Toyota anuncia finalistas de desafio que reinventa cadeira de rodas

Projeto de US$ 4 mi escolheu projetos dos EUA, Japão, Itália e Reino Unido durante a CES

São Paulo

A Fundação Toyota de Mobilidade anunciou, durante a feira de tecnologia CES, em Las Vegas, os cinco finalistas de um desafio de US$ 4 milhões (R$ 14,8 milhões) dedicado à reinvenção da cadeira de rodas.

Entre os escolhidos estão projetos como um esquema de compartilhamento de cadeiras de rodas e um exoesqueleto híbrido sobre rodas. 

Os finalistas são dos Estados Unidos, Itália, Reino Unido e Japão, e estudam seus modelos há três anos. As equipes terão mentores e um subsídio de de US$ 500 mil para a finalização dos protótipos, que serão apresentados em uma cerimônia em Tóquio no próximo ano.

O Moby, desenvolvido pela italiana Italdesign, é uma cadeira elétrica que exige pouco esforço do usuário e pode ser estacionada em uma plataforma que permite o compartilhamento com outras pessoas. A reserva pode ser feita via aplicativo. 

Projeto Moby, desenvolvido pela Italdesign, da Itália; o cadeirante pode usar um veículo compartilhado
Projeto Moby, desenvolvido pela Italdesign, da Itália; o cadeirante pode usar um veículo compartilhado - Divulgação

A japonesa Qolo projetou uma cadeira inteligente que dá opção de sentar e levantar, a depender da necessidade e capacidade da pessoa.

"O mundo é desenvolvido para pessoas que podem se levantar. Nosso desafio tecnológico é contribuir para um uma nova concepção de mundo", diz um dos integrantes da Qolo.

Outro projeto, o Phoenix Ai Ultralight  Wheelchair, do Reino Unido, pretende lançar um veículo estável e com um sistema que resiste ao impacto das ruas.

A cadeira se ajusta ao centro de gravidade para se adequar ao que o usuário está fazendo, o que torna o veículo fácil de empurrar e girar e elimina vibrações que gerem dor à pessoa. 

O The Evolwalk, da americana Evolution Devices, criou um dispositivo com sensores ligados à perna do usuário que estimulam os músculos certos para caminhada; e o Quix, da Ihmc & Myolyn, também dos EUA, desenvolveu um exoesqueleto móvel que permite mobilidade vertical. 

O concurso deu uma quantia inicial de US$ 50 mil para que os interessados criassem seus conceitos. Oitenta inscrições foram recebidas de 28 países. O projeto final vencedor será premiado com US$ 1 milhão.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.