Descrição de chapéu Destinos

Especialidades da culinária do Equador vão de tripa a preás de carne macia

Em Quito, baixa gastronomia pode ser encontrada nas ruas e nos mercados municipais

Marcos Nogueira
Quito

Nos três dias que passei em Quito, no Equador, não vi nenhum boteco. Nenhuma birosca de esquina para beber, comer, comprar sabão e cigarro, jogar sinuca, conversar ou simplesmente matar tempo.

O que faz a classe trabalhadora quitenha? Onde comem os porteiros e as manicures? Onde fica a baixa gastronomia da cidade sem botecos?

Na rua. E também nos mercados municipais.

À noite, quadras inteiras da cidade são ocupadas por tendas que oferecem manjares substanciosos como a tripa mishqui —intestinos de vaca grelhados, servidos com caldo de batata e milho, mais molho picante de amendoim.

Pela manhã, bem antes do meio-dia, os mercados da cidade já estão lotados de gente a almoçar.
O hábito de comer nesses lugares é tão arraigado que as “praças de alimentação” ocupam mais espaço do que as bancas de vegetais, peixarias e açougues.

São várias as opções, cada uma com sua especialidade. No Mercado Central, são muitas as vendedoras de corvina frita, no de Santa Clara, o carro-chefe é o menudo, versão local do sarapatel. Passei. 

Fui de chancho hornado, porco assado que fica exibido, com cabeça e tudo, na frente de cada estande.
Escolher onde comer é tarefa difícil. Todos os pontos parecem iguais. Sentei numa banqueta do Hornados Aidita, que me fez meia porção de porco com purê e salada por meros US$ 3 (cerca de R$ 12). Eu ainda iria almoçar mais tarde.

A comida equatoriana lembra a dos vizinhos Peru e Colômbia. Tem ceviche (servido no café da manhã do hotel), tem empanadas com massa de banana-da-terra e de milho, tem todos os tipos de ensopados feitos com carnes e vegetais.

Viajei decidido a comer uma especialidade difícil de se encontrar fora dos Andes: o cuy. Também conhecido como preá, cobaia ou porquinho-da-índia, ele alimenta os indígenas da região desde os tempos pré-colombianos. 

Nos meus dois primeiros dias de viagem, vi restaurantes que servem cuy apenas na beira da estrada. Na cidade, nada.

No último dia em Quito, depois de mandar um porco no mercado de Santa Clara, fui ao Mama Clorinda, restaurante típico que tem um cuy espalmado na abertura do site. Finalmente.

A carne da cobaia é simplesmente deliciosa —úmida, macia, com uma casquinha crocante por fora.
Se você está com nojinho, pare e pense: se não é para nos libertar de nossos preconceitos, para que serve conhecer outras culturas?

Encare o cuy. Eu recomendo. 


Comidas típicas do Equador

Cuy Porquinho-da-índia, criado em granjas para a alimentação humana

Empanada de morocho Pastel frito com massa de milho e recheio de carne

Empanada de verde Pastel frito com massa de banana-da-terra verde e recheio de queijo

Empanada de viento Pastel frito com massa de trigo e recheio de queijo

Encebollado Sopa de peixe e mandioca, servida com molho de cebolas cruas

Helado de paila Sorvete feito em tacho de cobre sobre cama de gelo

Hornado Porco assado

Fritada  Porco frito

Locro  Sopa de batata e queijo fresco, servida com abacate e milho tostado

Menestra Grãos cozidos com caldo, em geral feijão, lentilha ou grão-de-bico. Come-se com arroz

Seco Ensopado de carne, servido com arroz ao urucum e banana-da-terra

Tigrillo  Mexidão de banana-da-terra, ovos, queijo e torresmo


Pacotes

R$ 1.128 
2 noites em Quito, na Flot (flot.com.br
Com café da manhã. Inclui traslados e passeio para vista panorâmica da cidade e seguro de cancelamento de viagem. Valor por pessoa. Sem passagem aérea

R$ 1.826
4 noites em Quito, na Maringá Turismo (maringalazer.com.br
Inclui café da manhã. Inclui city tour pela cidade e excursão ao Parque Nacional de Cotopaxi ou ao Mercado de Otavalo. Preço por pessoa. Sem passagem aérea

US$ 1.095 (R$4.358) 
5 noites em Quito e Galápagos, na Venice Turismo (veniceturismo.com.br
Entre a capital do Equador e Puerto Ayora (Galápagos), com café da manhã. Inclui city tour em Quito, visita à Metade do Mundo, passeio pela praia de Tortuga Bay e tour em iate, além de traslados. Preço por pessoa, sem aéreo

US$ 1.825 (R$ 7.263) 
6 noites em Quito e Galápagos, na Ambiental Turismo (ambiental.tur.br
Entre a capital do Equador e Puerto Ayora (Galápagos), com café da manhã. Inclui city tour em Quito e traslados. Preço por pessoa. Sem passagens aéreas

US$ 2.088 (R$ 8.310) 
7 noites em Quito e Galápagos, na CVC (cvc.com.br
Entre a capital do Equador e Puerto Ayora (Galápagos), com café da manhã. Inclui passeio em Quito, visita à Metade do Mundo, à praia de Tortuga Bay e passeio de iate. Sem passagem aérea

US$ 2.586 (R$ 10.292) 
9 noites em Quito, Riobamba, Cuenca e Galápagos, na Queensberry Viagens (queensberry.com.br
Inclui café da manhã, passeios pelas cidades e traslados. Preço por pessoa. Não inclui passagem aérea

US$ 4.189 (R$ 16.672) 
5 noites em Quito e Galápagos, na Interpoint (interpoint.com.br)
Entre a capital do Equador e Galápagos (com cruzeiro), com café da manhã na cidade e pensão completa na embarcação. Inclui explorações terrestres com guias em inglês ou espanhol e traslados. Preço por pessoa, sem aéreo

US$ 5.590 (R$ 22.248) 
3 noites em Quito e Galápagos, na Highland Adventures (highland.com
Entre a capital do Equador e Galápagos, com café da manhã na primeira e pensão completa no cruzeiro que leva à segunda. Inclui tour em Quito e visita ao Parque Nacional de Cotopaxi. Sem aéreo

O jornalista viajou a convite da Gol

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.