Descrição de chapéu Coronavírus

Providência diante de crise é atenuar arrogância e Bolsonaro faz o oposto, diz Ciro

Ex-ministro do PDT critica postura do presidente diante de escalada do coronavírus

São Paulo

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) criticou a resposta do governo Jair Bolsonaro à crise de saúde e econômica provocada pelo coronavírus.

"A primeira providência diante de uma crise que se agrava é baixar a bola, atenuar a arrogância e chamar ao diálogo. E Bolsonaro está fazendo exatamente o oposto. Puxando briga, criando caso, inventando confusões onde não havia", afirmou Ciro nesta quinta (12).

0
O ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) - Pedro Ladeira/Folhapress

O ex-ministro participou de evento para anunciar aliança entre PDT e PSB nas eleições municipais deste ano. O encontro lançou a pré-candidatura de Márcio França (PSB) em São Paulo.

Ciro lembrou a polêmica recente de Bolsonaro ao afirmar ter provas, mas sem apresentá-las, de que foi eleito em primeiro turno em 2018.

"Imagina uma hora dessa o eleito pôr sob suspeita o processo eleitoral que o elegeu, só um negócio de doido pode explicar. É a tática irresponsável de desviar o assunto", completou Ciro.

Ele também criticou a postura de Bolsonaro de minimizar o coronavírus. "O que se impõe é preocupação, mas precisamos ajudar o povo a enfrentar o problema. Não é com pânico ou com notícia subjetiva, de que é uma marolinha, como Bolsonaro falou."

Na segunda-feira (9), o presidente havia afirmado que o coronavírus estava "superdimensionado".

O governo confirmou nesta quinta que o chefe da Secom, Fabio Wajngarten, testou positivo para o novo coronavírus e disse que o serviço médico do Palácio do Planalto está "adotando todas as medidas preventivas necessárias para preservar a saúde" de Bolsonaro.

Também nesta quinta, após a escalada do coronavírus, a Bolsa brasileira passou por dois circuit breaker, mecanismo que ajuda a deter perdas maiores dos investidores.

Ciro afirmou ainda que, em relação à crise econômica, o governo está assustado e não sabe o que fazer. Ele pontuou que os problemas na economia do país são anteriores à escalada do vírus.

"A Bolsa está caindo no Brasil não é por conta do coronavírus. Quem tem experiência sabe que os fundamentos da economia brasileira estavam em pandarecos e havia uma exuberância irracional na bolsa brasileira, visto inclusive pela fuga de capitais", afirmou.

O ex-ministro também exaltou o SUS e as universidades brasileiras para conter o vírus no país.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.