Empresas de tecnologia criam recursos para alertar sobre vício em smartphones

Google, Facebook e Apple testam maneiras de avisar usuários sobre o uso excessivo do celular

Rachel Jacoby Zoldan
Nova York | The Wall Street Journal

Aderir a um regime de sucos detox pode ajudar uma pessoa a perder peso suficiente para que as calças sirvam até o final da semana, mas quando chega a segunda-feira é provável que ela volte a comer demais e recupere todo o peso perdido, e quem sabe ganhe até uns quilos a mais. O mesmo vale para os chamados "detox digitais".

Abandonar completamente o uso de aparelhos eletrônicos talvez ajude uma pessoa a se desconectar em curto prazo, mas o alerta de uma notificação pode bastar para que o vício retorne com toda a força.

Sombra de pessoas olhando para os celulares com logo do Facebook atrás
Grandes empresas de tecnologia como Facebook, Google e Apple passaram a disponibilizar recursos para diminuir o vício em celulares - Dado Ruvic/Reuters

"O método mudou, de abandonar completamente as conexões para tentar limitar o tempo passado online", disse Michelle Evans, analista de dados de consumo da Euromonitor, uma empresa londrina de pesquisa de mercado.

Agora, grandes empresas de tecnologia como Apple, Google e Facebook – até recentemente devotadas a estimular o vício em aparelhos – estão tentando ajudar os usuários a combater seus maus hábitos, de maneira balanceada, em busca do "bem-estar digital".

No mês passado, a Apple começou a distribuir a nova versão de seu sistema operacional, iOS 12, e dispõe de instrumentos para limitar o tempo de uso dos aparelhos, ou ao menos para conscientizar o usuário quanto a isso.

A função "não perturbe", que costuma ser muito útil para as pessoas sempre distraídas, recebeu uma atualização elegante que permite que o usuário oculte notificações por períodos determinados – uma hora aqui e acolá, ou a noite inteira quando ele for dormir.

O painel de controle de "tempo de tela", na seção de configurações da central de controle, resume a atividade diária e semanal do usuário, detalha quanto tempo ele dedicou a mídias sociais e o número de vezes que verificou o telefone, classifica os aplicativos com base no número de notificações que enviam e revela detalhes sobre hábitos repreensíveis.

 

O Facebook reformulou dramaticamente o algoritmo de seu Newsfeed, meses atrás, para personalizar a experiência do usuário – removendo publicações de marcas e veículos noticiosos e priorizando, por exemplo, fotos dos bichos de estimação dos amigos.

Agora, a rede social está introduzindo mudanças que registram o tempo total de uso da rede, na categoria Seu Tempo da aba Facebook, no controle de configurações.

O Instagram, controlado pelo Facebook, também adicionou recursos que registram o tempo dedicado à plataforma, em uma aba chamada Suas Atividades, nas configurações, e adotou um novo recurso que busca ajudar o usuário ao envergonhá-lo: um novo marcador de "você já viu todas as atualizações" avisa ao usuário que ele não precisa continuar rodando a tela.

Mas muitos desses novos recursos estão escondidos nos menus e não bastarão para arrancar o celular da mão do usuário, e por isso só servem para as pessoas que estejam tentando ativamente reduzir seu uso de smartphones.

O Google Wellbeing – disponível em versão beta para celulares Android – talvez seja o melhor desses novos produtos, no que tange a aconselhar sobre como combater o vício: o usuário tem acesso a dados sobre seus hábitos de uso do aparelho, como nos sistemas concorrentes, o que inclui um registro do número de desbloqueios da tela do aparelho.

O sistema também permite que o usuário se desconecte quando determinar (derrubando da tela qualquer app para o qual tenha estabelecido um tempo limite de uso). A função "relaxar" lembra ao usuário que a hora de dormir está chegando. A tela passa a funcionar em escala cinza e todas as notificações são interrompidas.

O Gmail permite que o usuário estabeleça notificações de alta prioridade, para que o celular só avise sobre a chegada de mensagens importantes. E os usuários do Google Calendar estão sendo convidados a estabelecer um "horário de trabalho", com o objetivo de criar separação entre o tempo livre e o de trabalho. O recurso recusa automaticamente convites para compromissos que não se enquadrem aos limites de horário estabelecidos.

Para as pessoas viciadas em YouTube, as configurações agora permitem ativar uma mensagem automática de "faça uma pausa", especificando intervalos de cinco minutos para que o usuário estique as pernas.

Estar informado é metade da batalha. O que você fará quanto a esses dados é decisão sua. Mas, por favor, não importa o que venha a decidir, não publique um post sobre isso no Facebook.
 
Tradução de PAULO MIGLIACCI

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.