Florença vai multar turista que comer em ruas e praças do centro histórico

Prefeitura da cidade italiana quer evitar acúmulo de lixo; multa pode chegar a R$ 2.370

Piazzale degli Uffizi, um dos acessos ao museu em Florença, na Itália
Piazzale degli Uffizi, um dos acessos ao museu em Florença, na Itália - dalibro/Pixabay
São Paulo

Desde o dia 4 de setembro, pedestres que passeiam por Florença, na Itália, estão proibidos de parar para comer no meio de algumas ruas e praças do centro histórico. 

A medida vale para quatro endereços na região do museu Gallerie degli Uffizi: Piazalle degli Uffizi, Piazza del Grano, Via della Ninna e Via de’ Neri. A proibição é válida todos os dias, das 12h às 15h e das 18h às 22h.

Quem for flagrado comendo nesses horários vai receber uma multa que varia entre € 150 e € 500 (de R$ 710 a R$ 2.370). A penalidade vale também para quem estiver em calçadas e escadarias de casas, lojas e lanchonetes dessas vias, mas não se aplica aos que estiverem caminhando enquanto comem.

A ideia da prefeitura é conter o descarte inadequado de lixo e evitar que o fluxo de pedestres seja prejudicado. Comerciantes foram instruídos a colocar avisos em italiano e inglês nos estabelecimentos.

O prefeito de Florença, Dario Nardella, escreveu em sua página no Facebook que a medida não é "punitiva" e que o objetivo é educar visitantes. "Se os turistas tratarem a cidade como suas casas, continuarão sendo bem-vindos”, disse.

A norma faz parte de uma campanha da secretaria de Turismo da cidade, “#EnjoyRespectFirenze” (#AproveiteRespeiteFlorença), que visa corrigir atitudes inadequadas de visitantes.

Por enquanto, a restrição vale até o dia 6 de janeiro de 2019.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.