Descrição de chapéu Grande São Paulo

Com orquidário e trilha noturna, parque é respiro no meio de Guarulhos

Bosque Maia é destino de famílias em busca das quadras, pista de skate e brinquedos infantis

Mara Gama
São Paulo

O Recanto Municipal da Árvore, conhecido por Bosque Maia, traz um respiro a Guarulhos, com área verde de 170 mil metros quadrados. 

O parque é lotado em dias ensolarados. Ao longo da semana, recebe 5.000 visitantes diários em média, número que chega a 15 mil nos finais de semana. Nas férias escolares, são até 20 mil frequentadores por dia.

Quatro quadras poliesportivas, pista de skate, lago artificial, campinho de areia, pista de três quilômetros para caminhadas, brinquedos e um chafariz —que faz a farra das crianças— atraem moradores de vários bairros.

Bruna Cardoso, 25, mora no Vale dos Machados, a cerca de quatro quilômetros do Bosque Maia, e vai a pé até o parque para se exercitar. Gasta 30 minutos para chegar. 

Ela leva junto a cadelinha Nelinha, adotada há dois anos. “São poucas as áreas verdes de Guarulhos, e o Bosque é a mais importante. Venho aqui para ver as pessoas”, diz.

Tombado como patrimônio público municipal, o local possui também um Centro de Educação Ambiental. Ali, são realizadas oficinas como hortas em pequenos espaços, reaproveitamento de materiais recicláveis, compostagem e minhocário, além de palestras educativas.

Para quem quiser se aventurar pela reserva local de Mata Atlântica, há um trajeto de cerca de um quilômetro que passa pela nascente de água que abastece os lagos do parque, além de espécies nativas como pau-brasil, o palmito juçara, pitangueiras, ipês, e pássaros como biguás e garças.

As trilhas podem ser feitas por crianças a partir dos quatro anos e grupos de até 30 pessoas. Há ainda uma opção de passeio noturno, para até 20 pessoas. Elas devem ser reservados com antecedência pelo telefone (11) 2482-1667. 

O trajeto também passa pelo Orquidário Municipal, que abriga mudas resgatadas de uma área da Serra da Cantareira que foi desmatada para as obras do trecho norte do Rodoanel, no bairro do Cabuçu, há quatro anos. 

De lá foram retirados 3.000 exemplares de orquídeas de várias espécies. Aos sábados e domingos, funcionários da prefeitura esclarecem dúvidas sobre o plantio e a manutenção dessas espécies. 

A próxima oficina do SOS Orquídeas está marcada para quinta-feira (22), das 8h às 10h30 e das 13h às 15h30, e sábado (24), das 10h às 11h. Para quem quer aprender a cultivar a flor, as aulas acontecem nas duas próximas quartas-feiras (21 e 28), das 10h às 11h.

O orquidário tem como função estimular o conhecimento da comunidade sobre a biodiversidade local, a partir do estudo das espécies de orquídeas, bromélias e outras plantas epífitas com ocorrência na Mata Atlântica. 

Segundo a organização, as oficinas também servem para alertar os visitantes sobre a importância do combate ao comércio ilegal de orquídeas.

Rosalice Sousa, 32, frequenta o bosque nos finais de semana desde que veio da cidade de Presidente Prudente, no interior de São Paulo, aos 17 anos. Ela levou recentemente seu filho Lucas, 3, para passar a tarde de seu aniversário e fazer fotos soprando velinhas num bolo confeitado. 

“Apesar de não ser um parque muito grande, tem brinquedos para as crianças mais velhas e essa área de piquenique para os pequenos”, disse. 

A cerca de quatro quilômetros de lá —50 minutos a pé ou 17 minutos de carro— está o Lago dos Patos. Ali, desde os anos 1930, um pequeno lago de água doce foi formado, cercado de vegetação. Tem uma área de aproximadamente 20,5 mil metros quadrados.

Além de uma pista de corrida, há pedalinhos e aparelhos de ginástica. 

