Pousadas em Paraty propõem luxo sem pretensão

Localizadas no centro histórico da cidade, mimos vão de frutas a decoração

A sala da Casa Turquesa tem paredes de tijolos com pouco ou nenhum revestimento. Há vigas de madeira no teto. Na parede, uma foto do mar e da serra, e abaixo um sofá turquesa de quatro lugares, rodeado por duas poltronas e abajures
Sala da Casa Turquesa, no centro histórico de Paraty - Zanone Fraissat/Folhapress
Naief Haddad
Paraty

Duas das mais requintadas pousadas de Paraty, a Casa Turquesa e a Literária guardam pelo menos dois pontos em comum.

O primeiro, e mais óbvio, é a localização, o centro histórico da cidade que completou 350 anos em 2017. Apesar das bonitas praias desse trecho do litoral fluminense, essa é, sem dúvida, a melhor área para se hospedar por conta da preservação dos sobrados e da proximidade de restaurantes, museus, galerias, além do cais.

O segundo ponto está relacionado aos conceitos particulares de uma hospedagem de luxo.

"Quando eu abri a Casa Turquesa, em 2008, buscava um lugar onde as pessoas se sentissem em casa", afirma a empresária Tetê Etrusco. "É um luxo sem pretensão."

Com apenas nove suítes, o que implica um ar acolhedor, o casarão foi restaurado pelo arquiteto Renato Tavolaro, especialista no estilo colonial brasileiro.

Nota-se muito cuidado com as minúcias, da decoração ao café da manhã, assim como acontece com a pousada Literária.

"Qualquer percepção que o hóspede tenha sobre o serviço deve trazer também uma sensação intrigante. Como se ele se perguntasse: 'De onde vem isso?' ou 'o que estou vendo exatamente?'", diz Jane Assis, uma das sócias da Literária. "Queremos oferecer o luxo, mas que tenha esse detalhe, algo intrigante que o hóspede vá descobrindo aos poucos."

A Literária abriu em 2011 onde antes funcionava a pousada Cochicho, de propriedade da atriz Maria Della Costa (1926-2015). São 24 quartos e três espaços batizados como "vilas" (casas com acesso interno à pousada).

Além de uma boa biblioteca, a Literária deixa obras de autores brasileiros e estrangeiros à disposição dos hóspedes nas suítes. Quando vão embora, os turistas recebem como mimo uma sacola com produtos colhidos na Fazenda Bananal, propriedade dos mesmos donos que fica a sete quilômetros do centro.

Tanto na Casa Turquesa como na Literária, é preciso estar ciente do custo, alto como as montanhas da serra do Mar que cercam Paraty. Na primeira, há duas tarifas, R$ 1.570 e R$ 1.820. Na segunda, oscilam de R$ 1.200 a R$ 1.500.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.