Maior jornal do Brasil, Folha consolida crescimento digital

Aumento de assinaturas durante a crise do coronavírus amplia liderança de circulação entre os veículos brasileiros

São Paulo

A Folha é o jornal de maior circulação do Brasil. Pioneiro no modelo de assinatura digital no país, o veículo obteve nos últimos meses crescimento expressivo da audiência paga de sua versão online, consolidando sua liderança também nesse segmento.

Em maio, a Folha vendeu em média 338.675 exemplares diários, na soma de suas versões digital e impressa. O segundo lugar do ranking coube ao Globo, com 333.653. Em terceiro aparece O Estado de S. Paulo, com 240.093. Os dados são do IVC Brasil (Instituto Verificador de Comunicação).

Os números do IVC mostram que em maio a Folha cresceu 0,69% na comparação com o mês anterior. O Estado subiu 0,66%, enquanto O Globo caiu 0,54%.

A Folha lidera o ranking digital com 268.557 assinantes digitais. O Globo tem 245.440, e o Estado, 150.852.

O crescimento das vendas de assinaturas digitais foi de 200% durante a cobertura da pandemia. No período, o jornal lançou uma oferta de seis meses de assinatura gratuita para profissionais da área da saúde.

Ainda em abril, a Folha registrou seu recorde de audiência, com 73,8 milhões de visitantes únicos, segundo dados do Google Analytics. Esses internautas realizaram 176,9 milhões de visitas e clicaram em 428,4 milhões de páginas.

Com a cobertura da crise do coronavírus e da crise política do governo Bolsonaro, o jornal registrou ainda acessos recordes em seus aplicativos da Folha Impressa.

Disponíveis da Apple Store e Play Store, os apps oferecem a réplica da edição em papel para assinantes. Só em maio, foram mais de 520 mil sessões, marca que será batida em junho.

Isso ocorre em cenário de restrição de circulação terrestre e voos pelo país, devido ao agravamento da pandemia. O transporte aéreo é um dos meios pelo qual grande parte dos exemplares do jornal é distribuído pelo Brasil.

A Folha é o único jornal presente em todas as regiões, sendo assim, um dos mais impactados em sua logística de distribuição.

"O momento só reforça a importância da Folha para o leitor. A relevância do noticiário que produzimos é maior que nunca, e como nossa oferta de produtos é ampla. A Folha não deixa de chegar a quem precisa e quer informação de qualidade", afirma Anderson Demian, gerente geral de mercado leitor.​

Redação da Folha durante a quarentena - Eduardo Knapp/Folhapress
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.