Em torno do lago, na Praça Cícero Miranda, 75, estão o Museu Histórico e Biblioteca Municipal de Guarulhos. O museu fica aberto de terça a sábado, das 9h às 17h; e a biblioteca, de segunda a sexta, das 8h15 às 16h45. Há ainda  ali o Teatro Nelson Rodrigues.

Obras de arte e cursos gratuitos esperam visitante no Sesc

Em menos de três meses de atividade, mais de 400 mil pessoas já passaram pela porta de entrada e viram as obras em grande escala de dois artistas brasileiros contemporâneos que recebem o público na nova unidade do Sesc em Guarulhos

“Tintas Polvo e as Cores Dos Brasileiros”, de Adriana Varejão, e “Já Estava Assim Quando Cheguei”, de Carlito Carvalhosa, se destacam no átrio generoso do prédio, inaugurado em maio.

Situado no bairro Jardim Flor do Campo, o local tem atividades para todas as faixas etárias, cursos gratuitos de cinema, literatura, esportes e horários para treinos de futebol, handebol, tênis e vôlei.

A música e a educação ambiental são as vocações mais destacadas. São dez estúdios individuais e quatro salas para práticas e ensaios. Além do teatro com 350 lugares, o ginásio poliesportivo pode ser usado para grandes shows, com capacidade de 3.600 pessoas. Neste domingo (18), haverá ali show do Fundo de Quintal. 

A agenda cultural do espaço inclui também, até 29 de setembro, uma mostra de xilogravura com trabalhos de 33 artistas brasileiros, em produções realizadas a partir da década de 1990. 

Para o aprendizado socioambiental, há uma maquete topográfica da região, estações de realidade aumentada e, na área externa do prédio, jardins, horta, ervanário e composteiras.

O centro de estudos ambientais tem educadores que ajudam a mostrar aos visitantes aspectos da hidrografia e da ocupação urbana, por meio de projeções da fauna e da flora em realidade aumentada, e minidocumentários sobre bairros mais antigos, como o Cabuçu. 

Um mapa interativo mostra rios, ruas, áreas de preservação, ilhas de calor e outras informações sobre Guarulhos. Placas táteis apresentam espécies botânicas e animais da região às pessoas com deficiência visual. 

A própria infraestrutura do prédio tem vocação didática, como os 21 bebedouros com display digital que, enquanto você bebe, mostra o total de garrafas que deixaram de ser descartadas.

Com 34 mil metros quadrados de área construída, o edifício tem três pavimentos que abrigam também área de exposição, conjunto aquático, campo de grama sintética, quadra poliesportiva, sala de ginástica, espaço de tecnologias e artes, clínica odontológica, biblioteca e espaço de brincadeiras.

Mantendo os padrões para as unidades do Sesc no estado, o prédio de Guarulhos foi projetado após concurso de arquitetura —vencido pela Dal Pian arquitetos associados— e segue parâmetros sustentáveis. 

Para melhor aproveitamento da luz natural, o prédio tem algumas paredes e teto de vidro e um sistema digital de compensação: em caso de baixa iluminação natural é acionada a luz artificial. Placas solares no topo aquecem as águas de piscinas. 

A água de chuva é usada para irrigar a área verde de cerca de 5.000 metros quadrados, com 130 espécies vegetais, e também para os sanitários. 

Foram instalados também jardins de chuva, um sistema de rebaixamento do solo para coleta de águas pluviais através de aberturas delimitadas em seu entorno. Eles absorvem excessos e reduzem risco de enchentes. 

Bosque Maia
cruzamento das avenidas Paulo Faccini e Papa João XXIII, s/nº. Aberto todos os dias, das 6h às 22h.

Lago dos Patos
rua Francisco Gonzaga Vasconcelos, s/ n°. Aberto todos os dias, 24 horas.

Sesc Guarulhos
rua Guilherme Lino dos Santos, nº 1200. Abre de terça a sexta, das 9h às 21h30; sábados, das 9h às 20h; e domingos e feriados, das 9h às 18h

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.