Descrição de chapéu Espanha Cinema Oscar

Livro inspira roteiro pela Madri marginal dos filmes de Pedro Almodóvar

Passeio conduz turista pelos cenários dos clássicos do diretor espanhol

Edifício Metrópolis, um dos cenários do longa ‘Carne Trêmula’, de 1997
Edifício Metrópolis, um dos cenários do longa ‘Carne Trêmula’, de 1997 - Luana Fischer/Folhapress
Diogo Bercito
Madri

Antes de ler este roteiro você talvez queira se preparar um pouquinho: vista ao menos uma prenda avermelhada, crie frases de efeito esdrúxulas como “regue-me!” e, se for uma mulher ou se identificar com esse gênero, sinta-se indesculpavelmente poderosa.

Esta Madri das próximas linhas não é aquela do café com churros matutino nem a da tarde gasta na fila do Museu do Prado para ver o quadro “As Meninas”, de Diego Velázquez. Esta é a capital tatuada por Pedro Almodóvar em filmes como “Matador” (1986) ou “Labirinto de Paixões” (1982). É a cidade vivida por Antonio Banderas, Penélope Cruz e Rossy de Palma e seus diálogos impensáveis. Teatros no subterrâneo, travestis e uma fotografia em cores vivas, de paredes descascadas.

As sugestões foram inspiradas no guia “El Madrid de Almodóvar”, do professor de comunicação Sacha Azcona, que investiga os cenários gravados pelo diretor entre ondas de calor, touradas e jarras de sangria.

 

A maior praça

Comece, se quiser, pela praça Maior, no centro antigo da cidade, onde ambulantes vendem badulaques e balões coloridos. Um senhor português, já de alguma idade e razoavelmente acima do peso, veste-se de Homem-Aranha para pedir contribuições aos pedestres.

Você talvez se lembre da praça porque foi filmada ali uma das intensas cenas de “A Flor do Meu Segredo” (1995) : quando, apaixonados, o personagem de Marisa Paredes e seu amante caminham à noite pela cidade.

Se passar por ali durante o dia, sente-se em uma das ruelas que levam à praça e prove os típicos frutos do mar enquanto entorna jarras de sangria. Nos arredores, a loja Casa Hernanz vende as típicas alpargatas a cerca de R$ 40 cada par, a depender do modelo e da cor (rua Toledo, 18; +34 913 665 450).

Ducados

Você talvez não dê muita atenção aos portais que levam ao complexo cultural Quartel de Conde-Duque, mas foi gravada ali a clássica cena com o personagem transexual de Carmen Maura sendo molhada com uma mangueira.

Esse episódio do longa “A Lei do Desejo” (1987) é um dos pináculos da espontaneidade do diretor. 
Empapada, Carmen Maura grita a um desconhecido: “Vamos. Regue-me. Não se contenha. Que calor…”.

No cálido verão, o pátio abriga tendas de comida de rua e música ao vivo (rua Conde-Duque, 11). Há galerias e instalações artísticas também.

Descendo a rua, passando diante de alguns dos bares típicos de Madri, chega-se aos cinemas da apelidada praça dos Cubos (pelas formas geométricas de concreto).
As salas são frequentadas pelo próprio Almodóvar —a reportagem da Folha já o viu zanzando por ali.

Rua Augusta madrilenha

Se seu interesse for o lado mais gay do diretor espanhol, aliás um dos mais marcantes de sua obra, o endereço certo é a praça de Chueca.

Ali, em torno da estação de metrô que leva o mesmo nome, você encontra os bares, as casas noturnas e as saunas da capital espanhola.

Esse bairro era considerado uma região de risco quando Almodóvar gravou ali seu clássico “Ata-me!” (1990), entre traficantes e prostitutas. É onde o personagem interpretado por Antonio Banderas compra drogas pela primeira vez.

Atualmente a praça de Chueca é bastante segura, como o restante da cidade, por onde um turista pode caminhar de madrugada sem preocupação. No entanto, evite deixar o celular em cima das mesinhas dos bares.

Logo diante do metrô está a taverna Ángel Sierra, de decoração algo barroca. 

Os locais costumam parar ali e tomar um copo de vermute antes de sair para dançar. 

O drinque —uma espécie de vinho amargo— é servido da torneira e custa R$ 6. Azeitonas verdes acompanham. 

Uma cena de “A Flor de Meu Segredo” (1995) foi gravada ali, nas mesas detrás do balcão.

Metrópole pétrea

Outra das sequências clássicas é a epopeia do personagem de Penélope Cruz para, no filme “Carne Trêmula” (1997), ter um filho no interior de um ônibus.

