Descrição de chapéu Destinos

Calçadão é a coisa mais linda de Havana, diz escritor Leonardo Padura

Para o cubano, que ainda vive no bairro de Mantilla, onde nasceu, 'malecón' é o maior símbolo de sua cidade

‘El Malecón’, paredão que se estende por 8 quilômetros da orla desde Havana Velha até o  bairro de Vedado, na capital cubana 

‘El Malecón’, paredão que se estende por 8 quilômetros da orla desde Havana Velha até o bairro de Vedado, na capital cubana  Prisma by Dukas/Getty Images

Buenos Aires

O escritor Leonardo Padura, 64, gosta de dizer que não é de Cuba ou de Havana, mas sim de Mantilla. 

Neste bairro da capital cubana, cujo casario original remonta a 1822, o autor de “O Homem que Amava os Cachorros” (ed. Boitempo) vive na mesma casa que seu pai construiu, há mais de 60 anos. 

“Em Mantilla nasceram meu bisavô, meu avô, meu pai e eu. Como vou sair daqui?”, diz, em entrevista à Folha. Apesar de fazê-lo, claro, para lançamentos, festivais e viagens relacionadas à sua carreira de escritor ou por turismo, Padura sempre volta a Mantilla.

Foi nas ruas não asfaltadas do bairro da infância que aprendeu sua grande paixão, o beisebol, e começou a se interessar em investigar e contar as histórias que ocorriam ali. Daí veio o interesse pelo jornalismo, que seria sua primeira profissão, antes de se encontrar com a literatura.

Obviamente, suas lembranças de Havana não se limitam ao bairro em que cresceu.

“Tenho frescas na memória as imagens do começo dos anos 1960. Naquela época, ainda não tinha tido início toda a transformação que a cidade veria depois da Revolução de 1959”.

A foto que carrega na memória, por isso, é a de “uma Havana urbana, chique, orgulhosa, cheia de um comércio vívido e colorido”. 

E acrescenta: “Por outro lado, existia também a Havana da periferia, onde viviam os trabalhadores mais pobres. Mas não havia uma pobreza muito extrema.”

Uma das coisas de seu período de criança que desapareceram depois da Revolução e ficaram em sua cabeça eram os enfeites de Natal na cidade. “Saíamos para ver as vitrines e suas luzes, era um momento muito especial”, lembra.

Já um pouco mais velho, Padura gostava de frequentar as noites de Havana. “Que eram muito glamourosas, ainda nos anos 1970”, conta.

A partir de então, segundo ele, tudo começou a se deteriorar. O comércio começou a sofrer com o desabastecimento, a noite perdeu seu encanto.

“Nos anos 1940 e 1950, Havana era um destino turístico muito buscado pelos norte-americanos. Depois dos anos 1960, por conta da Revolução, eles desaparecem, pois começaram os efeitos do embargo, e a cidade sentiu isso muito, na atividade comercial, no ânimo”, diz o escritor.

O ponto mais grave da crise foram os anos 1990, depois da Queda do Muro e, posteriormente, com a dissolução da União Soviética, importante aliada de Cuba. “Vieram os apagões, a insegurança, o mercado negro se intensificou, enquanto muitos deixaram a ilha”.

Entre os lugares que Padura mais gosta em Havana, além de seu bairro-natal, está o bairro histórico de La Víbora e seus parques públicos.

“Mas eu acho que o que há de mais lindo e mais simbólico em Havana é o ‘malecón’. O ‘malecón’ é uma fronteira, ao mesmo tempo em que o país começa aí, também termina. E é um banco de parque, talvez um dos mais lindos do mundo, onde os habitantes de Havana podem parar e ficar de 5 minutos a quantas horas quiser, olhando para o oceano.”

Padura diz: “Todos os cubanos têm uma intensa relação com o mar, portanto, sentar-se no ‘malecón’ para observá-lo é uma coisa importante para cada cidadão, lhe dá sensação de pertencimento. Somos uma ilha, afinal. Somos do mar.”

O autor teve seus livros sobre o detetive Mario Conde transformados em minissérie (“Cuatro Estaciones en La Habana”, está no Netflix).

Com uma fotografia maravilhosa, a série recorre a uma cidade do submundo, mais alternativa, e Padura conta que escolheu as locações junto ao diretor, pois tinham de identificar-se com o universo dos livros.

Vemos a deterioração romântica dos bairros antigos, a convivência dos cidadãos com a cidade, e também todo um lado clandestino, de traficantes e bandidos, retratados de modo muito vívido.

