Descrição de chapéu BBC News Brasil

A pousada no meio da floresta que salvou uma comunidade na Tailândia

Australiana de 81 anos recebe hóspedes há 30 anos em antiga mina de estanho na fronteira com Mianmar

Mulher na porta de pousada
Glennis Setabandhu administra pousada nas profundezas de uma floresta na Tailândia há quase 30 anos - John McMahon
John McMahon
Tailândia | BBC News Brasil

"A estrada não está ruim hoje, mas na estação chuvosa pode ser bem complicado", diz Glennis Setabandhu enquanto esperamos um caminhão velho descer devagar pela estrada íngreme coberta de pedras.

"Às vezes, os caminhões não conseguem chegar até aqui, e os hóspedes precisam descer e vir caminhando. Quando eles chegam, eu ofereço uma xícara de café e um pedaço de bolo, e fica tudo bem."

Aos 81 anos, com apenas 1,50 m de altura, levemente encurvada pela idade, Setabandhu surge de saia longa e cardigã florido. Nascida na Austrália, ela é conhecida na região como Pa Glen (pa em tailandês significa "tia").

Talvez não seja o tipo de pessoa que você esperaria encontrar em uma pousada nas profundezas das florestas montanhosas ao redor de Pilok, no oeste da Tailândia. Mas é ela que recebe os hóspedes ali há quase 30 anos.

A entrada da pousada é decorada com adesivos, faixas e camisetas dos grupos de circuito off-road que pararam aqui ao longo dos anos. No interior da casa, um pequeno lustre de vidro paira sobre mesas de jantar com guardanapos rendados.

As paredes estão repletas de fotos antigas da família de Setabandhu, retratada com suas melhores roupas –há também registros mais recentes do seu filho Narin e dos netos, além de fotografias dos inúmeros hóspedes que ela recebeu ao longo dos anos.

serra
Setabandhu foi ao local pela primeira vez em 1967 para visitar o marido, que operava uma mina de estanho - John McMahon

Época do estanho

A primeira vez que Setabandhu pisou nesta remota região foi no inverno de 1967. Uma aventura de quatro dias a partir de Bancoc, que envolveu trens, barcos e mulas. Ali, seu hoje falecido marido Somsak operava uma mina de estanho. "Bons tempos", recorda Setabandhu, quando mais de 600 pessoas trabalhavam juntas para extrair o metal da crosta terrestre.

"A primeira vez que visitei a mina, tive medo da floresta e dos animais, mas passei a amar", conta. "Aqui era um vilarejo movimentado com famílias e casas ao longo do caminho. Todo mundo era feliz."

Setabandhu conheceu Somsak quando ele estudava engenharia de minas na Universidade de Curtin, em Kalgoorlie, no estado da Austrália Ocidental, na Austrália, onde ela morava. Ele era campeão de badminton e ajudou a treinar a equipe da igreja dela. Eles se casaram e, alguns anos depois, foram morar na Tailândia.

Somsak assumiu o controle da mina da família, enquanto ela ensinava inglês na Universidade de Bancoc –e passava as férias escolares com o filho na mina.

A quebra do mercado internacional de estanho, em 1985, colocou um ponto final na alegria deles. Em todo o mundo, o preço do metal despencou e, apesar de todo seu esforço, Somsak não conseguiu manter a mina em atividade.

Setabandhu conta que o marido ficou arrasado ao ver a operação da mina a que se dedicou a vida toda ser extinta –ela tem certeza de que isso contribuiu para sua morte prematura por câncer, em 1994.

três homens sob árvore
Depois que o mercado internacional de estanho quebrou, em 1985, Somsak não foi capaz de manter a mina em atividade - John McMahon

Ela prometeu ao marido no leito de morte que iria encontrar uma maneira de cuidar dos seus ex-funcionários e suas famílias.

"A maioria dos trabalhadores era da Birmânia [atual Mianmar] e não tinha documentos", explica.

"Muitos acabaram indo para Bangcoc trabalhar na construção, mas alguns não quiseram deixar a mina e a vida na floresta. Foi quando parei de dar aulas e vim morar aqui. No começo, eu não tinha certeza do que conseguiria fazer."

A ideia da pousada

A localização da mina era, sem dúvida, um diferencial: está situada em um vale remoto, ao lado de um riacho cintilante, cercada por mata fechada e montanhas de floresta virgem na fronteira da Tailândia com Mianmar.

