Descrição de chapéu Eleições 2020

Da urna à apuração, entenda o caminho do voto; falha atrasou resultados do TSE

Pane no domingo ocorreu em sistema que reúne os dados de cada candidato

Brasília

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), apresentou nesta segunda-feira (16) nova versão sobre os atrasos na divulgação do resultado das eleições municipais, minimizou os problemas e não garantiu que o segundo turno, no próximo dia 29, será livre de falhas.

A votação de domingo (15) foi marcada por panes técnicas, que incluíram instabilidades em aplicativo do TSE e uma demora inédita para que se soubesse a totalização de votos das urnas eletrônicas.

Nesta segunda, Barroso afirmou que a demora na entrega de equipamentos por parte da empresa Oracle, em razão da pandemia da Covid-19, impediu a realização de testes prévios no sistema.

Veja abaixo o caminho do voto, do fechamento das urnas à divulgação do resultado, e em qual parte do processo ocorreu a falha no domingo.

Apuração
Com o fim da votação, às 17h, o presidente da seção eleitoral encerra a coleta de votos e a urna eletrônica imprime um boletim com a apuração

Boletim de urna
São impressas cinco vias do chamado boletim de urna, espécie de
"extrato dos votos" que foram depositados. Uma das cópias é afixada na porta da seção, três acompanham a ata e uma é entregue aos fiscais partidários

Apuração na urna
O equipamento produz um arquivo com o resultado da apuração, chamado registro digital de voto

Pen-drive
Esse arquivo é copiado em uma "mídia de memória", que contém os dados codificados. As informações só podem ser lidas nos equipamentos da Justiça Eleitoral que possuem as chaves para as diversas
camadas de segurança

Transporte manual
As mídias são lacradas em um envelope e levadas até um local da zona eleitoral com equipamentos da Justiça Eleitoral. A mídia é aberta e tem sua autenticidade verificada

Rede própria
Os dados são então transmitidos através desse terminal para o respectivo TRE (Tribunal Regional Eleitoral). A transmissão é feita por uma espécie de intranet, uma rede própria não conectada à internet

Dados criptografados
A mesma rede criptografada é usada para em seguida enviar o fluxo de dados eleitorais dos TREs para a sede do TSE (Tribunal Superior Eleitoral)

Supercomputador
O TSE conta com um supercomputador da empresa Oracle que recebe os dados dos TREs

Sistema de nuvem
O supercomputador recebe os dados e os armazena, já promovendo a contagem dos votos. Um sistema de inteligência artificial reúne os dados de cada candidato para que sejam divulgados

Falha na apuração
O TSE explicou que esse sistema não foi treinado no tempo adequado para identificar os dados com rapidez. Os dados se acumularam e foi necessário interromper o recebimento até que o conteúdo começasse a ser liberado

Internet
Apenas nesse momento os dados deixam o sistema do TSE. Após contabilizados, são divulgados no site do tribunal

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.