Descrição de chapéu The Wall Street Journal

Amazon deve ser a terceira maior empresa de publicidade digital nos EUA, em 2018

Gigante da tecnologia deve gerar US$ 4,6 bi em receita publicitária, ainda abaixo do Google e do Facebook

Alexandra Bruell
Nova York | The Wall Street Journal

A Amazon deve subir no ranking dos principais vendedores de publicidade digital nos Estados Unidos em 2018 graças a uma aceleração no crescimento de sua receita publicitária e a mudanças na contabilidade da empresa, segundo a previsão do grupo eMarketer.

A gigante da tecnologia deve gerar US$ 4,6 bilhões (R$ 19 bilhões) em receita publicitária nos Estados Unidos, superando a Oath, da Verizon, e a Microsoft no ranking da eMarketer, chegando à terceira posição do ranking, mas ainda bem abaixo dos pesos pesados do setor, Google e Facebook.

A eMarketer estimou que a Amazon terá uma fatia de mercado de 4,15%, bem acima dos 2,7% da previsão anterior, de março. O grupo de pesquisa citou o forte crescimento orgânico das receitas publicitárias da Amazon e alterações na contabilidade da empresa para explicar a alteração em sua projeção.

As mudanças contábeis envolvem reclassificar alguns serviços publicitários, antes contabilizados como custos de venda, e passar a contabilizá-los como receita, que respondem pela maior parte do ajuste na projeção da eMarketer.

Em termos de crescimento apenas, a pesquisa elevaria a projeção de fatia de mercado para a Amazon, o que colocaria a companhia no quarto posto do ranking, logo abaixo da Microsoft.

A Amazon atrai anunciantes que buscam informações quanto ao impacto de seu investimento publicitário sobre as vendas. Diferentemente do Google, parte do grupo Alphabet, e do Facebook, a Amazon dispõe desses dados de compras, disse Monica Peart, diretora sênior de projeções da eMarketer.

Google e Facebook continuam bem adiante da Amazon no ranking; controlarão 58% do mercado de publicidade digital dos Estados Unidos, faturando um total combinado de US$ 64 bilhões (R$ 264,6 bilhões).

O tráfego de buscas ampliado da Amazon, por conta de consumidores que buscam produtos em seu site, estimulou os negócios publicitários da empresa, dando a vendedores externos um motivo para gastar mais na compra de publicidade na Amazon, disse Peart.

A Amazon também facilitou, por meio de novos sistemas tecnológicos, a compra de publicidade por anunciantes que não estejam vendendo produtos no site da empresa.

"Vemos maior atração do que se poderia esperar, da parte dos anunciantes", disse Peart. "É um dos grandes motivos para que tenhamos considerado que talvez tivéssemos subestimado o tipo de crescimento que viria no primeiro semestre".

A receita da Amazon na categoria outros, que consiste primordialmente de vendas de publicidade, mais que dobrou no segundo trimestre, ante o período em 2017, para US$ 2,19 bilhões (R$ 9,05 bilhões).

Os comerciantes e marcas que já operam na Amazon estão entre os compradores de anúncios no site, além de escritores e outros anunciantes que dirigem publicidade a clientes da Amazon.

A eMarketer também projeta que a Amazon venha elevar sua receita com publicidade móvel em 242%, para US$ 1,61 bilhão (R$ 6,66 bilhões) em 2018, o que lhe dará 2,1% do mercado de publicidade móvel dos Estados Unidos.
 
Tradução de PAULO MIGLIACCI

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.