Em Portugal, quintas de vinho verde abrem as portas para turistas

Propriedades no norte do país querem atrair visitante com passeios por jardins e provas da bebida

Fileiras de vinhas verdes, com construções antigas ao fundo

Vinhas na região dos vinhos verdes, em Portugal Divulgação/CVRVV

Entre Douro e Minho (Portugal)

​Se as regiões do Douro e do Alentejo oferecem passeios mais conhecidos para quem busca o enoturismo, as montanhas a leste e ao norte da cidade do Porto, em Portugal, abrigam a região dos Vinhos Verdes, menos conhecida.

O nome do vinho vem da cor das encostas, apinhadas de vilas e pequenas propriedades. Às vezes por autoestradas modernas, outras vezes por vias estreitas e cheias de curvas, chega-se a quintas com casarões históricos, onde os funcionários explicam aos visitantes as particularidades da bebida. 

Nas provas de vinho que o turista pode fazer nas quintas, ele ouvirá histórias das vinhas e das famílias que as cultivam, já que muitas das propriedades são pequenas e estão no mesmo clã há séculos. 

Também ouvirá explicações sobre o solo da região (em sua maioria granítico) e as uvas nele plantadas: alvarinho, avesso, azal, arinto, loureiro e trajadura, para os vinhos brancos, que são carros-chefes da denominação.

vinho verde, tão adequado ao clima quente do Brasil, costuma ser conhecido pelo frescor e pela acidez. 

Produtores locais tentam mostrar, agora, que a denominação, ainda tida por alguns como menos séria, pode significar também vinhos brancos equilibrados e minerais, rosés de aromas surpreendentes e até tintos inesperados.

A 30 minutos de carro do Porto, perto da cidade de Paredes, o visitante encontra a Quinta da Aveleda, berço daquele que é o vinho verde mais conhecido no Brasil e talvez no mundo: o Casal Garcia. 

O local, que produz 11 milhões de garrafas ao ano, tem dez hectares de jardins, que podem ser visitados, cercados de vinhas. Há ainda um casarão histórico e a adega velha, onde envelhecem as aguardentes, que também fazem parte do passeio.

É possível fazer provas de vinhos de várias faixas de preço ou mesmo fazer refeições no local, mediante reserva, em um salão avarandado.

A cerca de uma hora de carro a leste dali, à margem do rio Douro, fica a Quinta da Covela, que tem ruínas cobertas de heras, além de um casarão e uma adega desenhados pelo antigo proprietário do local, o cineasta português Manoel de Oliveira. 

É possível fazer um passeio pela quinta e pelas vinhas, que somam 18 hectares, além de uma degustação da bebida na sala de provas ou mesmo no pequeno jardim coberto de trepadeiras, nos dias quentes.

A poucos minutos da Covela fica a Fundação Eça de Queiroz, onde, no Restaurante de Tormes, construção de pedra coberta de heras com uma linda vista do vale, o visitante pode experimentar pratos descritos pelo escritor em seus livros, com destaque para o arroz de favas servido ao Jacinto de "A Cidade e as Serras". Completam a refeição deliciosas alheiras, bolinhos de bacalhau e bifinhos de vinha d'alhos. O menu custa a partir de € 30 (R$ 136).

Já mais ao norte, perto da vila de Lousada, o turista encontrará uma propriedade de característica bem diferente: a Quinta da Lourosa, comandada por Joana de Castro, que participa das vindimas no local desde criança. 

Com 27 hectares de vinhas, o lugar produz cerca de 100 mil garrafas de vinho verde e de espumantes por ano.

Além das vinhas e da adega, que podem ser visitadas, a propriedade recebe hóspedes em sete quartos, todos diferentes entre si. O espaço conta ainda com uma capela de 1675 e uma piscina.

Vale a pena dar um pulo na vila de Lousada, onde o restaurante Visconde serve, além dos vinhos de Joana, um típico e rústico cozido de carnes e, de sobremesa, o gostoso leite-creme queimado, espécie de crème brulée local (pratos a partir de € 25 ou R$ 113,50).

Mais meia hora de estrada leva à cidade de Amarante, no vale do rio Tâmega, uma das muitas vilas da região com construções em estilo românico, dos séculos 11 a 13 —neste caso, o Mosteiro de Travanca, do século 13. 

Lá fica o luxuoso Hotel Casa da Calçada, em um palácio do século 16 (€ 128, ou R$ 582, por diária de quarto duplo). 

O hotel pertence ao mesmo grupo que faz os vinhos Quinta da Calçada e integra o roteiro de hospedagens de luxo Relais & Châteaux. No local fica também o restaurante Largo do Paço, de comida portuguesa moderna e que tem uma estrela do Guia Michelin.

Uma hora ao noroeste, perto de Braga, fica a Quinta D'Amares, com 50 hectares de vinhas onde são produzidos os rótulos de mesmo nome, atravessadas por um aqueduto do século 17.

Há no local também o Mosteiro de Santo André de Rendufe, do século 11. Em setembro, época das vindimas, a quinta promove eventos em que os visitantes podem ajudar na colheita das uvas ao som de música típica.

Outra opção de hospedagem perto de Amarante é o hotel Monverde Wine Experience (€ 96,80, ou R$ 440, por diária de quarto duplo). 

Com arquitetura moderna e quartos amplos espalhados em meio às vinhas da Quinta da Lixa, o local oferece atividades de enoturismo, degustações e jantares e um spa com produtos à base de uva e vinho.

Já no extremo norte de Portugal, perto da cidade de Alvaredo, fica a Quinta de Soalheiro, de onde se avista a Espanha. Os funcionários do local, pacientes e engraçados, fazem as visitas às vinhas e as provas de vinhos acessíveis até aos que pouco ou nada sabem sobre a bebida.

Tendo como carro-chefe os rótulos monovarietais da uva alvarinho, o Soalheiro oferece também bebidas naturais, em alguns casos sem filtração e sem sulfitos, que podem agradar aos paladares aventureiros.

A jornalista viajou a convite da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes

O que visitar

Quinta da Aveleda
Provas de vinho a partir de € 11 (R$ 50); refeições a partir de € 40 (R$ 181); participação na vindima (setembro) a partir de € 32 (R$ 145). Informações e reservas: aveleda.pt e enoturismo@aveleda.pt

Quinta de Covela
Visita e provas de vinho a partir de € 15 (R$ 68). Informações e reservas: visit@covela.pt

Quinta de Lourosa
Visita e provas de vinho a partir de € 10 (R$ 45). Hospedagem a partir de € 69 (R$ 313) por noite. Informações e reservas: info@quintadelourosa.com 

Quinta D'Amares
Visita e provas de vinhos a partir de € 12,50 (R$ 56). Informações e reservas: visitas@quintadamares.pt

Quinta de Soalheiro
Prova de vinho a partir de € 6 (R$ 27); refeições (com visita e vinho) a partir de € 61,50 (R$ 279)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.