas.

Trator em que o senador licenciado Cid Gomes foi baleado nesta quarta-feira (19) continua parado em frente ao 3° Batalhão da PM de Sobral e atrai muitos curiosos
Trator em que o senador licenciado Cid Gomes foi baleado nesta quarta-feira (19) continua parado em frente ao 3° Batalhão da PM de Sobral e atrai muitos curiosos - Marcel Rizzo/Folhapress

O batalhão está desde a madrugada desta quinta reocupado por tropas do governo, e os manifestantes deixaram o local sem resistir.

Havia militares da tropa de choque dentro do prédio, mas, segundo apurou a Folha, o funcionamento do quartel estava normal, o que facilitou que PMs pudessem sair às ruas nesta quinta.

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará ainda não divulgou detalhes da investigação.

Há carros da Polícia Militar circulando pelas ruas de Sobral, diferentemente de quarta.

"Ontem não tinha PM nas ruas, não. Os que queriam trabalhar não puderam entrar no quartel, que estava tomado. Mas hoje está mais tranquilo, já vemos policiais", disse o lixeiro Antônio Viana, 52.

Ele estava trabalhando no caminhão da coleta quando ocorreu a confusão com Cid. "Tivemos que desviar o caminho, ficou tudo parado aqui nessa região."

Além dos policiais militares, há também guardas municipais e policiais civis fazendo o patrulhamento pelas ruas de Sobral. O governo não divulga o número de policiais que estão paralisados, mas 261 serão estão sendo investigados suspeitos de participarem da manifestação.

"Medo. Eles pareciam bandidos", disse Alana Ximenes, 26, que trabalha em um açougue em uma das principais avenidas do centro de Sobral. Na quarta, ela presenciou o momento em que homens encapuzados passaram em carros da Polícia Militar e mandaram os comerciantes fecharem as portas.

"Fechamos. Eles não apontavam armas, mas estavam com armas na cintura", disse Ximenes.

A avenida Diogo Gomes, no centro da cidade e a poucos metros de onde Cid foi baleado, tem todo tipo de comércio: farmácia, açougue, loja de produtos descartáveis, lanchonetes e o mercado municipal de Sobral.

A maioria dessas lojas fechou as portas por meia hora na quarta, depois do toque de recolher imposto pelos encapuzados. Alguns reabriram depois que policiais civis passaram afirmando que todos tinham segurança. Outros permaneceram fechados por precaução, mas alguns não fecharam em nenhum momento.

"É conversa de policial, não fechamos não. Os clientes ficaram aqui também. Não é para ter medo, mas é uma situação que ninguém quer ver", disse Expedito Batista, 58, funcionário de uma lanchonete.

Transferência

O senador Cid Gomes foi transferido para um hospital particular de Fortaleza após receber alta da UTI do Hospital do Coração em Sobral.

Ele foi levado de helicóptero, acompanhado de familiares e do secretário de saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins, conhecido como Dr. Cabeto, que desde quarta esteve em Sobral acompanhando a recuperação de Cid.

Em Fortaleza, o senador ficará internado em um hospital particular, o Monte Klinikum. Ele foi recebido pelo governador do Ceará, Camilo Santana (PT), e pelo prefeito da capital, Roberto Cláudio. Santana é aliado político de Cid e de seu irmão Ciro Gomes, que já estava em Fortaleza.

Cid Gomes recebeu dois tiros, um atingiu a clavícula e saiu e o outro ficou alojado próximo ao pulmão. Foi feita uma drenagem, e seu estado de saúde é estável. 

Cid Gomes é transferido para hospital de Fortaleza após ter sido baleado em manifestação de policiais no interior
Cid Gomes é transferido para hospital de Fortaleza após ter sido baleado em manifestação de policiais no interior - Camila Lima/Diário do Nordeste
 

O que querem os PMs?
Pedem que o governo refaça a proposta de reestruturação salarial enviada na terça (18) para a Assembleia. O projeto de lei prevê aumento de salário para os soldados da PM e para bombeiros de R$ 3.475 para R$ 4.500, com reajuste parcelado em três vezes até 2022.

Os PMs demandam que o pagamento seja feito em apenas uma parcela e que seja apresentado um plano de carreira para a categoria

Quando o motim começou?
Na tarde de terça (18). Desde a madrugada de quarta (19), pessoas encapuzadas passaram a invadir quartéis. Em um deles, em Fortaleza, dez viaturas foram levadas.

Em outro, carros e motos tiveram os pneus esvaziados. Três policiais militares foram presos e 261 estão sendo investigados por participação nos atos

PMs podem fazer greve?
Não. Greve é proibida para agentes das polícias Civil, Militar, Federal, Rodoviária Federal, Ferroviária Federal e Corpo de Bombeiros

Qual o cenário político no estado atualmente? 
O principal pré-candidato da oposição à prefeitura de Fortaleza na eleição de 2020 é o deputado federal Capitão Wagner (Pros), ex-integrante da PM e que, entre 2011 e 2012, liderou greve dos policiais militares quando Cid Gomes era o governador.

Hoje, a prefeitura da capital é comandada pelo PDT de Ciro e Cid Gomes, com Roberto Cláudio, mas ele está em segundo mandato. Ainda não há um nome de consenso entre os governistas para a disputa. O governo é comandado por Camilo Santana (PT), aliado de Ciro e Cid Gomes.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.