Turista precisa driblar jogo da seleção para tirar certificado de vacina

Partida da Copa altera horários de atendimento em aeroporto; passageiros reclamam de falta de aviso

Alexandra Moraes
São Paulo

Horas depois da vitória suada da seleção brasileira sobre a Costa Rica, na sexta (22), o sufoco ainda não havia terminado para outro pequeno grupo de brasileiros.

Posto da Anvisa fechado em Congonhas
Posto da Anvisa no aeroporto de Congonhas fechado horas depois do jogo entre Brasil e Costa Rica na sexta (22) - Alexandra Moraes/Folhapress

Às vésperas das férias de julho, passageiros que tinham marcado atendimento para emissão de certificado internacional de vacinação no posto que a Anvisa mantém no aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, deram com a cara na porta.

A pedagoga Thalita Montagner de Camargo, 36, que tem viagem marcada para a África do Sul, recebeu a confirmação de seu atendimento para as 11h50 daquela sexta-feira no início da semana passada. Às 13h50, ainda aguardava para saber o motivo de o posto estar fechado. “Agendei há tempo, recebi a confirmação por email e agora isso”, diz.

A Anvisa afirma ter entrado em contato “com os usuários agendados para o horário que forneceram email e/ou telefone no agendamento”. Thalita mostra a caixa de entrada de emails no celular e diz não ter recebido nenhuma notificação sobre a mudança de horário —apenas a confirmação.

“Liguei no 0800 da Anvisa, em Brasília, e o atendimento não tinha nenhuma informação. Disseram que o posto só fica fechado se é feriado na cidade”, disse outro passageiro, que não se identificou e não havia marcado horário.

Os casos se repetiam. Atendimentos marcados há dois ou três meses para a emissão de certificado internacional da vacina da febre amarela não foram feitos no horário. 

Entre 30 e 40 pessoas aguardavam quando, às 13:56, uma funcionária chegou e começou a organizar o atendimento de quem não havia desistido da espera. A explicação para o atraso foi a alteração de horário devido às partidas da seleção brasileira.

Em cerca de uma hora e meia, com todos os três guichês em atendimento no modo “turbo” (o posto normalmente funciona das 9h às 15h), não havia mais nenhum sinal daquele princípio de tumulto.

“A Anvisa e demais órgãos federais seguem as orientações de funcionamento emitidas pela Portaria 143/2018 do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão para os dias de jogos do Brasil na Copa do Mundo”, afirma a agência, através de sua assessoria de imprensa. 

A portaria “estabelece o expediente dos órgãos e entidades da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional nos dias de jogos da Seleção Brasileira de Futebol na Copa do Mundo Fifa 2018”.

Nos dias em que os jogos se realizarem pela manhã, o expediente começa às 14h (horário de Brasília); e nos dias de jogo à tarde, o expediente se encerrará às 13h (também pelo horário de Brasília). “No caso específico do posto da Anvisa em Congonhas, os usuários agendados para emissão de Certificado Internacional de Vacinação no horário do jogo do Brasil foram encaixados e atendidos.”

Segundo a Anvisa, as pessoas que agendaram o serviço de emissão de certificado e “não forneceram estes dados [email ou telefone] e que, porventura, ainda não tenham sido atendidos, poderão comparecer ao posto da Anvisa, durante o horário de funcionamento, para emitirem o Certificado de forma prioritária”.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.