Sete atrações para conhecer a cultura russa no Brasil

Restaurante, grupo de dança e igreja ortodoxa são alguns dos passeios

São Paulo

A imigração russa no Brasil começou no fim do século 19 e seguiu, mais intensa, até meados da década de 1950.

Nas regiões Sul e Sudeste, é possível ter contato com a cultura do país em restaurantes, igrejas e feiras. 

 

Feira do Leste Europeu, São Paulo

Existe desde 2008 e reúne uma vez por mês expositores que representam 14 comunidades de imigrantes do leste europeu, como Rússia, Polônia e Lituânia.

Da culinária russa, é possível encontrar chachlik (churrasco no espeto), vareniki (pastel recheado com carne e servido com cebola caramelizada) e kvas, bebida feita com pão fermentado. Também há barracas com artesanato típico, como as matrioskas e porcelanas.

A próxima edição acontece no dia 24 de junho, das 10h às 17h, na rua Aracati Mirim, s/n, na Vila Zelina, bairro da zona leste conhecido por abrigar a maior comunidade de descendentes de russos na cidade.

Dona Irene, Teresópolis (RJ)

O restaurante foi inaugurado em 1964 por um casal de imigrantes vindos da Sibéria. Serve um menu fechado de quatro etapas a R$ 150 por pessoa inspirado em banquetes de czares.

Na primeira, são servidos as zakuskis, entradas frias como caviar e salmão acompanhadas de vodca artesanal. A seguir, é a vez das entradas quentes como borscht, sopa à base de beterraba, e asas de frango gratinadas.

Depois, o cliente pode escolher entre sete pratos principais, como estrogonofe ou caquille, um suflê de peixe com molho branco e camarões. No fim, o visitante também escolhe uma das sobremesas, como charlote russa ou pavê de pitanga.

No site do restaurante, é possível encontrar o cardápio completo. Reservas pelos telefones (21) 2742-2901 ou (21) 2643-3813.

Paróquia de São Nicolau, São Paulo

A igreja ortodoxa russa foi inaugurada em 1939 no centro de São Paulo. O seu interior é decorado por pinturas inspiradas na arte bizantina e um ikonostas, parede de madeira com esculturas e pinturas que divide o altar da igreja.

A paróquia promove uma feira de culinária russa e de outras culturas, como a alemã, nos dias 20, 21 e 22 de julho, das 10h às 19h.

As missas acontecem aos sábados, às 18h, e aos domingos, às 9h. Visitas fora desses horários devem ser agendadas previamente pelo telefone (11) 3208-1004. Fica na rua Tamandaré, 710, na Liberdade.

Escola Teatro Bolshoi, Joinville (SC)

É a única franquia da companhia de balé fora da Rússia. Aberta em 2000, já formou mais de 300 bailarinos.

A escola oferece visitas guiadas pelo prédio, onde é possível conhecer a história do grupo, salas de aula, o teatro e até o ateliê com os figurinos. Há ingressos disponíveis para o período entre os dias 17 e 29 de julho, de segunda a sábado, às 10h30, 11h30, 14h30, 15h30 (aos sábados) e 16h30. O ingresso inteiro custa R$ 10 e a meia entrada, R$ 5. Fica na avenida José Vieira, 315.

Associação Cultural Grupo Volga, São Paulo

Fundada em 1981 por descendentes de russos, a associação tem um grupo de danças típicas do país e um coral. Os ensaios são abertos ao público e é necessário avisar a presença com antecedência pelo telefone (11) 2341-4657.

O ensaio do coral acontece às terças-feiras, na rua das Giestas, 966, Vila Bela, zona leste de São Paulo. Já o do grupo de dança ocorre aos domingos, das 14h às 17h30, no colégio São Miguel Arcanjo, na Vila Zelina.

Campina das Missões (RS)

A cidade de 6.000 habitantes fica a cerca de 530 quilômetros de Porto Alegre e foi colonizada por russos e alemães. No centro da cidade, há uma praça que comemora o centenário da imigração russa na região, em 1909, com um busto de são Vladimir.

Entre as atrações, há uma igreja ortodoxa e apresentações do grupo Troyka, de danças folclóricas.

Coral Melodia, São Paulo

O grupo foi fundado em 1989 por cantores da União Soviética. O repertório reúne canções folclóricas e as apresentações acontecem em festas da comunidade.

A próxima está marcada para o dia 9 de setembro. O concerto será no teatro São Pedro, que fica na rua Albuquerque Lins, 207, no bairro Campos Elíseos, em São Paulo.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.