Uber paga R$ 12 bilhões por concorrente do Oriente Médio

Jogada garante posição estratégica da multinacional americana na região

São Francisco e Dubai | Reuters

A empresa global de transporte por aplicativo Uber gastará o equivalente a R$ 12 bilhões para adquirir a rival Careem, sediada em Dubai. Com a compra, a Uber assume posição dominante em uma região competitiva, pouco antes da tão aguardada oferta pública inicial de ações.

A Uber informou na noite da última segunda-feira (25) que pagaria R$ 5,4 bilhões em dinheiro e R$ 6,6 bilhões em notas conversíveis como parte de um acordo que lhe dá a propriedade total da Careem.

A transação encerra mais de nove meses de negociações entre as duas companhias e dá à empresa americana a tão necessária vitória após uma série de desinvestimentos no exterior.

As notas serão conversíveis em ações da Uber a um preço de R$ 213 cada, informou a empresa, marcando um aumento de quase 13% sobre o preço das ações em sua última rodada de financiamento liderada pelo SoftBank Group.

A aquisição torna a Careem uma subsidiária integral da Uber, que manterá a marca e o aplicativo da ex-concorrente intactos, pelo menos inicialmente.

Os cofundadores da Careem, Mudassir Sheikha, Magnus Olsson e Abdulla Elyas continuam na empresa depois da aquisição, disseram as companhias.

No entanto, a diretoria da Careem será revisada, com três assentos indo para representantes da Uber e dois pertencentes à Careem. Olsson e Sheikha, que é presidente executivo da Careem, terão assentos no conselho. Um porta-voz da Uber se recusou a dizer quem seria nomeado para o conselho.

O acordo está sujeito a aprovações regulatórias, inclusive por autoridades antitruste nos países onde a Careem opera, o que poderia impedir que o negócio avance ou obrigar as empresas a modificar os termos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.