Descrição de chapéu Destinos

Viagens de trem pelo Brasil iluminam o passado e as tradições de cada parada

Gente apaixonada por esse meio de transporte mantém roteiros pelo interior do país

Marcelo Toledo
Morretes (PR)

Para quem quer fazer um passeio sobre trilhos, o país tem atualmente 21 trens turísticos e culturais em operação, que transportam, em média, 3 milhões de passageiros por ano, segundo dados da Abottc (Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais).

A bordo deles, o turista pode adentrar na natureza ou fazer uma imersão na cultura de outros estados.
Os roteiros mais populares estão concentrados nas regiões Sul e Sudeste.

Um deles percorre a Serra Gaúcha, região produtora de uva e vinho. São ao todo 23 quilômetros, entre Bento Gonçalves e Carlos Barbosa, passando por Garibaldi.

Nos vagões, músicas tradicionais italianas e gaúchas, acompanhadas por apresentações de dança, mantêm os passageiros entretidos durante os 90 minutos da viagem. Vinhos, espumantes e sucos produzidos na região também fazem parte do pacote.

Outra opção é embarcar no Trem das Termas, que vai de Piratuba (SC) a Marcelino Ramos (RS). É o único roteiro que passa por dois estados.

O destaque é a travessia do rio Uruguai, numa ponte de 495 metros de extensão. O trajeto também é embalado por músicas regionais e degustações de produtos típicos.

Na cidade de Apiúna (SC) fica um dos passeios mais curtos: são apenas seis quilômetros. O diferencial em relação aos outros é que a ferrovia foi totalmente refeita. No passado, o trecho fez parte da Estrada de Ferro Santa Catarina.

Um pouco mais para cima, no Paraná, o popular Trem da Serra do Mar vai de Curitiba a Morretes, numa ferrovia que tem mais de 130 anos.

A principal atração do passeio de 70 quilômetros são as paisagens naturais. A linha fica na maior área contínua de mata atlântica preservada no país. Em 2018, 190 mil passageiros fizeram o trajeto, segundo Adonai Aires Arruda Filho, diretor da companhia Serra Verde, que opera o trecho, e presidente da Abottc.

“O nosso maior atrativo está exatamente do lado de fora do trem”, diz Adonai.

Na primeira metade, os visitantes passam por um bosque de araucárias, pela cachoeira Véu de Noiva e pelo cânion do Ipiranga. Depois da barragem do Marumbi começa a parte mais bonita do passeio.

A composição segue para a ponte metálica São João, com 115 metros de extensão, construída no fim do século 19, e passa pelo viaduto do Carvalho.

Seguindo Brasil acima, o Rio de Janeiro abriga outro hit entre os fãs de trens. O passeio que percorre o Corcovado rumo ao Cristo Redentor foi inaugurado em 1884 por dom Pedro 2º. É o mais procurado, de longe, com mais de 600 mil passageiros por ano.

Se o Rio tem o passeio mais popular, Minas Gerais abriga o maior número de rotas, operadas por unidades regionais da ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) e pela iniciativa privada.
Os turistas têm ao menos quatro opções no estado.

Na cidade de Passa Quatro, o Trem da Serra da Mantiqueira percorre dez quilômetros entre a estação central da cidade e a de Coronel Fulgêncio. A locomotiva faz uma parada na estação de Manacá, onde funciona uma feirinha com artesanato e doces típicos.

No Trem das Águas, que vai de São Lourenço a Soledade de Minas, há uma degustação de produtos locais, como queijos, doces e cachaças.

Há 15 anos quatro carros de passageiros faziam esse trajeto. Hoje, o número chega a nove, segundo Edelmo Dias de Freitas, diretor da ABPF Sul de Minas.

Duas locomotivas fabricadas na década de 1920 fazem o percurso entre São Lourenço e Soledade de Minas, transportando, em média, de 35 mil a 45 mil passageiros por ano. A estação de Soledade, revitalizada, é de 1884.

Já o trem entre Ouro Preto e Mariana, roteiro que remonta ao período imperial, voltou a funcionar em junho, após três meses parado para manutenção. A operação é da Vale.

A ferrovia começou a ser construída em 1883, em Ouro Preto, e só foi terminada em 1914, devido às dificuldades geográficas. 

