Descrição de chapéu Coronavírus

Bolsonaro divulga ataque de apoiadora a governadores e imprensa e diz que ela fala 'por milhões'

Presidente é crítico das medidas de isolamento social e de fechamento de comércio adotadas por governadores e prefeitos

Brasília

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) compartilhou em suas redes sociais depoimento em que uma apoiadora ataca governadores e a imprensa. Bolsonaro publicou vídeo captado na manhã desta quinta-feira (2), quando parou para saudar simpatizantes em frente ao Palácio da Alvorada.

"Professora em comovente depoimento para o presidente da República. Peço compartilhar", escreveu o mandatário.

O presidente Jair Bolsonaro fala com apoiadores e com a imprensa ao sair do Palácio da Alvorada, ao lado do Ministro Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) - Pedro Ladeira/Folhapress

No vídeo, uma mulher que se apresentou como professora particular apela para que o mandatário ponha "militares na rua" para encerrar medidas restritivas adotadas por governadores, que determinaram a suspensão de aulas e o fechamento do comércio para tentar conter a disseminação da Covid-19.

"Não tem condições de a gente viver nessa situação. Vai faltar coisa para os meus filhos dentro da minha casa. Estou aqui pedindo para o senhor: põe esses militares na rua, põe para esse governador [do Distrito Federal], [que] já decretou de novo mais um mês sem aula, sem nada."

"Não tem condições de a gente viver desse jeito. Eu vim aqui pedir não por mim, mas por milhões de pessoas, que estão sentindo, que estão na necessidade de ter condições de trabalho. Eu não quero dinheiro do governo, eu quero trabalho, voltar minha vida normal", diz a apoiadora.

Ela se referiu ao governador Ibaneis Rocha (MDB), que, nesta segunda-feira (1), prorrogou medidas de isolamento social no DF. Em seu depoimento, a mulher também criticou os governadores que adotaram ações restritivas.

"Esses governadores querem o quê? Todo mundo tem a casa deles, o dinheiro deles. E eu não tenho nada. A gente tem o senhor. É isso que a gente tem. Acordo cedo, não durmo, preocupada com a minha vida. E milhares de pessoas estão assim".

Ela também atacou a imprensa: "Eu sou mãe de família, sou separada, tenho meus filhos. Vim ontem [quarta], estou aqui hoje e venho pedir para o sr. Porque a imprensa não ajuda a gente, a imprensa faz é acabar com a nossa vida. Eles não passam necessidade, estão aí só para falar mentira, para acabar com a vida do povo. Não sabem a necessidade de cada um", declarou.

Ao final da declaração da simpatizante, Bolsonaro disse que ela fala "por milhões de pessoas".

Bolsonaro é um crítico das medidas de isolamento social e de fechamento de comércio adotadas por governadores e prefeitos. O argumento do mandatário é que essas ações criam mais prejuízos do que os benefícios com a contenção da Covid-19, causando desemprego e acentuando pobreza.

Embora mantenha suas críticas, Bolsonaro moderou o tom em seu pronunciamento em rádio e televisão na terça-feira (31). Nele, o presidente pediu um pacto envolvendo o Judiciário, Congresso, governadores e sociedade.

No entanto, como mostrou a Folha, o histórico de radicalização de Bolsonaro e publicações feitas por ele em suas redes com ataques a governadores fizeram com que líderes políticos nos estados e no Legislativo encarassem com ceticismo o chamado por união feito pelo presidente da República.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.