'Quero que você me ache um brasileiro que confie no sistema eleitoral', diz Bolsonaro

Sem provas, presidente insiste que houve fraude eleitoral na disputa que o elegeu ao Planalto em 2018

Miami

O presidente Jair Bolsonaro colocou mais uma vez em xeque a Justiça Eleitoral nesta terça-feira (10) em mais uma capítulo de sua escalada contra diversas instituições do país.

Um dia depois de afirmar que houve fraude eleitoral em 2018, porém, sem apresentar nenhuma prova sobre o que estava falando, Bolsonaro afirmou a jornalistas que não há ninguém no país que confie no sistema eleitoral.

"Eu quero que você me ache um brasileiro que confie no sistema eleitoral brasileiro", declarou o presidente após participar de um esvaziado evento com empresários em Miami.

Questionado por uma repórter se não confia na Justiça Eleitoral, Bolsonaro respondeu exaltado: "Não é na Justiça, não deturpe as minhas palavras. Não façam essa baixaria a imprensa sempre faz comigo."

Durante uma viagem de 4 dias aos EUA, esta foi a primeira vez que o presidente falou com a imprensa. As declarações duraram menos de dois minutos e ocorrem antes de ele embarcar para Jacksonville, onde fará uma visita de duas horas à fábrica da Embraer e, depois, segue para Brasília.

Nesta segunda-feira (10), durante encontro com a comunidade brasileira em Miami, o presidente já havia lançado suspeitas sobre a Justiça Eleitoral, mas acrescentou que tinha provas para mostrar que houve fraude em 2018, quando, segundo ele, teria vencido ainda no primeiro turno.

Apesar de repetir que tem indícios sobre o que está falando, o presidente não apresentou nenhum material, mesmo após ser questionado pelos jornalistas.

O presidente tem escalado seus embates e minado uma a uma sua relação com Congresso, imprensa e, desta vez, com a Justiça Eleitoral.

Em outubro de 2018, quando era candidato do PSL, Bolsonaro fez um pronunciamento na internet no qual disse suspeitar que só não havia vencido Fernando Haddad (PT) no primeiro turno devido a fraudes nas urnas eletrônicas. Mas essa é a primeira vez que fala em provas desde que chegou ao Planalto.

Antes do segundo turno de 2018, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) mandou fazer uma auditoria externa que comprovava a segurança do sistema de urna eletrônica no Brasil.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.