O livro do professor de comunicação Sacha Azcona, “El Madrid de Almodóvar” (a Madri de Almodóvar), investiga diversas paradas do veículo. Em dado momento, Penélope olha para cima e vê a estátua de um anjo no topo de um edifício. 

“Parece que ele vai se atirar”, ela diz, “como se o pobrezinho quisesse se matar”.

Esse ser angelical está em cima do edifício Metrópolis (rua de Alcalá, 92), cartão-postal de Madri. Há outras tantas estátuas de temática clássica nos prédios da capital. 

Do centro cultural Círculo de Belas Artes (rua de Alcalá, 42), por exemplo, é possível ver um par de imponentes bigas de quatro cavalos, de referência greco-romana.

Bar do Galo

De acordo com os rumores, o nome deste bar enganou o ator americano George Clooney, que certa feita hesitou em aceitar o convite para visitá-lo. 

Chama-se Bar Cock (rua Reina, 16, +34 915 322 826). “Cock” significa galo, em inglês, razão do batismo do local. Mas também é o apelido do órgão reprodutor masculino. Clooney achou, por isso, que fosse um point gay.

Aberto em 1921 com decoração de estilo britânico, com uma chaminé no meio da sala, o local já recebeu a atriz Ava Gardner, o pintor Francis Bacon, o ex-presidente israelense Shimon Peres —ah, e Almodóvar.
O diretor gravou ali cenas de “Abraços Partidos” (2009). 

Por coincidência, um dos atores, Alejo Sauras, havia trabalhado como garçom no mesmo endereço (hoje o emprego é da brasileira Jennifer Miranda, 30).

Quando não queria ir aos prêmios Goya de cinema (espécie de Oscar espanhol), Almodóvar fechava o bar para assistir à cerimônia junto com seus amigos.

Um dos donos, José Astiarraga, conta essas histórias à Folha sentado na antiga mesa de Francis Bacon.
“Um dia a produtora de Almodóvar nos ligou e perguntou se poderiam filmar ‘Abraços Partidos’ aqui. Eu disse que sim. Ninguém recusaria Almodóvar.”

Guia inédito

 Quase 12 milhões de pessoas visitaram a região de Madri no ano passado, um recorde para a cidade.

Essa estatística não leva em conta, no entanto, todos os turistas que estiveram ali a distância, pela tela do cinema --as multidões que conhecem a capital espanhola por meio dos longas do diretor espanhol Pedro Almodóvar e sonharam em protagonizar ali os filmes de suas próprias vidas.

A cidade é personagem recorrente da obra de Almodóvar. Ela é central em obras como “A Lei do Desejo” (1987) e “A Flor do Meu Segredo” (1995), nas quais é retratada em cores vivas e sob a atuação de mulheres inesquecíveis.

A relação entre a cidade e o diretor é tema do recém-lançado guia turístico “El Madrid de Almodóvar”, assinado pelo professor de comunicação Sacha Azcona.

O livro, publicado de maneira independente, está disponível em papel e também em formatos virtuais --custa em torno de R$ 20 (na loja da Amazon).

Azcona lista, no guia, os endereços das rodagens dos clássicos de Almodóvar, indicando as cenas e as falas registradas em cada canto da capital.

As informações são breves e o livro não inclui imagens, o que empobrece o resultado, mas o volume serve de referência para quem quiser desviar dos museus e dedicar seu tempo em Madri para ver essas locações.

“Quando percebi que não havia um guia específico com os cenários dos filmes de Almodóvar, decidi unir as duas coisas em um só livro”, Azcona conta à Folha.

Como outros moradores de Madri, Azcona já tinha uma ideia de que lugares haviam sido impressos naqueles filmes --apesar de circular entre os madrilenhos uma série de informações falsas, com indicações de cenários que na verdade não foram filmados por Almodóvar.

Outros cenários são conhecidos de maneira geral, nas linhas de “foi em uma dessas ruas que ele gravou tal filme”. Mas Azcona traz os detalhes --com nome da rua e número.

A referência recorrente da relação entre Madri e Almodóvar são os portões do Quartel de Conde-Duque, centro cultural onde ele filmou uma de suas cenas mais citadas: quando o personagem de Carmen Maura passa pela rua, no calor, e pede que alguém lhe molhe com uma mangueira. “Regue-me!”, ela grita, encharcada e feliz. Depois, confessa que sempre quis ter feito aquilo.

