Descrição de chapéu The Wall Street Journal

Apple vende iPhone na China em parcelas de R$ 118

Empresa fez parceria com o Alipay, de Jack Ma, dono do Alibaba, que empresta dinheiro a custo zero para compra de smartphones

Stella Yifan Xie
Hong Kong | The Wall Street Journal

Na esperança de revitalizar suas vendas na China, a Apple formou um parceria com a maior companhia mundial de tecnologia financeira para dar aos compradores do iPhone uma opção de compra acessível: financiamento com prazo de até dois anos, e sem juros.

A Apple e o serviço de pagamentos móveis chinês Alipay, controlado pelo Ant Financial, de Jack Ma, também dono do Alibaba, anunciaram na semana passada aos consumidores chineses que eles poderão tomar dinheiro emprestado a custo zero para adquirir produtos na loja online da Apple e pagar por eles em até 24 prestações mensais.

Pessoas em frente a uma loja da Apple em Pequim, na China; companhia tenta reverter a desaceleração da venda de iPhones em um dos maiores mercados do mundo
Pessoas em frente a uma loja da Apple em Pequim, na China; companhia tenta reverter a desaceleração da venda de iPhones em um dos maiores mercados do mundo - Greg Baker/AFP

No site chinês da Apple, o custo de um iPhone 8 parte de US$ 758 (R$ 2.835), e o do iPhone XR, modelo lançado em 2018 que empresa americana esperava viesse a ter vendas boas na China, parte US$ 967 (R$ 3.617).

O valor mínimo de compra para quem quiser se qualificar para a oferta de financiamento é de US$ 595 (R$ 2.225). Em janeiro, a Apple culpou a queda das vendas do iPhone na China, o maior mercado mundial de smartphones, pelo primeiro corte em sua estimativa trimestral de faturamento em mais de uma década. 

A gigante da tecnologia, sediada em Cupertino, Califórnia, vem perdendo terreno para rivais chineses que vendem smartphones por preços muito mais baixos e também mencionou a fraqueza na economia e o pessimismo dos consumidores da China.

Os embarques de smartphones da Apple para a China caíram 20% no quarto trimestre do ano passado ante mesmo período em 2017, segundo o grupo de pesquisa IDC.

O Alipay, do Ant Group, tem mais de 700 milhões de usuários ativos na China. O serviço Huabei —termo que quer dizer “só gaste”, em chinês—, que opera como um cartão de crédito virtual, é usado pelos consumidores para financiar todo tipo de transação, das compras do dia a dia a aquisições online de produtos, nos sites da gigante do comércio eletrônico Alibaba, que criou o Alipay mais de uma década atrás e promoveu sua cisão como empresa independente.

Cerca de um quarto dos chineses com idade de até 30 anos é usuário do Huabei, de acordo com um relatório do Ant em 2017. O estudo também apontou que a maioria desses usuários prefere comprar celulares pagando em prestações.

Traduzido do inglês por Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.