Uma caminhada pela trilha de mata rasteira que cerca a pousada me leva à cachoeira Chet Mit, onde cascatas de água cristalina jorram da montanha –não pensei duas vezes antes de beber direto da fonte.

Setabandhu sabia por conta de sua experiência em Bancoc, cidade em constante expansão, que muita gente ansiava por um lugar como esse para passar o fim de semana, relaxando bem longe da tensão da vida moderna.

Ao vender o equipamento de mineração do marido, ela arrecadou dinheiro suficiente para adaptar algumas instalações antigas da mina para receber hóspedes, adicionando conveniências como vasos sanitários com descarga e chuveiros aquecidos a gás.

prédio de pousada em madeira
Após a morte do marido, Setabandhu transformou o complexo da mina em uma pousada - John McMahon

Ela substituiu os antigos geradores a diesel que o marido havia comprado décadas antes por uma pequena usina hidrelétrica construída no córrego para fornecer energia limpa e silenciosa.

E foi assim que Setabandhu abriu a Somsak Mine Forest Glade Home, empregando os antigos mineiros que ainda não tinham ido para Bangcoc. A pousada logo ganhou fama entre entusiastas de aventuras off-road e ciclistas que procuravam algum conforto na natureza selvagem.

Se hospedar na Somsak Mine é uma experiência que te leva de volta no tempo e ao que é essencial. Três décadas de chuvas de monção duradouras e sol quente desgastaram a pintura, o que faz com que a estrutura se misture com as folhagens ao redor.

Estilo rústico

A instalação principal, que já foi um depósito, possui uma sala com pé direito alto e teto construído de madeira rústica, bambu e palha trançada –os móveis lembram uma sala de estar da era vitoriana.

Ao seguir as antigas estradas de mineração, ainda é possível observar as marcas nas colinas de onde o metal era extraído em meio à folhagem densa que cobriu a área nos últimos 30 anos.

Os hóspedes que não têm seu próprio meio de transporte são levados da cidade de Pilok até a pousada, a cinco quilômetros de distância, por um policial local que cresceu na mina. A carroceria do caminhão dele é equipada com bancos para acomodar os passageiros. É uma viagem trepidante, por conta do percurso acidentado, que pode levar até uma hora e meia, dependendo da chuva.

passagem no meio da mata
Setabandhu sabia que a localização remota da mina atrairia visitantes em busca de sossego em meio à natureza - John McMahon

Embora a pousada seja remota, sem sinal de celular ou acesso à internet, Setabandhu garante que hóspedes se sintam confortáveis e bem alimentados. Todas as noites, ela e sua equipe preparam uma refeição que inclui vários pratos tailandeses, além do que ela descreve como um churrasco ao estilo australiano: espetos grelhados de carne de porco temperada, pimentões e cebolas cozidas em uma grelha.

Os bolos de Setabandhu são reverenciados por toda comunidade off-road da Tailândia. Bolo de chocolate, bolo de banana e o melhor bolo de cenoura que eu já provei são assados todos os dias e servidos como parte do banquete para os hóspedes.

Por mais orgulhosa que Setabandhu seja de ter recebido tantos visitantes ao longo dos anos, seu filho Narin acredita que a verdadeira realização da mãe foi manter intacta a Mina Somsak e ajudar as famílias que escolheram permanecer.

"Eu não sabia o que minha mãe ia fazer quando se mudou para a mina", disse Narin, por telefone, do seu escritório em Bangcoc.

"[Mas] a pousada permitiu àqueles que queriam ficar se sustentar e a criar oportunidades para essas famílias, o que seria quase impossível de outra maneira."

estrada de terra
Hoje, a Somsak Mine Forest Glen Home é um ponto de parada famoso para ciclistas e grupos de off-road - John McMahon

Recentemente, me contou Setabandhu, funcionários do departamento de mineração foram até lá fazer alguns testes de perfuração.

"Eles disseram: 'Não saia daqui, pa. O mercado de estanho está voltando'."

"Eu disse a eles que meu marido era o engenheiro de minas, mas eles disseram que a Mina Somsak não podia existir sem mim."

"Talvez os bons tempos estejam voltando", acrescentou ela, com um olhar melancólico no rosto.

Independentemente do que o futuro reservar, por enquanto, as portas da pousada estão abertas. E seja você um ciclista, praticante de off-road, corredor de trilhas na montanha ou simplesmente um amante da natureza, pode ter certeza de que os bolos de Setabandhu estarão te esperando no fim daquela estrada acidentada e rochosa.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.