Descrição de chapéu The Wall Street Journal

De olho no 5G, Apple deve comprar da Intel divisão de chip de modem

Acordo que cobrie patentes e funcionários estimado em US$ 1 bilhão poderá ser alcançado na próxima semana

Londres e Nova York | The Wall Street Journal

A Apple Inc. (AAPL 2,29%) está em negociações avançadas para comprar o negócio de chips para modems de smartphones da Intel, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. A medida impulsionaria o esforço da fabricante do iPhone para controlar o desenvolvimento de componentes críticos que abastecem seus dispositivos.

Um acordo, cobrindo um portfólio de patentes e funcionários avaliado em US$ 1 bilhão ou mais, poderá ser alcançado na próxima semana, segundo essas fontes —supondo que as negociações não desmoronem.

Embora o preço de compra seja pequeno para companhias avaliadas em centenas de bilhões de dólares, a transação seria importante estratégica e financeiramente.

Ela daria à Apple acesso ao trabalho de engenharia e aos talentos por trás do esforço da Intel para desenvolver chips modernos para a próxima geração de tecnologia sem fio conhecida como 5G, potencialmente economizando anos de trabalho de desenvolvimento.

A Apple tem trabalhado para desenvolver chips para diferenciar ainda mais seus dispositivos globalmente como um patamar de vendas de smartphones, pressionando os negócios do iPhone que há muito sustentam seus lucros. Ela contratou engenheiros, incluindo alguns da Intel, e anunciou planos para um escritório de 1.200 funcionários em San Diego, na Califórnia.

Para a Intel, um acordo permitiria que a empresa se livrasse de um negócio que estava pesando nos resultados: a operação de smartphones estava perdendo cerca de US$ 1 bilhão por ano, segundo uma pessoa familiarizada com seu desempenho, e geralmente não preenchia as expectativas.

Apesar de sair do negócio de smartphones, a Intel planeja continuar trabalhando na tecnologia 5G para outros dispositivos conectados.

Intel e Apple estão conversando de modo intermitente há cerca de um ano. Elas pararam quando a Apple fechou um acordo para fornecimento de modems durante vários anos com a IntelQualcomm Inc., segundo "The Wall Street Journal" relatou em abril.

A Intel lançou então uma rede maior para os compradores e recebeu manifestações de interesse de várias partes, mas as negociações com a Apple, há muito vista como o comprador mais lógico, logo foram retomadas.

O acordo de fornecimento da Apple com a Qualcomm —anteriormente o único fornecedor de modems para iPhone— fez parte da resolução de uma disputa legal de dois anos entre as empresas sobre royalties que a Qualcomm recebe por sua tecnologia sem fio.

Apple fechou um acordo para fornecimento de modems durante vários anos com a IntelQualcomm Inc - Greg Baker e Mandel Ngan/AFP

A Intel fez incursões com a Apple à medida que a contenda se agravava, mas anunciou após o acordo que está abandonando o desenvolvimento de modems para smartphones 5G —um esforço em que havia gasto uma década e bilhões de dólares—, citando que não vê um caminho claro para a lucratividade. A Intel comprou seu negócio de modems em 2011 da Infineon Technologies AG por US$ 1,4 bilhão.

As conversas entre a Apple e a Intel começaram no último verão, na época em que o ex-executivo-chefe da Intel Brian Krzanich renunciou, disseram pessoas a par do assunto. Krzanich defendeu os negócios de modems e elogiou a tecnologia 5G como um grande fluxo de receita futura.

Quando Bob Swan foi nomeado para esse cargo em janeiro, analistas disseram que as chances de um acordo aumentaram porque seu foco em limpar a Intel exigiria lidar com as perdas no negócio de modems.

A Intel é a mais recente fornecedora da Apple a sair de um negócio depois que a fabricante do iPhone começou a desenvolver peças internamente. No final do ano passado, a Apple aceitou um acordo de US$ 600 milhões para adquirir 300 engenheiros e instalações da Dialog Semiconductor PLC, enquanto a empresa desenvolve cada vez mais os chips de gerenciamento de bateria que a Dialog forneceu.

A Apple relutou em fechar grandes negócios no passado, preferindo adquirir cerca de 15 a 20 pequenas empresas por ano que possuíam tecnologia que fosse facilmente integrada. Mas com a desaceleração em seus negócios do iPhone a empresa se tornou mais aberta a acordos maiores.

Tem gasto suas gigantescas reservas em recompras de ações e dividendos, mas ainda tem um fundo de guerra substancial, com US$ 113 bilhões em caixa, descontada a dívida, em 30 de março. Seu maior acordo continua sendo a aquisição por US$ 3 bilhões da Beats Electronics LLC em 2014.

A Apple deve divulgar seus resultados do terceiro trimestre fiscal na próxima semana. Os resultados da Intel devem chegar no final desta semana.

Tradução de Luiz Roberto Mendes Gonçalves 

Dana Cimilluca, Cara Lombardo e Tripp Mickle
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.