Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Criticadas por ministro, carreatas anticonfinamento alinhadas com Bolsonaro se repetem pelo país

Em São Paulo, carreata foi recebida com panelaço e gritos contra o presidente Bolsonaro

São Paulo e Ribeirão Preto

Manifestantes repetiram em algumas cidades do país neste domingo (29) carreatas com pedidos de suspensão de medidas anticonfinamento (como fechamento de comércio e escolas) adotadas por alguns estados em meio à pandemia do coronavírus.

Criticadas pelo ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) e impulsionadas por discurso do próprio presidente Jair Bolsonaro, uma das carreatas passou por grandes avenidas de São Paulo, como a Paulista, e foi recebida com panelaços de prédios e gritos de "Fora, Bolsonaro" no centro.

Assim como nos últimos dias, uma marca dos atos é a presença dos manifestantes sempre dentro de seus carros, em meio à pandemia que já matou 136 pessoas no país até este domingo.

Em 24 horas, 22 pessoas morreram em decorrência da Covid19. No sábado, eram 114 mortes. O país registra 4.256 casos da doença.

Carros enfileirados na avenida paulista
Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro fizeram uma carreata na avenida Paulista, região central de São Paulo, pedindo a reabertura do comércio e empresas, na manhã deste domingo, 29 - Fábio Vieira/FotoRua/Agência O Globo

Na semana passada, o próprio presidente postou em sua conta em rede social o vídeo de uma carreata realizada em Balneário Camboriú (SC) contrária ao isolamento social, uma recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Já neste domingo, Bolsonaro conclamou as pessoas a voltarem para as ruas para trabalhar e disse estar com "vontade" de fazer um decreto para liberar todas as atividades.

"Eu estou com vontade, não sei se eu vou fazer, de baixar um decreto amanhã: toda e qualquer profissão legalmente existente ou aquela que é voltada para a informalidade, se for necessária para levar o sustento para os seus filhos, para levar leite para seus filhos, para levar arroz e feijão para casa, vai poder trabalhar", afirmou Bolsonaro.

Salvador também teve carreata na manhã desse domingo. O grupo de manifestantes pedia a volta do funcionamento do comércio e o fim do isolamento social.

O buzinaço durou cerca de duas horas. Partiu da Boca do Rio, passou pela orla e por locais como a avenida Manoel Dias da Silva e seguiu em direção ao Farol da Barra, onde os participantes encerraram o ato no início da tarde.

Outro ato foi realizado ainda no sábado (28), em Caruaru (PE), que teve buzinaço pelas principais ruas da cidade. Assim como em Salvador, os manifestantes pediram o fim das medidas estipuladas pela quarentena. Os atos são contrários às recomendações feitas pelas autoridades de saúde, que defendem o isolamento social como medida para evitar a rápida propagação do novo coronavírus.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.