Saiba quais países têm voos que partem do Brasil e quem pode ir para esses lugares

Hoje, país tem conexão aérea com 18 nações, mas a maior parte delas restringe a entrada de visitantes

São Paulo

Entre os dias 25 e 31 de maio, estão programados apenas 52 voos internacionais partindo do Brasil, para 18 países, segundo dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Mas a existência do voo não garante a entrada dos brasileiros nessas nações.

Veja abaixo os países que têm voos a partir do Brasil e suas condições de entrada no momento.

Estados Unidos
A partir de quarta (27), pessoas que tenham passado pelo Brasil nos últimos 14 dias não podem entrar nos Estados Unidos. Há exceções, como para cidadãos americanos, seus cônjuges e filhos, e residentes dos Estados Unidos

Holanda
O país só permite a entrada de cidadãos europeus. Apenas brasileiros com residência em país europeu, com visto de longa duração para a Holanda ou que tenham emergências familiares podem entrar. Pessoas vindas de países com alto risco para o coronavírus, como o Brasil, devem cumprir 14 dias de quarentena

Alemanha
Somente cidadãos e residentes da Alemanha, e seus familiares, podem entrar no país. Quem entrar, deve cumprir quarentena residencial de 14 dias. A Alemanha pretende abrir suas fronteiras em 15 de junho

França
Só permite a entrada de pessoas vindas de países da área de Schengen (grupo de nações europeias), para viagens essenciais, e de residentes na França, pelo menos até 15 de junho

Portugal
De acordo com a Embaixada de Portugal em Brasília, a entrada no país só é permitida para quem tem visto ou autorização de residência. Não é permitido ingressar como turista. “Não há previsão da abertura das fronteiras”, afirmou a embaixada em nota

Inglaterra
No momento, não há restrições para a entrada de brasileiros no país, mas o Reino Unido deve impor uma quarentena de 14 dias para qualquer pessoa que entrar no país, a partir de 8 de junho

Espanha
O país só permite a entrada de cidadãos espanhóis, residentes e quem tiver emergências familiares na Espanha. Ao entrar, os moradores e visitantes devem cumprir quarentena de 14 dias. Viajantes internacionais poderão ser aceitos a partir de julho

Uruguai
O país suspendeu todos os seus voos internacionais, exceto os de repatriação. Nas cidades que fazem fronteira com o Brasil, é permitida a entrada de brasileiros

Paraguai
O país suspendeu todos os seus voos internacionais, exceto os de repatriação. A fronteira com o Brasil está fechada

Chile
Só permite a entrada de cidadãos chilenos e de residentes no país. Quem entrar precisa fazer uma quarentena de 14 dias

Equador
Os voos regulares estão suspensos no momento, mas, a partir de 1º de junho, o país vai permitir a volta de 30% dos voos. Passageiros terão que apresentar um teste para o coronavírus com resultado negativo, feito em até 72 horas antes do embarque

Colômbia
Os voos regulares para o país estão suspensos até 31 de agosto, e suas fronteiras fechadas

Suriname
Os aeroportos do país estão fechados para voos regulares. As fronteiras também estão fechadas

Catar
Não é permitida a entrada de visitantes no país, mas apenas de cidadãos do Catar e de residentes

Arábia Saudita
O país suspendeu todos os seus voos internacionais, exceto os de repatriação

Angola
O país permite a entrada de brasileiros, mas não aceita quem tiver passado pela China, França, Itália, Espanha, Coreia do Sul e por Portugal e o Irã

Marrocos
Os voos para o país estão suspensos, exceto aqueles com autorização do Ministério de Relações Exteriores do Marrocos, e as fronteiras fechadas

Cabo Verde
O país suspendeu todos os seus voos internacionais, exceto os de repatriação

Erramos: o texto foi alterado

Diferentemente do que constava em versão anterior do texto, a Suíça faz parte do Espaço Schengen. A informação foi corrigida. 

Diferentemente do informado no texto, a entrada em Portugal está restrita a portadores de visto ou autorização de residência no país, não sendo permitido o ingresso como turista. A reportagem foi corrigida.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.