Descrição de chapéu Governo Bolsonaro Coronavírus

Mourão toma 1ª dose da Coronavac e diz ter feito a sua parte como cidadão

Em rede social, vice-presidente disse torcer para que a vacinação atinja toda a população brasileira

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Brasília

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB), 67, foi vacinado nesta segunda-feira (29) contra a Covid-19. Ele informou ter tomado a primeira dose de Coronavac, imunizante que chegou a ser alvo de críticas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), mas possibilitou o início da vacinação no Brasil.

"Hoje fiz minha parte como cidadão consciente e recebi a primeira dose da vacina contra a Covid-19 (Coronavac). Espero que, em breve, o maior número possível de vacinas chegue à população brasileira", escreveu Mourão em uma rede social.

Vice-presidente Hamilton Mourão está de pé, com a manga da camiseta estendida, tomando a primeira dose da vacina contra Covid
Vice-presidente Hamilton Mourão toma primeira dose da vacina contra Covid-19 - Reprodução/Twitter@generalmourao

No último fim de semana, o ministro da Economia, Paulo Guedes, 71, foi imunizado. Ele disse ter tomado uma dose de Coronavac.

Ele foi a um posto de vacinação no estacionamento do estádio Mané Garrincha, na região central de Brasília. A segunda dose está agendada para o final de abril.

No último dia 18, o ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, 73, disse em uma rede social que tomou a primeira dose da vacina.

​"Recebi a primeira dose da vacina contra a Covid-19. O governo federal defende a imunização em massa e trabalha intensamente para viabilizar, no menor prazo possível, a vacinação de todos os brasileiros. É uma ação voluntária. Foi a minha escolha", disse Heleno, sem informar qual imunizante recebeu.

Ao ver sua popularidade derreter por causa do descontrole da pandemia do novo coronavírus, Bolsonaro deixou de lado o discurso antivacina, e o governo passou a adotar a vacinação como bandeira, estratégia que passou a ser chamada de "Plano Vacina".

Neste contexto, Bolsonaro, que já disse mais de uma vez que não iria se vacinar, mudou de ideia e espera que a campanha de vacinação no Distrito Federal chegue a sua faixa etária. O presidente completou 66 anos no último dia 21.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.