Ações da Alphabet, dona do Google, caem mais de 7% com possível investigação

Facebook e Amazon também registram quedas, de 5% cada

São Paulo | Reuters

As ações da Alphabet, holding que controla o Google,  chegaram a recuar mais de 7% nesta segunda-feira, após notícias de que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos pode investigar o Google por prejudicar a concorrência.

A potencial investigação representa o mais recente ataque a uma empresa de tecnologia pelo governo Trump, que acusou as empresas de mídia social e o Google de reprimirem vozes conservadoras em suas plataformas online.

A capitalização de mercado do Google foi reduzida em US$ 54 bilhões. (R$ 210 bilhões). O Facebook e a Amazon recuavam cerca de 5% cada.
 

Ações da Alphabet caem; Facebook e Amazon têm queda de 5%
Ações da Alphabet caem; Facebook e Amazon têm queda de 5% - Arnd Wiegmann/Reuters

O analista Kevin Rippey, da Evercore ISI, cortou seu preço-alvo para as ações do Google em US$ 50, para US$ 1.200 a segunda menor em Wall Street e bem abaixo do preço-alvo médio de 1.350.

Ao longo do caminho, o Google fez inimigos no mundo da tecnologia, que se queixaram aos aplicadores da lei sobre seu domínio no mercado, e também em Washington, onde os parlamentares reclamaram de questões de sua suposta tendência política a seus planos para a China.

O analista Justin Post, do Bank of America Merrill Lynch, disse que uma possível investigação poderia levar a um desmembramento.

"Para desmembrar o Google, o Departamento de Justiça provavelmente teria que abrir um processo e convencer os juízes de que o Google minou a competição. É muito raro desmembrar uma empresa, mas não é inédito", escreveu Post em nota.

O Google também enfrentou uma interrupção generalizada no domingo, uma vez que experimentou altos níveis de congestionamento no leste dos Estados Unidos, afetando vários serviços no Google Cloud, no G Suite e no YouTube. A empresa disse mais tarde que identificou a causa e resolveu o problema, mas não deu mais detalhes.

 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.