Descrição de chapéu Destinos

Hotel centenário ganha novo ar em Mônaco

Após reforma de quatro anos, luxuoso prédio da família real inaugura quartos e restaurante estrelado

Josimar Melo
Monte Carlo

No último domingo (26), como todos os anos, as ruas de Monte Carlo, no principado de Mônaco, viraram pista de corrida onde bólidos da Fórmula 1 passam em velocidades insanas. Desta vez, houve um novíssimo camarote de luxo para assistir à contenda: a suíte Príncipe Ranier 3º, joia maior da recém-concluída reforma do tradicional Hôtel de Paris.

A nova suíte mede 600 m² e, de seu terraço (de 135 m², com piscina), na cobertura, é possível assistir em posição privilegiada à evolução dramática dos carros na praça do Cassino em frente. 

No resto do ano, pode-se espreitar o mar Mediterrâneo, os suntuosos barcos na marina do principado, o prédio do cassino ou mesmo o rochedo onde os donos do hotel --a família do príncipe Albert 2º-- têm seu palácio. Um quarto com um preço à altura: cerca de € 40 mil (R$ 180 mil) por noite.

A inauguração da suíte, em janeiro, marcou o fim oficial da longa reforma pela qual passou o hotel inaugurado em 1864: a obra consumiu quatro anos e € 270 milhões (R$ 1,2 bilhão).

A imponente fachada foi restaurada, mas não alterada, mantendo o estilo belle époque. Ao cruzar a porta giratória, o visitante agora encontra um saguão com decoração modernizada e mais claridade, tirando o aspecto sisudo do velho lobby, um toque dos arquitetos Richard Martinet e Gabriel Viora.

Uma ala foi adicionada ao edifício, que conta agora com 207 quartos e suítes (de no mínimo 34 m²). O bar do térreo ganhou novos ares e um terraço com vista para o mar e para o cassino.

A renovação tampouco deixou de lado a gastronomia, que ocupa lugar importante no hotel, no mínimo desde que o falecido príncipe Rainier contratou, em 1987, o jovem cozinheiro Alain Ducasse.

Na época, foi dado ao chef o desafio de conseguir para o restaurante principal do hotel a cotação máxima do guia Michelin, o que ele obteve em 1990.

Este restaurante, hoje batizado com o comprido nome de Le Louis 15 - Alain Ducasse à l'Hôtel de Paris, passou também por uma discreta reforma em seu salão de época. 

Mas as mudanças na comida foram além do visual. Alain Ducasse --que hoje supervisiona a gastronomia do hotel-- criou ali um novo restaurante, o Ômer, voltado para a cozinha do Mediterrâneo, com elementos vindos de países como Grécia, Marrocos e Líbano.

A reforma do hotel inclui um novo átrio com lojas, e foi concomitante à criação, na rua ao lado, de um conjunto de modernos prédios combinando lojas, escritórios e residência --uma aposta para o futuro não só do prédio, mas de seu entorno.


Hôtel de Paris Monte-Carlo - Place du Casino, Monte Carlo, Mônaco. Site: montecarlosbm.com
 


Restaurantes do hotel

Le Louis 15 (chef Dominique Lory) Ambiente suntuoso, cozinha inspirada na região francesa de Provença com ênfase em legumes e pescados locais. Tem pratos como o robalo com espelta, cidra e coentro e a galinha d'angola grelhada na lenha com cogumelos morilles e batatas

Ômer (chef Patrick Laine) O mais novo restaurante assinado por Ducasse no hotel. Informal, traz ótimas interpretações de pratos clássicos da cozinha de "todo o Mediterrâneo", incluindo Grécia, Turquia e países árabes. Oferece o carpaccio de robalo marinado com rúcula selvagem, e o frango chich taouk (assado, com pimenta, páprica, arroz perfumado e vermicelli crocante)

Le Grill (chef Franck Cerutti) Bem mais informal que o Louis 15, agora tem teto retrátil e uma vista acachapante do Mediterrâneo. Famoso pelos grelhados e assados (como o frango de leite com ervas e alcachofras violetas), mas também pelos suflês servidos como sobremesa

O jornalista viajou a Mônaco a convite da Societé des Bains de Mer

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.