Folha completa 25 anos na internet

Em 9 de julho de 1995 estreava a FolhaWeb, primeiro canal de notícias da Folha na internet

São Paulo

Há 25 anos, em 9 de julho de 1995, estreava a FolhaWeb, primeiro canal de notícias da Folha na internet.

O site, que se tornaria o primeiro jornal em tempo real em língua portuguesa, entrava no ar só dois meses depois de a própria rede mundial de computadores ter passado a funcionar de modo comercial.

À época, os internautas do Brasil eram calculados entre 45 mil e 50 mil, principalmente no meio acadêmico. Justamente por isso a primeira cobertura jornalística foi a 47ª reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, em São Luís (MA).

Outros jornais já tinham sites na rede, mas eram apenas páginas institucionais. Em post publicado em seu site, o jornalista Paulo Silvestre rememorou a dificuldade da largada.

“O dia a dia não era glamouroso, não era fácil. Tive que aprender HTML na marra, nos poucos tutoriais que já existiam na própria rede. Para criar as páginas, usava o Word! Por muito pouco, não fiz o café e limpei o banheiro. Mas saboreei cada momento daquele como se fosse Neil Armstrong pisando na Lua”, conta Silvestre.

A equipe responsável por colocar o projeto no ar era liderada pela jornalista Marion Strecker, que depois ajudaria a fundar o UOL.

“Propus criar a FolhaWeb a um custo baixíssimo, sem investimento em novas equipes e usando um espaço num servidor da Embratel. Meus chefes —Luiz e Otavio Frias Filho— toparam na hora. Não viram nada a perder. Ao contrário”, diz ela.

“Fizemos isto antes de outros jornais importantes no mundo, como o "New York Times". Não tenho a menor dúvida de que a Folha, por meio do UOL, forjou o formato de portais de conteúdo que se tornou tão popular no Brasil. A história mostra isso com clareza.”

A FolhaWeb foi a seguir rebatizada de Folha Online. Em 2000, ganhou sua primeira versão com formato clássico de portal.

O site ainda mudaria de nome mais uma vez (Folha.com) antes de, em 2012, passar a se chamar apenas Folha de S.Paulo, acelerando o processo de fusão das operações impressa e online, ocorrida fisicamente na redação dois anos antes.

O novo nome veio acompanhado de outro momento histórico: a Folha se tornava ali o primeiro jornal brasileiro a lançar o chamado paywall (muro de pagamento) poroso, modelo de cobrança de conteúdo no ambiente digital que perdura até hoje e foi adotado por outros veículos.

Em 2020, com um universo de internautas superior a 127 milhões no Brasil, a Folha lidera rankings de audiência e assinaturas entre os jornais brasileiros. Em maio, o jornal alcançou 268.577 assinantes digitais, segundo o IVC. Em abril, segundo dados do Google Analytics, acumulou 428,4 milhões de páginas. Neste mês, a Folha teve seu recorde de visitantes únicos: 73,8 milhões.

“Os desafios são constantes, o investimento permanente, sobretudo em tempos que nossa profissão é tão atacada, no mundo todo. Produzir jornalismo profissional de qualidade, confiável, em meio a tanto conteúdo confuso e mentiroso de redes sociais e afins, é mais importante que nunca”, afirma Sérgio Dávila, diretor de Redação da Folha.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.