Sinta-se lá

Adaptação da tetralogia do escritor Leonardo Padura, a série “Quatro Estações em Havana” (2016) acompanha o detetive Mario Conde enquanto ele tenta solucionar uma série de crimes em Havana, incluindo o assassinato de uma professora e o desaparecimento de um empresário. O protagonista é vivido pelo ator cubano Jorge Perugorría (“Morango e Chocolate”). Os quatro capítulos, com cerca de uma hora e 30 minutos cada um, estão disponíveis na Netflix

Obras de três escritores cubanos

Passado Perfeito (1991)
A primeira obra da série Estações Havana, de Leonardo Padura, se passa no inverno e apresenta o personagem mais famoso do escritor: o investigador Mario Conde. Na trama, ele deve desvendar o desaparecimento de Rafael Morín, executivo do Ministério da Indústria cubano, seu ex-colega na escola de tenentes casado com Tamara, antigo amor de Conde Ed. Boitempo, 216 págs., R$ 49

Ventos de Quaresma (1994)
A trama ocorre durante a primavera, época de Quaresma no hemisfério Norte. O segundo livro da série acompanha Conde na investigação da morte de uma professora de química do colégio em que ele mesmo estudou. Ao mesmo tempo, conhece Karina, com quem acaba se relacionando Ed. Boitempo, 208 págs., R$ 49

Máscaras (1997)
No terceira obra, o investigador, afastado do cargo por indisciplina, volta à ativa quando uma travesti é encontrada morta num bosque de Havana no dia 6 de agosto, quando a Igreja celebra a Festa da Transfiguração do Senhor. A vítima é filha de um diplomata homossexual 
Ed. Boitempo, 208 págs., R$ 49

Paisagem de Outono (1998)
No quarto e último livro da série, Conde deve desvendar o assassinato de um influente ex-funcionário do governo cubano que havia desertado para Miami, nos Estados Unidos. O corpo do homem é encontrado por pescadores numa noite de outono
Ed. Boitempo, 216 págs., R$ 49

O Homem que Amava os Cachorros (2009)
Livro mais famoso de Padura, o thriller mescla ficção e realidade para traçar as jornadas do revolucionário russo Leon Trótski e de seu assassino, o catalão Ramón Mercader
Ed. Boitempo, 600 págs., R$ 69

Três Tristes Tigres (1967)
Em sua obra-prima, Guillermo Cabrera Infante faz uma ode à movimentada noite cubana pré-revolucionária. Para isso, o autor conta um emaranhado de histórias cujos personagens são escritores, intelectuais, cantoras e prostitutas da ilha
Ed. José Olympio, 518 págs., R$ 67

Fabián e o Caos (2015)
Nesta trama, o escritor Pedro Juan Gutiérrez revisita sua juventude e conta a história de sua amizade com Fabián, um tímido pianista que sofreu com a repressão do aparato cubano pós-revolução de 1959 por ser homossexual
Ed. Alfaguara, 195 págs., R$ 42,32 

Pacotes

US$ 379 (R$ 1.549)
4 noites em Havana, na Top Brasil
Hospedagem em quarto duplo, com café da manhã, no Comodoro Hotel. Inclui passeio pela cidade, com almoço, traslados e seguro-viagem. Sem passagem aérea

US$ 619 (R$ 2.604)
6 noites em Havana e Varadero, na Sem Fronteiras
Três noites no Comodoro Hotel, em Havana. Hospedagem em quarto duplo, com café da manhã. Em Varadero, três noites no Iberostar Laguna Azul, em quarto duplo, no sistema all-inclusive. Preço por pessoa, que inclui traslados e seguro-viagem. Sem passagem aérea

US$ 754 (R$ 3.172)
6 noites em Havana e Cayo Coco, na New Age
Três noites em Havana, com hospedagem em quarto duplo e café da manhã no Comodoro Hotel. Em Cayo Coco, três noites em quarto duplo, no sistema all-inclusive, no Sol Cayo Coco Hotel. Preço por pessoa, com traslados e seguro-viagem. Sem aéreo

US$ 769 (R$ 3.235)
6 noites em Havana e Varadero, na Top Brasil
Três noites em Havana. Com city tour, almoço e hospedagem em quarto duplo, com café da manhã, no Comodoro Hotel. Três noites em Varadero, com passeio de barco até a praia de Cayo Blanco com open bar a bordo. Hospedagem em quarto duplo, no sistema all-inclusive, no Iberostar Laguna Azul. Preço por pessoa, com traslados e seguro-viagem. Sem aéreo

R$ 3.588
7 noites em Havana, na Decolar 
Hospedagem em quarto duplo, com café da manhã, no hotel Tritón Neptuno. Preço por pessoa, com passagem aérea a partir de São Paulo

R$ 3.719
7 noites em Varadero, na Decolar
Hospedagem em quarto duplo, no sistema all-inclusive, no hotel Mar del Sur. Preço por pessoa, com passagem aérea a partir de São Paulo

R$ 4.130 
7 noites em Havana, na CVC 
Hospedagem em quarto duplo, no Hotel Caribbean, com café da manhã. Não inclui passeios. Com passagem aérea a partir de São Paulo

R$ 5.720
6 noites em Varadero, na Maringá Lazer 
Hospedagem em quarto duplo, no sistema all-inclusive, no Iberostar Bella Costa. Seguro-viagem e traslados entre Havana e Varadero inclusos. Preço por pessoa, com aéreo a partir de São Paulo

US$ 1.664 (R$ 7.001 )
6 noites em Havana e Varadero, na New Age 
Três noites em Havana, com hospedagem em quarto duplo e café da manhã. City tour com almoço. Três noites em Varadero, com hospedagem em quarto duplo, no sistema all-inclusive. Inclui passeio por Trinidad, Santa Clara e Cienfuegos. Com aéreo

R$ 7.346 
8 noites em Havana, na Maringá Lazer 
Hospedagem em quarto duplo, com café da manhã. Inclui seguro-viagem e aéreo

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.