Em obras, zoológico do Rio funciona com horário reduzido

A previsão de entrega da primeira fase de obras é dezembro de 2018

Arte da área do RioZoo conhecida como biosfera dos elefantes. Há, no fundo da imagem, uma área cercada com um painel de vidro na frente parcialmente submerso que mostra um elefante nadando e outros ao fundo, em terra. Na frente do painel, pessoas sentadas vendo a cena
Arte-conceito da biosfera dos elefantes no RioZoo; o projeto prevê que os visitantes possam observar os animais nadando através de um painel de vidro - Divulgação
 
São Paulo

O RioZoo, zoológico localizado no bairro São Cristóvão, zona norte do Rio, passará por uma reforma completa que deve durar dois anos.

O projeto prevê transformar a área de 55 mil metros quadrados em um bioparque. Segundo o diretor do zoológico, Márcio Cunha, a ideia é trocar as grades por barreiras naturais e em ampliar o espaço de convivência dos animais.

O local será dividido em biosferas de grupos de animais, como aves, primatas e répteis, e terá uma atração que pretende recriar uma savana africana. Outras atrações previstas são um painel de vidro que permite ver uma piscina de elefantes e um viveiro de aves de três mil metros quadrados.

O investimento na reforma será de R$ 65 milhões, bancados pelo grupo Cataratas, que administra o parque desde 2016. A primeira etapa das obras começou na terça (5) e deve ser concluída em dezembro.

Durante as obras, os animais serão realocados a áreas extras dentro do próprio zoológico ou para instituições parceiras. Todo o processo será acompanhado pelo Ibama e pela Associação Zoológicos e Aquários do Brasil (Azab).

Em 2017, o zoológico recebeu 700 mil visitantes. A expectativa é que, depois da reforma, o número aumente para 1,3 milhão.

Durante a reforma, o zoológico funcionará só às sextas, nos finais de semana e nos feriados, das 10h às 17h. A entrada custa R$ 20 –quem tem até 21 anos ou mais de 60 anos paga R$ 10. Mais informações no site do zoológico.

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.