Deputado Luiz Flávio Gomes morre aos 62 anos, em São Paulo

Ele estava de licença do cargo para realizar o tratamento de uma leucemia; em 2018, recebeu mais de 86 mil votos

São Paulo | UOL

O deputado federal Luiz Flávio Gomes (PSB-SP) morreu na madrugada desta quarta-feira (1º), aos 62 anos.

Professor de direito penal, eleito para o Legislativo em 2018, passava por tratamento de uma leucemia mieloide aguda, segundo informou o Hospital Sírio Libanês.

Gomes estava de licença do cargo de deputado para realizar o tratamento da doença, diagnosticada em setembro de 2019. O suplente Luiz Lauro Filho (PSDB-SP) assumirá sua vaga na Câmara.

Ele chegou a realizar um transplante de medula no dia 14 de janeiro deste ano. No entanto, seu quadro piorou nos últimos dias.

Luiz Flavio Gomes em dezembro de 2016, durante lançamento do livro "A república da propina", de Marlon Reis - Bruno Poletti - 8.dez.2016/Folhapress

Gomes atuou como advogado, promotor de Justiça e juiz, além de ter sido policial civil e delegado, nos anos 1980, e ter publicado livros como "O Jogo Sujo da Corrupção".

Em sua eleição como deputado federal, Gomes recebeu mais de 86 mil votos.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), manifestou pesar em nome da Casa. "Referência como professor de direito, área à qual se dedicou ao longo da vida, ele foi um visionário no ensino à distância. Nossos sentimentos à família e aos amigos", escreveu ele no Twitter.

O líder da oposição na Câmara e seu correligionário Alessandro Molon (PSB-RJ) também lamentou a morte na rede.

"Acordei com a triste notícia da partida do querido amigo e também deputado federal pelo PSB Luiz Flávio Gomes. Um bravo guerreiro, leal, alegre, leve, comprometido com nosso país e com nosso povo, de quem sentirei enormes saudades. Que sua família encontre conforto!", escreveu.

Em nota, a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) ofereceu "condolências e solidariedade aos familiares e amigos".

"Aos 62 anos, Gomes deixa um currículo de destaque no direito. Ele se formou pela Faculdade de Direito de Araçatuba, tornou-se mestre em direito penal pela Universidade de São Paulo e doutor em direito penal pela Universidade Complutense de Madri. Lecionou direito penal e processo penal em vários cursos de pós-graduação. Também fundou a rede de ensino LFG, em 2003", afirma a nota.

Antonio Ruiz Filho, ex-diretor da OAB-SP e do Instituto dos Advogados de São Paulo, também se pronunciou.

"Mesmo ao ter algumas de suas ideias confrontadas, era um homem de diálogo, gentil, mas assertivo; defendia seus pontos de vista sempre com conhecimento de causa e veemência peculiar, não raras vezes, arrancando gargalhadas de plateias entusiasmadas pelas suas frenéticas exposições", afirmou Ruiz, que conta ter conhecido Gomes em uma audiência.

"Fará muita falta ao mundo jurídico e ao Parlamento, que deixarão de contar com esse expoente cultor do direito, nessa quadra nacional de tantas incertezas e instabilidade política", conclui a nota.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.