Após esquerda, grupos à direita promovem carreatas contra Bolsonaro

MBL e Vem Pra Rua fizeram atos no Rio e em São Paulo

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Rio de Janeiro

Um dia depois das manifestações de políticos e organizações de esquerda pelo país, com pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro, neste domingo (24) grupos da direita protagonizam a mobilização nas ruas pelo afastamento.

Convocados pelos grupos Vem pra Rua e Movimento Brasil Livre (MBL), manifestantes vestidos de verde e amarelo fazem carreatas em várias cidades do país, entre elas, Rio de Janeiro e São Paulo, além de municípios do interior paulista.

Carros com bandeiras do Brasil e faixas contra Bolsonaro
Carreata de partidos e movimentos de direita pelo impeachment de Bolsonaro, em SP, neste domingo (24) - Bruno Santos/Folhapress

No Rio de Janeiro, os manifestantes saíram em carreta da Barra da Tijuca, na zona oeste, e foram até Ipanema, na zona sul. Eles fizeram um buzinaço pelo impeachment. Algumas pessoas colaram em seus carros cartazes lembrando o número de mortos pelo coronavírus no país. Muitos veículos levavam bandeiras do Brasil.

Antes da saída dos veículos, os manifestantes cantaram o Hino Nacional e fizeram um minuto de silêncio pelos mortos vítimas da Covid-19.

Em São Paulo, os manifestantes seguiram em comboio pela Avenida Paulista. Pessoas de motos e bicicletas participaram do ato. Durante o ato, os manifestantes também deram palavras de ordem contra o ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal). Eles pediam “Fora, Gilmar”.

O MBL e o Vem Pra Rua protagonizaram a mobilização pelo impeachment da então presidente Dilma Rousseff, em 2016.

No sábado, grupos convocados por líderes de esquerda, de partidos como PT e PSOL, além de sindicatos, promoveram carreatas contra Bolsonaro em capitais.

Coordenador nacional do Vem pra Rua, Renato Sella diz que o grupo traz para os manifestos uma ação sem bandeiras políticas. Por esse motivo, diz, o movimento decidiu fazer suas carretas separadamente, da esquerda. “Respeitamos a esquerda, mas na nossa ação a única bandeira é a do Brasil.”

Conforme Sella, o movimento estima que pelo menos 250 carros tenham participado da carreata em São Paulo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.