Basta! e Ministério Público Democrático aderem à campanha pela democracia da Folha

Com o #UseAmarelo pela democracia, jornal se contrapõe a movimentos autoritários; Direitos Já! também aderiu

São Paulo

O movimento Basta! e a associação Ministério Público Democrático anunciaram nesta quarta-feira (1º) que vão aderir à campanha #UseAmarelo Pela Democracia, da Folha.

Inspirado em seu papel histórico nas Diretas Já, o jornal propõe o resgate da cor amarela como símbolo da democracia.

A ação do jornal envolve uma campanha publicitária, um especial jornalístico lançado no último domingo (28) e um curso gratuito sobre a ditadura militar (1964-1985). A primeira aula já foi vista por mais de 47 mil alunos. Até as próximas eleições presidenciais, em 2022, o slogan da Folha será "Um jornal a serviço da democracia".

O Ministério Público Democrático foi fundado em 1991 por membros do Ministério Público. "Defender a democracia, para nós, é quase como respirar", diz nota da entidade em apoio à campanha.

"Neste momento agudo de nossa vida, queremos externar nosso irrestrito apoio e parabenização à iniciativa corajosa e imprescindível da centenária Folha de S.Paulo de lançar campanha em defesa da democracia, inspirada na Diretas Já", afirmou.

O Basta! é um dos muitos grupos que surgiram em defesa das instituições nas últimas semanas. Formado majoritariamente por advogados, seu manifesto conta com mais de 700 assinaturas, algumas de ex-ministros da Justiça e antigos membros do Supremo Tribunal Federal.

"Compreendemos a proposta da Folha de S.Paulo como complementar à nossa iniciativa", afirmou Sebastião Botto de Barros Tojal, que faz parte do movimento. O Basta! adota a postura de não tolerar mais ameaças às instituições. A campanha do jornal, por sua vez, seria uma alternativa propositiva.

"Se nos colocamos como limite ao comportamento infrator à responsabilidade do Presidente da República, a Folha de S.Paulo tem o mérito de trazer às novas gerações —e àqueles que macaqueiam essas estultices [tolices]— o quão nefasto é um regime de força para a vida em sociedade", afirmou o advogado, em nota.

"Por compreender que a história precisa ser divulgada para não se repetir, é que louvamos a Folha de S.Paulo na sua proposta de promover debates sobre o Estado Democrático de Direito e de tempos sombrios que acometeram esse país chamado Brasil, dos quais não temos saudade e lutaremos para que não se repitam", completa.

O Direitos Já!, outro dos movimentos da sociedade civil que surgiram em defesa da democracia, também aderiu à campanha nesta segunda-feira (29).

"O Direitos Já! faz adesão a essa importante iniciativa de resgate da cor símbolo da democracia brasileira desde as Diretas Já. O amarelo foi a cor da retomada democrática no Brasil e agora será a cor da defesa da democracia que conquistamos", disse o cientista político Fernando Guimarães, coordenador do movimento.

Nesta quarta, a hashtag #DevolvamNossaBandeira chegou aos assuntos mais comentados no Twitter. O movimento tenta ressignificar o uso das cores da bandeira, que foram adotadas por manifestantes de extrema-direita nos últimos anos.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.