Em sabatina Folha/UOL, Bruno Reis promete BRT em Salvador e diz que existe preconceito com o sistema

Projeto do candidato para a cidade também prevê vias exclusivas para carros

São Paulo | UOL

O atual vice-prefeito de Salvador e candidato a prefeito, Bruno Reis (DEM), defendeu a implementação do BRT na capital baiana e disse que o sistema deve resolver problemas históricos da cidade, especificamente no novo centro comercial.

"Vai atender um universo de 350 mil habitantes, e vai resolver o problema de alagamento da região", disse em sabatina da Folha promovida em parceria com o UOL, transmitida nesta terça-feira (13).

Questionado sobre a proposta de construir um BRT (Bus Rapid Transit), sistema rápido de transporte público, ele afirmou que 'há um preconceito contra' o modelo no Brasil. "O BRT é muito mais do que uma obra de transporte público", declarou aos jornalistas Flávio Costa, do UOL, João Pedro Pitombo, da Folha.

A obra levanta uma série de questionamentos de entidades ambientais e civis em Salvador. O candidato rebateu afirmando que toda obra do partido tem uma política de compensação ambiental, e promete plantar mais 1.700 árvores em torno da obra.

O projeto do candidato não só prevê BRT para ônibus, mas também vias exclusivas para carros. Questionado se a medida não prioriza o transporte individual, Reis afirmou que os elevados devem ampliar a quantidade de veículos que transitam nessas vias, tanto ônibus, como transporte individual.

"As vias são estreitas e a região cresceu muito", disse Reis, que lidera a última pesquisa Ibope com 42% das intenções de voto.

Pandemia: volta às aulas e Carnaval

O vice-prefeito afirmou que estão avaliando uma possível volta às aulas de forma gradual: primeiro o ensino superior, depois o ensino médio e então o ensino fundamental.

As aulas presenciais estão suspensas por causa da pandemia do novo coronavírus.

"A ideia, por enquanto, é não retornar o ensino infantil, mas quando ocorrer, vai ocorrer com toda a segurança." Ele ainda falou sobre um reforço escolar, para compensar o ano letivo perdido durante a pandemia.

"Esperamos já anunciar no mês de outubro o retorno das aulas para o ensino superior", disse.

Em relação à data do Carnaval no ano que vem, Reis falou da importância de realizar uma decisão em conjunto com São Paulo e Rio de Janeiro.

O candidato disse que a preocupação é com uma possível segunda onda, questões sanitárias e o estágio da pandemia em fevereiro do próximo ano.

"Vai depender da condição sanitária, se não tivermos condições de aglomerações, não vamos fazer", disse. "Não dá pra pensar em Carnaval ainda, sem termos uma vacina", disse.

Área da saúde pós-pandemia

Devido à pandemia, muitas pessoas não puderam procurar por serviços na área da saúde, o que deve aumentar as filas para exames e consultas especializadas.

O candidato prometeu zerar, até o fim do ano, o número de filas para procedimentos especializados de média complexidade em Salvador.

Além disso, promete construir uma maternidade municipal e implementar uma clínica da dor, para dores crônicas, onde devem acontecer cirurgias ortopédicas.

SABATINAS

Após a sabatina de João Arruda, candidato pelo MDB à Prefeitura de Curitiba, e de Bruno Reis (DEM), candidato em Salvador, às 12h, a última entrevistada desta terça-feira (13) é Marília Arraes, neta do ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes, às 15h. Advogada, foi vereadora do Recife por três mandatos consecutivos.

A Folha e o UOL estão sabatinando candidatos da principais capitais do país.

Já foram entrevistados os candidatos em Belo Horizonte Áurea Carolina (PSOL), Alexandre Kalil (PSD), Bruno Engler (PRTB) e João Vítor Xavier (Cidadania). De Salvador, o Pastor Sargento Isidório.

Do Recife, já foi sabatinada a candidata Patrícia Domingos (Podemos), e Mendonça Filho (DEM).De Curitiba, Goura (PDT).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.