“Muitas pessoas pediam, ao me visitar, que eu lhes mostrasse os cenários de Almodóvar e lhes contasse a história das gravações”, diz Azcona.

Nascido em Madrid, ele morou toda a sua vida --hoje tem 43 anos-- na região central, em bairros como Chueca e Chamberí, justamente nos quais o diretor espanhol circula e onde filma seus clássicos.

“Por isso foi tão fácil. Eram lugares que eu já conhecia”, diz. Seu preferido é o balcão de “Mulheres à Beira de Um Ataque de Nervos” (1988), com uma vista de toda a cidade.

A locação como tal não existe --era um cenário produzido--, mas Azcona sugere um hotel no centro com um panorama bastante parecido (The Principal, rua Marqués de Valdeiglesias, 1). “Essa vista é um símbolo de sua obra.”

O livro de Azcona é organizado de duas maneiras. Há roteiros por bairros, com informações históricas e curiosidades sobre as filmagens, e um índice a partir de cada filme, para quem quiser fazer uma leitura mais específica.

Uma busca pelo filme “Tacones Lejanos” (1991), por exemplo, empurra o leitor a seis entradas do livro: ele descobre o endereço da casa de infância do personagem de Marisa Paredes e um bar retratado no longa, entre outras locações.

Mas, apesar de toda a homenagem, o guia não é produto do trabalho de um fã. Azcona confessa não ser um dos tantos fanáticos pelo diretor espanhol, apesar de apreciar sua obra. “Sou fã de Madri”, diz.

Por isso o livro não se concentra só no cinema, mas intercala as descrições dos filmes com sugestões de restaurantes e bares para o viajante que precise de uma pausa nas referências almodovarianas.

 

Pacotes para Madri e Barcelona

Madri

R$ 7.193 
6 noites, na CVC (cvc.com.br)
Em Madri, em acomodação dupla, sem regime de alimentação. Valor por pessoa, com passagem aérea incluída

US$ 1.559 (R$5.690) 
6 noites, na RCA (rcaturismo.com.br) 
Em Madri, em acomodação dupla, sem regime de alimentação. Com passeios a Toledo e a Ávila e Segóvia, ambos com almoço, traslados e seguro-viagem. Preço por pessoa, sem passagem aérea

R$ 5.093 
5 noites, na Latam Travel (latamtravel.com)
Em Madri, sem regime de alimentação. Preço por pessoa. Inclui aéreo

US$ 1.439 (R$ 4.987)
6 noites, na Top Brasil (topbrasiltur.com.br) 
Na Espanha, entre Madri e Barcelona, em apartamento duplo, com café da manhã. Inclui city tours e visita a Montserrat. Valor por pessoa, sem aéreo

€ 1.095 (R$ 4.640)  
8 noites, na Stella Barros (stellabarros.com.br)
Na Espanha, entre as cidades de Madri, Córdoba, Sevilha, Jerez, Granada, Valência e Barcelona, com café da manhã. Inclui city tours e traslados. Preço por pessoa, sem passagem aérea

R$ 4.147 
6 noites, na Azul Viagens (azulviagens.com.br)
Em Madri, em quarto duplo, sem regime de alimentação. Com seguro-viagem. Valor por pessoa, com passagem aérea incluída

R$ 2.549 
8 noites, na Submarino Viagens (submarinoviagens.com.br)
Em Madri, em acomodação dupla, sem regime de alimentação. Preço por pessoa, com passagem aérea incluída 

R$ 856 
2 noites, na Maringá Lazer (maringalazer.com.br)
Em Madri, em acomodação dupla, com café da manhã, traslados e seguro-viagem. Preço por pessoa, sem passagem aérea

Barcelona

R$ 7.407 
6 noites, na CVC (cvc.com.br)
No hotel Citadines Ramplas Barcelona, em apartamento duplo. Inclui aéreo

US$ 1.376 (R$ 5.023)
6 noites, na RCA Turismo (rcaturismo.com.br)
Em acomodação dupla, no hotel Best Western Premier Dante. Sem aéreo. Não inclui regime de alimentação 

R$ 4.970
5 noites, na Latam Travel (latamtravel.com.br)
Sem alimentação, inclui 
passagem aérea

R$ 4.194 
6 noites, na Azul Viagens (azulviagens.com.br) 
Em acomodação dupla. Preço por pessoa, inclui aéreo

R$ 3.363
7 noites, na Submarino Viagens (submarinoviagens.com.br)
Em quarto duplo, no Hostal Sant Pau, sem alimentação. Preço por pessoa, inclui 
passagem aérea

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.