Descrição de chapéu Grande São Paulo

Empreendimentos de alto padrão dominam a região central de Osasco (SP)

Construtoras investem em áreas de lazer com piscina, quadra de tênis e jacuzzi para conquistar famílias

Funcionário na obra do empreendimento The House São Francisco, da construtora Ekko Group, na Vila Yara, em Osasco

Funcionário na obra do empreendimento The House São Francisco, da construtora Ekko Group, na Vila Yara, em Osasco Zanone Fraissat/Folhapress

Flávia G. Pinho
São Paulo

Um tanto esquecido nos últimos anos, o centro de Osasco está na mira das construtoras. O padrão de lançamentos na cidade da Grande São Paulo mudou de empreendimentos em bairros mais afastados, que se enquadram no programa Minha Casa Minha Vida, para condomínios-clube repletos de opções de lazer, nas regiões mais centrais e valorizadas do município.

O que não mudou foi o ritmo de crescimento. Nos últimos três anos, Osasco é a cidade com maior número de lançamentos na Grande São Paulo, com exceção da capital. Foram 2.579 em 2018 e 739 no primeiro semestre deste ano, de acordo com dados do Secovi-SP (sindicato de habitação de São Paulo). 

Uma das incorporadoras mais atuantes na cidade, a Ekko Group tem atualmente seis empreendimentos em curso —quatro deles em obras e dois prestes a ser lançados. 

O foco da empresa, segundo seu presidente-executivo, Diego Dias, são os bairros de alto padrão, como Bela Vista e Vila São Francisco. 

“Construímos torres servidas por clubes completos, voltadas para as classes A e B. Osasco tem um público com renda familiar elevada, entre R$ 8.000 e R$ 20 mil, que busca essa comodidade com segurança”, afirma.

Com lançamento previsto para outubro, o Garden São Francisco será o maior do portfólio da Ekko. 

Nas duas torres de 38 andares, parte dos 292 apartamentos, de até 306 metros quadrados, terá vista para o São Franscico Golf Club. Todas as unidades vão dispor de varanda gourmet equipada com churrasqueira. 

Generosa, a área de lazer de 11 mil metros quadrados vai incluir uma quadra de grama sintética e outra de tênis com medidas oficiais, piscina com borda infinita, salão de beleza, quatro tipos de academia de ginástica e spa com jacuzzi. 

Perto dali, o The House São Francisco já está em construção. São 151 apartamentos com três suítes e um clube à disposição dos moradores. Fazem parte do cardápio quatro piscinas, quadras, coworking equipado, bar, sala de jogos, brinquedoteca, academia, sauna e bicicletas compartilhadas, entre outras mordomias.

Cerca de 90% das unidades foram arrematadas no mês do lançamento do projeto, segundo a construtora. 

A Ekko também foca em jovens de classe alta que estão adquirindo o primeiro apartamento. Recém-lançado, o Smart 18 fica no bairro Quitaúna, próximo a duas estações de trem. 

Entre as 98 unidades, as plantas menores são estúdios de 35 metros quadrados, com varanda gourmet e suíte, enquanto as maiores são dúplex de 114 metros quadrados, também com uma suíte. 

Lavanderia compartilhada, sala de games, espaço zen e coworking estão entre as comodidades do condomínio.

Os apartamentos custam a partir de R$ 227,5 mil. 

“Essa é nossa linha compacta, com preço mais atraente para quem está adquirindo a primeira casa própria”, afirma o presidente da Ekko. 

O valor do metro quadrado é apontado por especialistas  como um dos grandes trunfos de Osasco

“Basta cruzar a ponte para o preço cair. Chega a ser 40% menor, quando comparado a bairros da zona oeste paulistana, como Vila Leopoldina e Butantã. Muita gente pensa em ficar na capital, mas vê que não encaixa no bolso e vai chegando até Osasco, onde encontra empreendimentos como o nosso”, diz Alexandre Tagawa, publicitário da Eztec. 

Ele se refere ao complexo Jardins do Brasil, bairro planejado que terá seu quinto e último empreendimento, o Reserva JB, lançado oficialmente neste mês na avenida Hilário Pereira de Souza, conhecida como Superavenida pela ampla oferta de serviços e comércio. 

O complexo, que ocupa terreno de 70 mil metros quadrados, já dispõe de três prédios residenciais e um centro empresarial com salas comerciais —85% das unidades estão vendidas, segundo a Eztec.

Piscinas coberta e ao ar livre, cercada de bangalôs, salão de beleza e de jogos, salas para prática de ginástica, ioga e luta, salão gourmet, brinquedoteca e espaço para estudo integram a estrutura de lazer. 

Tagawa chama atenção para a localização privilegiada: além de ficar entre os shoppings União e SuperShopping, em Osasco, o local está a cerca de sete quilômetros do Parque Villa-Lobos, em São Paulo. 

“A Superavenida foi totalmente revitalizada e pertence a um dos quadriláteros mais valorizados de Osasco, entre as avenidas Franz Voegeli, dos Autonomistas e Maria Campos”, emenda o publicitário.

O público-alvo da Eztec são famílias com renda entre R$ 12 mil e R$ 15 mil, que buscam unidades espaçosas com até quatro dormitórios. 

“O centro administrativo do Bradesco, que fica a três quilômetros dali, têm muitos funcionários que buscam esse tipo de apartamento. Mas estimamos que 35% dos moradores trabalham em São Paulo e se deslocam diariamente”, diz.

Para o coordenador de inteligência de mercado do Grupo Zap, Coriolano Lacerda, a acomodação dos preços pós-crise promete manter o ritmo de crescimento de Osasco nos próximos anos. 

Ao mesmo tempo em que o preço médio do metro quadrado caiu de R$ 6.300 para R$ 5.500, o tamanho médio das unidades diminuiu. Com isso, os lançamentos tornaram-se mais atraentes, explica Lacerda.

E não faltarão terrenos disponíveis, avalia o presidente  da Ekko Group. No curto prazo, entre dois e três anos, ele aposta no crescimento dos bairros Presidente Altino e Quitaúna, também conhecido como Km 18. 

“Ficam perto de estações de trem, têm fácil acesso à Marginal Pinheiros e ainda são bastante horizontais. É ali que Osasco vai crescer no futuro.” ​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.