Comandante do Exército tem exame positivo para coronavírus

General Edson Pujol está assintomático e seguindo protocolo de tratamento

Brasília

O Comandante do Exército, general Edson Pujol, 65, recebeu exame positivo para coronavírus.

Segundo informação divulgada pelo centro de comunicação do Exército, Pujol realizou o teste de Covid-19 quando deu entrada para cirurgia no HFA (Hospital das Forças Armadas) no final de semana.

O militar foi submetido a um procedimento após ter sofrido uma queda durante prática de equitação, fraturando o fêmur.

O Exército informou nesta quarta-feira (2) que Pujol está totalmente assintomático e "seguindo em casa o protocolo de tratamento precoce sob orientação da equipe médica do HFA."

Comandante do Exército, Edson Pujol, durante cerimônia no Palácio do Planalto, em setembro
Comandante do Exército, Edson Pujol, durante cerimônia no Palácio do Planalto, em setembro - Pedro Ladeira - 16.set.20/Folhapress

Ainda de acordo com a Força, o comandante passa bem, está realizando fisioterapia e caminhando com o auxílio de um andador.

Pujol tem realizado trabalho remoto em sua residência.

Na noite desta quarta, Bolsonaro se referiu ao fato de Pujol ter se contaminado e citou um episódio ocorrido em abril.

Em conversa com apoiadores ao chegar ao Palácio da Alvorada, o presidente disse que mesmo pessoas que tomam cuidados de prevenção "acabam pegando" o vírus."Se cuidando você acaba pegando também [o vírus]. Muita autoridade aqui que vinha com máscara, cumprimentando com cotovelinho, [fazendo] videoconferência pegou. Pegou [Covid]", disse.

Em abril, ao cumprimentar oficiais durante visita ao Comando Militar do Sul (CMS), em Porto Alegre, Bolsonaro estendeu a mão a militares e recebeu de volta saudação com os cotovelos, como manda a etiqueta médica para evitar a proliferação da doença.Na ocasião, o primeiro a responder com o cotovelo foi justamente Pujol.

O presidente fez ainda uma nova provocação contra seu vice. Ele citou gastos realizados com a equipe da presidência e disse que os seguranças do Planalto o preferem a Hamilton Mourão.

"Eles [seguranças] me protegem também porque preferem eu do que o vice. Estou mentindo?", afirmou, dando risadas.

Entre as autoridades que já contraíram o vírus, estão 14 ministros do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) —ele mesmo foi infectado em julho, mas se recuperou sem maiores sintomas.

O último membro do primeiro escalão a receber exame positivo para a doença foi o ministro Tarcísio de Freitas (Infraestrutura).

Também já foram infectados os ministros Augusto Heleno (Segurança Institucional); Bento Albuquerque (Minas e Energia); Onyx Lorenzoni (Cidadania); Milton Ribeiro (Educação); Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia); Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União); Braga Neto (Casa Civil); Jorge Oliveira (Secretaria-Geral); Marcelo Álvaro Antônio (Turismo); Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo); Fábio Faria (Comunicações); Eduardo Pazuello (Saúde) e André Mendonça (Justiça).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.