Caio Cunha (Podemos) é eleito prefeito de Mogi das Cruzes

Resultado interrompe hegemonia de grupo político ligado a Valdemar Costa Neto

Mogi das Cruzes (SP)

O vereador Caio Cunha (Podemos), 42, foi eleito neste domingo (19) prefeito de Mogi das Cruzes. Cunha aparece com 58,39% dos votos contra 41,61% do prefeito e candidato à reeleição Marcus Melo (PSDB), 48. A vitória foi projetada pelo Datafolha. Como vice, ele escolheu a professora Priscila Yamagami (Podemos).

Principal cidade do Alto Tietê, com 450 mil habitantes, Mogi não tinha segundo turno desde o ano 2000. No século atual, foi governada pelo mesmo grupo político, do ex-deputado federal Valdemar Costa Neto, condenado no mensalão. O PL, partido do político, compunha a chapa de Melo com o candidato à vice.

Caio Cunha posando para foto
O vereador e prefeito eleito de Mogi das Cruzes Caio Cunha (Podemos) - Divulgação

Um momento de insatisfação dos mogianos com a gestão de Melo foi o aumento do IPTU na cidade, que gerou uma onda de manifestações em 2018. Com a pressão da população e de vereadores da oposição, a prefeitura voltou atrás da proposta de aumentar em 60% o valor cobrado.

Desde então, Melo pede desculpas e reconhece ter errado ao ouvir os técnicos que sugeriram o reajuste. O episódio abalou a relação do mandatário com o hoje deputado federal Marco Bertaiolli (PSD-SP), de quem o tucano foi sucessor na prefeitura.

Cunha foi um dos vereadores que estiveram à frente dos protestos contra o aumento. No primeiro turno, ele conseguiu superar o vereador Rodrigo Valverde (PT), também conhecido pela mobilização, e provocar um segundo turno na cidade ao receber 28% dos votos contra 42% de Melo.

Analista de Sistemas, em 2016, Cunha foi reeleito para a Câmara com mais de 5,7 mil votos, o mais votado na cidade. Até então, ele fazia parte do PV, partido da base de Melo. Em outubro, ele disse à Folha que sempre teve uma atuação independente e que decidiu que mudaria de legenda após a orientação pelo voto a favor do IPTU, contrariada por ele.

Com R$ 369 mil para a campanha — Melo teve R$ 1,2 milhão—, Cunha conseguiu formar uma coligação com o Solidariedade e o PTB, e foi apoiada pelo PDT no segundo turno. O eixo do plano apresentado por ele é o aumento da participação dos mogianos nas decisões da prefeitura. Para isso, o vereador prometeu criar uma secretaria de participação popular.

Outra promessa é aumentar a geração de empregos na cidade.

“Mogi é uma cidade que tem um potencial incrível. A cidade de Mogi cresceu, mas não se desenvolveu. Ela não investiu em estrutura suficiente para lidar com toda a demanda feita pelo crescimento”, disse à Folha.​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.