Huawei espera que receita cresça 21% em 2018, apesar de escrutínio internacional

Companhia chinesa é a segunda maior vendedora de smartphones do mundo

Hong Kong

A Huawei Technologies deverá registrar uma alta de 21% na receita em 2018, para US$ 109 bilhões (R$ 425 bilhões), disse o presidente do conselho, marcando o ritmo mais rápido de crescimento de negócios da gigante chinesa em dois anos, apesar das investigações globais sobre suas atividades.

Em seu discurso de ano novo para os funcionários, Guo Ping também disse que a Huawei assegurou 26 contratos de 5G, tornando-se a maior fornecedora de 5G no mundo, e espera que seus embarques de smartphones superem 200 milhões de unidades em 2018.

A Huawei é a maior fabricante de equipamentos de telecomunicações do mundo e a segunda maior vendedora de smartphones. A empresa sofreu pressões internacionais este ano, depois que os Estados Unidos e seus aliados, incluindo a Austrália e a Nova Zelândia, começaram a barrar seus equipamentos devido a preocupações de que poderiam permitir espionagem da China, o que a Huawei nega.

Logo da Huawei em prédio da companhia em Dongguan, no sul da China
Logo da Huawei em prédio da companhia em Dongguan, no sul da China - Nicolas Asfouri/AFP

A diretora financeira da empresa, Sabrina Meng, que também é filha do fundador Ren Zhengfei, foi presa e libertada sob fiança no Canadá no início deste mês, enquanto os EUA alegam que ela fraudou bancos com transações relacionadas ao Irã.

A Reuters informou nesta quinta-feira, citando fontes, que a Casa Branca está estudando apresentar uma ordem executiva em janeiro para impedir que empresas norte-americanas utilizem equipamentos de telecomunicações feita pelas duas maiores fabricantes da China, Huawei e ZTE.

A Huawei e a ZTE não comentaram o assunto.

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.