Chef roqueiro renova comida indiana em Bancoc

Em seu restaurante, que fechará em 2020, Gaggan Anand mistura sabores da Índia e do mundo

Josimar Melo
Bancoc (Tailândia)

Cidade tailandesa conhecida pelos aromas que exala sua fantástica comida de rua, Bancoc sedia também um restaurante entre os mais premiados do mundo, o Gaggan. 

Mas sua cozinha vem de outro país, a Índia, como seu chef, embora adquira contornos sem fronteiras. E o prazo para quem quiser conhecê-la nesta atual configuração é curto: o restaurante tem sua morte anunciada para 2020.

Até lá, ele é um destino gastronômico certamente mais formal e sofisticado do que os carrinhos e banquinhas que servem a comida da cidade —mas ainda assim foge do convencional. Especialmente para quem senta na sala do chef no segundo andar (na hora da reserva o cliente não sabe onde sentará).

Ali, no centro de um balcão de 14 lugares, se desenrola uma espécie de show stand-up. O indiano Gaggan Anand, 41, conta histórias antes de servir cada um dos 25 pratos do menu-degustação (um cardápio que, no papel, é apenas uma sequência de 25 emojis). O preço é US$ 205 (R$ 821) mais taxas.

Ele também coloca para tocar as canções que desfilam pela noite. São músicas que vão dos lamentos da versão de Chris Cornell para “Billie Jean” ao frenesi de “Are You Ready?” do AC/DC, passando por Kiss, Queen e Pink Floyd.

Gaggan nasceu em Kolkata (Índia), tocava bateria em bandas de rock e estudou catering numa escola hoteleira. Foi para Bancoc em 2007 trabalhar no Red, de cozinha indiana moderna. Passou por outros restaurantes e fez estágio com Ferran Adrià no elBulli.

Em 2010, abriu seu restaurante, onde passou a desenvolver o que chama de “cozinha indiana progressiva” (inspirada no rock progressivo e, principalmente, em Pink Floyd). 

Ela incorpora sabores de várias regiões de seu país, mas em embalagens inusitadas e com referências a outras cozinhas do mundo, num conjunto instigante e saboroso.

Amealhou prêmios: tem duas estrelas no Guia Michelin e é número cinco na lista 50 Melhores Restaurantes do Mundo —mas ainda assim fechará o Gaggan em 2020 visando outra aventura: abrir um restaurante de dez lugares em Fukuoka, Japão, com seu amigo e chef Takeshi Goh Fukuyama.

Enquanto isso, seguem na ativa as casas das quais Gaggan se tornou sócio em Bancoc, como a hamburgueria Meatlicious, o alemão Süring e o Mihara Tofuten, de tofu.

O jornalista viajou a convite do restaurante Gaggan

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.