Grupo japonês Softbank investe US$1 bi no aplicativo Rappi

Serviço de "entrega de tudo" é o primeiro a receber capital de fundo que destinará US$ 5 bilhões para startups da América Latina

FILIPE OLIVEIRA
São Paulo

O conglomerado japonês Softbank anunciou nesta terça-feira um investimento de 1 bilhão de dólares (R$ 3,95 bilhões) no aplicativo de entrega colombiano Rappi.

O investimento no Rappi é o primeiro do recém-criado Fundo de Inovação do Softbank, lançado em março, voltado para a América Latina e com expectativa de injetar US$ 5 bilhões em companhias iniciantes.

É o maior investimento de capital de risco já recebido por uma startup da América do Sul.

Outro veículo de investimento global da Softbank, o Vision Fund, também participará —cada um deles colocará US$ 500 milhões na companhia. A Rappi foi avaliada em 1 bilhão de dólares em sua última rodada de financiamento em setembro, apoiada pelo investidor DST Global.

0
Entregador do aplicativo Rappi no bairo do Itaim Bibi, em São Paulo - Eduardo Knapp - 31.jan.2019/Folhapress

O aplicativo, que começou a funcionar no Brasil em 2017, oferece serviço de delivery a partir do qual o consumidor pode pedir qualquer produto que deseje, a ser entregue por motoboy prestador de serviços da companhia.

Recentemente a startup vem apostando na ampliação de suas ofertas, incluindo também a possibilidade de contratar serviços e patinetes elétricas, a partir de parcerias com outras empresas, como GetNinjas, Singu e Grow.

A ideia, segundo executivos da empresa, é tornar a ferramenta um "super-app", inspirado no que existe no mercado chinês. No modelo, um mesmo aplicativo é usado para uma grande variedade de compras, serviços e pagamentos.

Nessa direção, Marcelo Claure, diretor de operações do Softbank e responsável pelo fundo da companhia para a América Latina, disse em nota acreditar que os fundadores do Rappitem a visão corajosa para criar o melhor super-app da região.
 

A startup tem como principais concorrentes as empresas iFood e Uber Eats, no ramo da alimentação

No Brasil, o Softbank já fez investimentos no aplicativo 99, mais tarde vendido para a chinesa Didi, e na startup de logística Loggi, que também usa o trabalho de entregadores parceiros. Em Internacionalmente, a Uber é uma das estrelas de seu portifólio. 

Além do Brasil, a Rappi está em outros seis países, incluindo México, Peru, Argentina, Chile e Uruguai. Segundo a companhia, o investimento permitirá a ela chegar a novos mercados.

A empresa também afirma estar registrando crescimento mensal de 20% nos mercados em que faz negócios.

Com Reuters

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.