Volvo traz ao país novo sedã de R$ 200 mil para concorrer com BMW e Mercedes

Modelo S60 chega ao Brasil com motor turbo e sistema de frenagem automático

Eduardo Sodré
Santiago

A montadora sueca Volvo volta a investir no segmento de sedãs médios de luxo com a nova versão do S60. O modelo é fabricado nos Estados Unidos e chega ao Brasil em três opções.

A marca afirma que seu objetivo é mostrar que o veículo oferece o mesmo desempenho e status que os concorrentes alemães. Hoje, Audi A4, BMW Série 3 e Mercedes Classe C dominam esse mercado, que é um dos mais rentáveis da indústria. Os preços iniciais beiram os R$ 200 mil.

“Agora chegamos de verdade para competir com os alemães. A versão anterior do S60 não estava à altura do que nós precisávamos”, diz Luis Rezende, responsável pelas operações da Volvo Cars na América Latina.

Novo Volvo S60 no Autódromo Internacional de Codegua, no Chile Divulgação
Novo Volvo S60 no Autódromo Internacional de Codegua, no Chile Divulgação - Divulgação

A montadora promoveu um test drive de 180 km pelo Chile, um bate-volta entre Santiago e a cidade de Codegua.

A versão avaliada, T5 Momentum, tem motor 2.0 turbo com 254 cv de potência e custa R$ 229.950. A montadora faz questão de destacar que a forração é de couro natural, enquanto rivais alemães utilizam material sintético.

A evolução mais notável está na cabine. O novo modelo recebe melhor os passageiros do banco traseiro que a geração anterior, com pouco espaço para pernas e cabeças.

A nova linha remete aos Volvo do fim dos anos 1990, época em que o desenho quadradão começou a ser substituído por um estilo mais fluido.

Em movimento, o S60 cumpre o que promete: pode até não ser superior aos concorrentes alemães, mas está no mesmo nível. Roda em silêncio, acelera com disposição e traz todos os equipamentos mais desejados do segmento.

A central multimídia com tela sensível ao toque concentra os ajustes de som e de climatização, além de permitir a conexão de smartphones via Apple Car Play ou Android Auto. É um sistema bonito de se ver, mas confuso.

Regular o ar-condicionado exige uma sequência de comandos mais complexa do que simplesmente apertar ou girar um botão. Ao menos o carro é capaz de frear sozinho e de se manter em sua faixa de rolagem caso o motorista se distraia com seus gadgets.

O jornalista viajou a convite da Volvo

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.