Descrição de chapéu Coronavírus

Bolsonaro publica áudio não identificado para defender a abertura do comércio em meio à crise

Áudio anônimo trata da resposta do presidente dos EUA, Donald Trump, à pandemia do novo coronavírus

Brasília

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou nesta quarta-feira (25) em suas redes sociais um áudio não identificado para defender a abertura do comércio em meio à crise do coronavírus.

Em outra publicação, o presidente divulgou um vídeo sobre a pandemia no Japão e afirmou que haverá caos se a política de isolamento continuar no Brasil.

​O áudio anônimo trata da resposta de Donald Trump à pandemia do novo coronavírus nos Estados Unidos e disse que, assim como prega o americano, o Brasil também precisa "abrir o comércio".

A declaração do presidente vai na linha de seu pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão, na terça-feira (24), e de sua declaração na manhã desta quarta (25). Nas duas ocasiões, o presidente criticou medidas de restrição de movimentação adotadas por governadores e disse que o país, para evitar o caos, precisa retornar á normalidade.

"Trinta e oito milhões de autônomos já foram atingidos. Se as empresas não produzirem não pagarão salários. Se a economia colapsar os servidores também não receberão. Devemos abrir o comércio e tudo fazer para preservar a saúde dos idosos e portadores de comorbidades", escreveu o presidente em seu Twitter.

Na mesma mensagem, o presidente compartilhou uma imagem dele e de Trump, além de um áudio de uma pessoa não identificada.

Nele, gravado na segunda (23), o narrador diz que Trump adotou uma "mudança de paradigma" no combate à Covid-19.

"Tem que mudar o paradigma, não pode fechar a economia inteira. Se não o caos social vai se estabelecer a cura vai ser muito mais danosa do que o desease [doença]", declara o narrador do áudio. "Ele [Trump] vai abrir o país, vai mandar todo mundo voltar".

No mesmo áudio, o narrador também diz que os EUA vão passar a administrar a hidroxicloroquina para pacientes com o novo coronavírus. O medicamente apresentou resultados promissores para a enfermidade, mas ainda faltam estudos conclusivos e o próprio ministro da Saúde do Brasil, Luiz Henrique Mandetta, advertiu que ele tem sido administrada apenas para casos graves e que há efeitos colaterais.

"Todo mundo rezando para que o remédio funcione nos pacientes nos EUA, na América Latina e no mundo inteiro", diz o narrador do áudio. Ele classifica ainda a política de confinamento massivo da população para frear a transmissão do vírus como "covarde".

Em declaração recente, Trump afirmou que espera reabrir uma grande parte da economia americana até a Páscoa (12 de abril). Assim como Bolsonaro, o presidente dos EUA tem dito que os prejuízos econômicos com o confinamento em massa podem gerar danos inclusive maiores do que as mortes pelo Covid-19.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.