Na viagem de uma hora, a paisagem é dominada por montanhas, túneis e quedas d’água.

Ainda no Sudeste, em São Paulo, uma maria-fumaça percorre os 24 quilômetros de trilhos entre as cidade de Campinas e Jaguariúna, no interior, com passagem por cinco estações (quatro restauradas). Antes da partida, os turistas recebem uma “aula” sobre o funcionamento de uma locomotiva a vapor.


9 passeios nas regiões Sul e Sudeste

Bento Gonçalves a Carlos Barbosa (RS) 
Partidas (de Bento Gonçalves)  9h e 14h, diariamente
Duração  uma hora e 30 minutos
Trecho percorrido  23 km
Preço  R$ 162
Atrações  apresentações de músicas típicas italianas e gaúchas. Os passageiros são recebidos nas estações com espumante, vinho e suco de uva produzidos na região
Informações  (54) 3455-2788
 
Piratuba (SC) a Marcelino Ramos (RS) 
Partidas sáb., às 13h30
Duração  três horas (ida e volta), com intervalo de uma hora e 30 minutos
Trecho percorrido  50 km (ida e volta)
Preço  R$ 75
Atrações músicos a bordo e guias que contam a história local
Informações abpfsc.com.br/web/piratuba
 
Apiúna (SC) 
Partidas  15/9, 13/10, 10/11 e 15/12, das 10h às 15h (de hora em hora)
Duração  45 minutos
Trecho percorrido  6 km (ida e volta)
Preço  R$ 35
Atrações passeio em trecho refeito da extinta Estrada de Ferro Santa Catarina, que funcionou até 1971
Informações abpfsc.com.br/web/apiuna

Curitiba a Morretes (PR) 
Partidas (de Curitiba) em setembro, sex., sáb. e dom., a partir das 8h30
Duração  quatro horas e 15 minutos
Trecho percorrido  70 km
Preços a partir de R$ 169
Atrações  trecho de mata atlântica e cachoeiras
Informações  serraverdeexpress.com.br

Campinas a Jaguariúna (SP) 
Partidas (de Campinas)  sáb., às 10h10 (ida e volta) e 15h (ida); dom., às 10h10 e 14h30 (ida e volta) e 16h30 (só ida). De Jaguariúna: sáb., às 15h (ida); dom., às 10h e 14h30 (ida), 12h30 (ida e volta)
Duração  três horas e 30 minutos (ida e volta) e uma hora e 30 minutos (ida)
Preços  R$ 150 (ida e volta) e R$ 120 (ida)
Atrações  cinco estações no trecho (quatro delas restauradas) 
Informações  mariafumacacampinas.com.br
 
Trem do Corcovado (RJ) 
Partidas  todos os dias, das 8h às 19h, com saídas a cada 30 minutos
Duração  20 minutos
Trecho percorrido  3,8 km
Preços  R$ 79 (alta temporada) e R$ 65 (baixa)
Atrações  área de mata atlântica que pertence ao Parque Nacional da Tijuca
Informações  tremdocorcovado.rio

Ouro Preto a Mariana (MG) 
Partidas (de Ouro Preto) em agosto, qui., sex. e sáb., às 9h e às 14h; dom. às 14h30. De Mariana: qui., sex. e sáb., às 11h30 e às 16h30; dom., às 12h
Duração  uma hora
Trecho percorrido  18 km
Preços  R$ 70 (ida e volta) e R$ 50 (ida)
Atrações  montanhas, quedas d’água, pontes e túneis
Informações vale.com/brasil/PT/business/logistics/railways/trem-turistico-ouro-preto-mariana
 
Passa Quatro (MG) 
Partidas  sáb., às 10h e às 14h30; dom., às 10h
Duração  duas horas
Trecho percorrido  20 km
Preços  R$ 65
Atrações  feira de artesanato na estação de Manacá
Informações  tremdaserradamantiqueira.com.br

São Lourenço a Soledade de Minas (MG) 
Partidas  sáb., às 10h e às 14h30; dom., às 10h
Duração  duas horas
Trecho percorrido  20 km
Preços  R$ 70 (classe turística) e R$ 90 (especial)
Atrações degustação de produtos locais
Informações tremdasaguas.tur.br

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.