Smartphone dobrável da Samsung chega ao Brasil por R$ 13 mil

Um ano após o lançamento oficial, aparelho chega ao país; venda será feita online

São Paulo

Quase um ano após o lançamento internacional, a Samsung anunciou nesta sexta-feira (17) que venderá seu celular dobrável, o Galaxy Fold, no Brasil por R$ 13 mil.

O smartphone da marca é o primeiro da onda de dobráveis a ser comercializado no país. As vendas iniciam na quarta (22), a partir das 21h. 

Ele será ofertado por 24h na loja online da fabricante. A prática é chamada de "flash sale" (venda rápida, na tradução do inglês) e busca testar a recepção do público —nesse caso, em função do preço. Será o celular mais caro do país. 

Desta sexta (17) até quarta (22), interessados em receber informações sobre o dispositivo podem realizar um pré-registro no site da empresa. Será possível testar o aparelho em lojas físicas.

Smartphone dobrável Galaxy Fold, da Samsung.  Aparelho na versão 5G foi apresentado durante a CES em Las Vegas
Smartphone dobrável Galaxy Fold, da Samsung. Aparelho na versão 5G foi apresentado durante a CES em Las Vegas - AFP

A utilidade de um celular dobrável, uma moda na indústria global, é ter a experiência de usá-lo fechado para tarefas simples e práticas, e aberto para outras atividades, como jogar ou assistir a vídeos.

Quando aberta, a tela tem tamanho de 7,3 polegadas e fica semelhante a um tablet. Segundo a marca, até três aplicativos podem ficar abertos para uso simultâneo. O usuário consegue fazer chamadas em vídeo sem precisar fechar outros aplicativos.

Para suportar mais tempo de uso, o celular possui um sistema de bateria dupla. O produto tem seis câmeras (três na traseira, duas na parte interna e uma na parte externa). 

Quando a Samsung apresentou o primeiro aparelho do tipo, em fevereiro de 2019, o experimento foi considerado um dos maiores de design no setor desde o lançamento do iPhone, em 2007.

Depois dela, a chinesa Huawei veio com o Mate X, que ainda não é vendido no Brasil. A Xiaomi e a Apple também devem entrar nesse mercado.

Em abril do ano passado, a companhia sul-coreana precisou adiar o lançamento comercial depois de defeitos encontrados na tela em unidades distribuídas a jornalistas. O aparelho passou a ser vendido em alguns países em setembro.

Seu preço inicial nos Estados Unidos era de US$ 1.980.

No relatório financeiro do terceiro trimestre, a companhia sul-coreana divulgou um lucro operacional de US$ 2,92 trilhões no segmento de dispositivos móveis, 32% acima do registrado no mesmo período do ano anterior. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.