Processos de seleção buscam trainees afinados com a cultura da empresa

Antes de concorrer a vagas, candidato deve se perguntar se tem os mesmos propósitos da organização

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Liderança, comunicação assertiva e capacidade de persuasão estão entre as características mais buscadas nos participantes de processos de seleção de trainees —profissionais, em geral jovens recém-formados, em busca de uma empresa para construir a carreira.

Além desses atributos, hoje o propósito do candidato para entrar em uma companhia também é muito valorizado pelos recrutadores, diz Luís Abdalla, CEO da Seja Trainee, empresa que prepara jovens para participar de processos seletivos.

Para jovens recém-formados, programas de trainee podem ser uma porta de entrada para o mercado de trabalho - Drobot Dean/Adobe Stock

Para Priscilla Couto, consultora de carreiras, o primeiro passo que um profissional deveria dar antes de participar de uma seleção é avaliar se ele compartilha dos mesmos princípios da organização.

"Existe identificação com os valores da empresa, com o que ela pratica e com o seu modo de lidar internamente com os colaboradores?", pergunta Priscilla.

Essa avaliação, segundo a consultora, é importante em especial para candidatos inscritos em programas com altos números de participantes e que têm duração mais longa, que pode chegar a até três meses.

Caso o participante decida desistir da vaga no final do processo por não se identificar com a proposta da organização, há perdas para as duas partes, diz Priscilla.

Trainee do Itaú Unibanco desde janeiro de 2021, Thamires Abreu, 29, foi uma entre as 40 pessoas selecionadas em um programa que teve 85 mil inscritos.

Ela conta que seu primeiro passo ao prestar o processo seletivo foi entender em quais requisitos se encaixava e quais programas de trainee combinavam com sua personalidade.

"Por ser um programa muito concorrido e oferecer salário bom, as pessoas participam de todos os processos e acabam perdendo o foco no que realmente querem", diz Thamires.

Selecionado pelo programa de trainee deste ano da Nestlé, Rayan Praguer, 26, atua desde janeiro na área de transformação digital da empresa.

Antes, ele havia se inscrito em 12 programas de trainees, mas decidiu refinar a estratégia e investir em apenas três —a Nestlé, afirma Rayan, era sua prioridade, por seu interesse em trabalhar na área de transformação digital.

Segundo Ana Schiavone, gerente de atração de talentos na Nestlé, a edição de 2022 do programa recebeu 47 mil inscrições e teve 29 candidatos aprovados.

A seleção aconteceu de maneira remota e teve cinco etapas, entre elas testes online e painéis com o departamento de Recursos Humanos e gestores em que os candidatos resolviam desafios relacionados à empresa.

Além disso, os participantes também tiveram capacitações com temas relacionados a inovação e inteligência emocional.

De acordo com Ana, para se obter sucesso nesses processos, uma das recomendações é buscar ser coerente com a própria personalidade. "Não adianta falar ‘acho que a Nestlé vai aprovar o candidato que fala mais’. Muitas vezes, estamos procurando aquela pessoa como ela é", diz Ana.

Além de estudar sobre a empresa que está promovendo a seleção, a gerente sugere que o candidato se faça perguntas como "será que esse processo tem a ver comigo?" para tentar entender se deve prosseguir com a tentativa.

​O setor de finanças está entre os segmentos que mais geram vagas e oportunidades para programas de trainee, afirma Luís Abdalla, da Seja Trainee.

É o caso da Ebanx, fintech de pagamentos, que neste ano lançou seu primeiro programa com o apoio da empresa de capital privado Advent.

A seleção, voltada exclusivamente a mulheres negras, tem a intenção de aumentar a diversidade e estimular a liderança entre mulheres negras, afirma Patrícia Badaró, gerente sênior de talento global do Ebanx, que atende marcas como Spotify.

Entre as 800 candidatas inscritas, foram selecionadas três profissionais para a área de finanças –as vagas eram para controladoria, contabilidade e tesouraria.

As etapas incluíram inscrição, prova online com teste de lógica, dinâmica em grupo e entrevista com os gestores na fase final.

Patrícia lembra que, durante o processo, experiências em outras áreas –e não necessariamente as vivências profissionais– também podem ajudar o entrevistado.

"O que a gente mais tenta identificar nos processos é esse potencial de realização, seja com a família ou em eventos dentro do ambiente em que o candidato está inserido", afirma Patrícia.

Thalita Paula dos Santos, 27, foi uma das selecionadas para ser trainee da Ebanx. Apesar de ter começado há pouco tempo, ela destaca que uma das vantagens é ter acesso a diversas áreas dentro da empresa.

Segundo Patrícia, esse acesso acontece por meio do "job rotation" (na tradução, rotação de trabalho) em que os trainees têm contato com diferentes áreas financeiras da empresa para avaliarem com qual setor se identificam. Assim, ao final do programa, elas decidem em qual área desejam permanecer.

"O contato com outras áreas fornece não só aprendizagem. Você também sabe a quem recorrer em casos de dúvidas. Trainee não é para você entrar sabendo", diz Thalita.

Inscrições para programa de treinamento da Folha vão até 18 de fevereiro

As inscrições para o 66º Programa de Treinamento em Jornalismo Diário da Folha, o segundo exclusivo para profissionais negros, vão até 18 de fevereiro. O critério de cor é a autodeclaração.

Pessoas formadas em qualquer área de conhecimento e estudantes universitários de todo o país podem se inscrever. O treinamento terá duração de três meses, acontecerá em meio período e será híbrido, com atividades remotas e presenciais, dependendo do controle da pandemia.

Clique aqui para se inscrever,

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.