Descrição de chapéu The Wall Street Journal

Nova estratégia da Apple é vender primeiro os iPhones mais caros

Lançamentos dão à companhia um mês para vender modelos de ponta sem concorrente mais barato

Nova York | The Wall Street Journal

Pelo segundo ano consecutivo, a Apple vai começar a vender seus novos modelos de iPhone em momentos diferentes –mas desta vez, os modelos mais caros chegarão primeiro ao mercado.

No ano passado, o lançamento do iPhone X, o modelo de topo de linha da empresa, veio seis semanas depois que a Apple lançou dois modelos novos de preço mais baixo, por conta do que o The Wall Street Journal e outras publicações descreveram como atrasos de produção envolvendo sua avançada tela OLED (diodo orgânico emissor de luz).

Este ano, de acordo com pessoas familiarizadas com os planos de produção da Apple, a empresa priorizou a produção de seus dois modelos mais caros com telas OLED, o iPhone XS e o iPhone XS Max, cujos preços começam em cerca de US$ 1 mil (R$ 4.130). Os dois chegarão às lojas nesta sexta-feira (21), seguidos cinco semanas mais tarde pelo modelo novo menos dispendioso, o XR, com tela LCD e preço inicial de US$ 749 (R$ 3.093).

Os lançamentos escalonados dão à Apple um mês para vender os modelos de ponta sem um concorrente mais barato oferecido por ela mesma. O cronograma também simplifica a logística e a demanda do varejo, e pode ampliar a capacidade da Apple para prever as vendas e a produção dos três modelos até a temporada natalina, disseram analistas e especialistas em cadeias de suprimento.

"É uma espécie de leilão reverso", disse Josh Lowitz, cofundador da Consumer Intelligence Research Partners, uma empresa de pesquisa, em referência à prática de começar com uma pedida alta e depois baixar a pedida até que um comprador a aceite. "As pessoas mais interessadas pagarão para ter acesso rápido. Depois você chega às pessoas que estão fazendo uma escolha e podem aceitar o celular de US$ 750. Essa pode se tornar a nova norma do mercado".

Uma porta-voz da Apple disse que a empresa lança seus produtos quando eles estão prontos.

Até o ano passado, a Apple lançava um máximo de dois iPhones novos por ano. No ano passado, lançou três, e aumentou os preços: o iPhone X, com preço de quase US$ 1 mil (R$ 4.130), o primeiro aparelho a abandonar o botão home, e a adotar tecnologia de reconhecimento facial; e os iPhones 8 e 8 Plus, que mantinham o botão home tradicional e tinham preço inicial de US$ 699 (R$ 2.886).

A Apple colocou o iPhone 8 e o iPhone 8 Plus à venda em setembro do ano passado, mas o iPhone X foi postergado até novembro, por conta dos problemas de produção –o que representou a primeira ocasião em que a Apple lançou iPhones, seu principal produto, em datas diferentes. Essa abordagem prejudicou as vendas dos modelos iPhone 8, porque muitos compradores preferiram esperar pelo lançamento do iPhone X.

Este ano, a Apple decidiu seguir caminho diferente. A empresa e seus fornecedores começaram a produzir em larga escala os modelos iPhone XS mais cedo do que começaram a produzir o modelo iPhone XR, de acordo com pessoas informadas sobre os planos de produção. A empresa também começou a planejar o modelo com tela LCD depois de planejar o modelo OLED, disseram essas pessoas.

Os aparelhos oferecem recursos significativamente diferentes. Os modelos iPhone XS têm telas de entre 5,8 e 6,5 polegadas, e os dois têm capacidades de toque 3D e sistemas de câmera duplos. Enquanto isso, o iPhone XR, de 6,1 polegadas, tem toque háptico e uma única câmera montada na traseira.

As telas OLED são mais finas, não precisam de retroiluminação e oferecem contraste maior que as tradicionais telas de cristal líquid (LCD). As telas OLED do XS também são mais caras que as telas LCD do XR, o que contribui para a diferença de preços, dizem os analistas.

Mas ainda assim os modelos OLED devem ser muito mais lucrativos para a Apple. A estimativa de custo de produção do XR é de US$ 331 (R$ 1.367), enquanto o XS e o XS Max têm custo de produção respectivo de US$ 355 (R$ 1.466) e US$ 371 (R$ 1.532), de acordo com Mendi Hosseini, analista da trading Susquehanna International Group - uma distância muito menor do que aquela que existirá entre seus preços no varejo.

A Apple antecipa que venderá mais iPhones XR do que XS e XS Max, dizem analistas, A empresa ordenou a produção de 38 milhões de unidades do iPhone XR, 32 milhões de unidades do iPhone XS e 13 milhões de unidades do iPhone XS Max, de acordo com o banco UBS. Ela também continuará a vender modelos mais antigos com telas LCD, entre os quais o iPhone 7, o iPhone 7 Plus, o iPhone 8 e o iPhone 8 Plus.

Com a Apple priorizando os modelos mais caros no início do ciclo, e dando ao XR um preço inicial US$ 50 (R$ 206,5) mais alto que o do modelo menos dispendioso do ano passado, diversos analistas estimam que ela deva elevar seu preço médio de venda em cerca de 6% em seu próximo ano fiscal.

"A esse preço, eles venderão muitos XRs", disse Timothy Arcuri, analista do UBS.

Além de dar à Apple uma oportunidade de avaliar a demanda inicial pelo iPhone XR, o lançamento escalonado permitirá que simplifique seus estoques e as promoções por cadeiras de varejo parceiras como a Best Buy e AT&T, disse John Haber, consultor de cadeias de suprimento da Spend Management Experts. Isso poderia permitir que os varejistas dediquem setembro e outubro a promover os modelos de preço mais alto, antes de redirecionar esforços ao iPhone XR, mais barato, antes da Black Friday.

"É difícil ter tudo perfeito para um só lançamento, e três novos lançamentos são um problema muito complexo", disse Haber, "A empresa dependerá muito do varejo para lidar com a logística".
 
Tradução de PAULO MIGLIACCI

Tripp Mickle, Yoko Kubota e Takashi Mochizuki
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.