Veja quais países aceitam a entrada de brasileiros e o que eles exigem

Estrangeiros podem ser obrigados a fazer quarentena ou apresentar testes negativos de Covid-19

São Paulo

Embora a recomendação oficial seja a de não viajar, há países que aceitam a entrada de viajantes estrangeiros —mas isso não significa que é fácil ou possível chegar até eles.

A quantidade de voos internacionais no Brasil ainda está reduzida. De acordo com a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a oferta de assentos caiu 70% em novembro de 2020 em relação ao mesmo mês de 2019, enquanto a demanda por passagens aéreas internacionais teve recuo de 85,3%.

Apesar das restrições, há opções de rotas diretas para lugares que permitem a entrada de brasileiros, mas é importante estar atento às regras de cada nação, que mudam constantemente.

Na América do Sul, a Colômbia voltou a exigir no dia 4 de janeiro a apresentação de teste RT-PCR negativo para Covid-19, após meses sem pedir a comprovação. Nova mudança ocorreu no dia 27, quando o governo do país anunciou a suspensão dos voos vindos do Brasil, diretos ou com conexões, por pelo menos 30 dias, contando a partir da sexta (29).

O Chile iniciou reabertura gradual do turismo para brasileiros em novembro. Inicialmente, não era preciso fazer quarentena, apenas apresentar exame RT-PCR negativo para coronavírus, feito no máximo 72 horas antes do embarque, declaração juramentada de que não tem a doença e seguro-saúde.

Porém, desde 31 de dezembro, o governo chileno passou a exigir uma quarentena de 10 dias para todos que entrarem no país —para sair dela, é preciso apresentar um teste RT-PCR com resultado negativo feito a partir do sétimo dia após a chegada no país.

Já a Argentina, com fronteiras abertas a países vizinhos desde outubro, regrediu no Natal (25) e voltou a vetar a entrada no país até ao menos o final de fevereiro.

O Peru, que permitia a entrada com teste, exige desde 4 de janeiro uma quarentena de 14 dias para os visitantes, o que pode inviabilizar o turismo de lazer.

A entrada nos Estados Unidos de pessoas que tenham passado pelo Brasil nos últimos 14 dias segue proibida para viajantes comuns. Em 18 de janeiro, o governo Trump suspendeu a restrição, e a entrada seria permitida a partir do dia 26. Porém, o novo presidente do país, Joe Biden, reestabeleceu a regra.

São exceções na restrição de entrada nos Estados Unidos apenas cidadãos americanos, pessoas portadoras de vistos diplomáticos, residentes permanentes (que tenham green card), filhos ou cônjuges de americanos ou quem viaja por razões humanitárias, de saúde pública e de segurança nacional, por exemplo.

O Brasil tem voos diretos com países da Europa, mas a maior parte deles ainda rejeita a entrada de visitantes não europeus. Porém, ao contrário dos Estados Unidos, as conexões são permitidas em alguns locais —caso de terminais em Paris, Zurique, Frankfurt e Amsterdã.

Brasileiros eram aceitos no Reino Unido se fizessem uma quarentena de 14 dias ao chegar no país, sem testes obrigatórios. Em 14 de janeiro, porém, o governo britânico decidiu banir viajantes brasileiros e de mais 12 nações da América do Sul, além do Panamá e Cabo Verde. A medida começou a valer no dia 15. O motivo é uma nova variante do vírus Sars-Cov-2 detectada em terras brasileiras.

O Panamá, ponto de conexão para o México e países da América Central, ​também exige teste de coronavírus.

Outro ponto importante para considerar antes de programar uma viagem internacional durante a pandemia é que, desde 30 de dezembro, o Brasil exige e apresentação de teste negativo para Covid-19, do tipo RT-PCR, feito até 72 horas antes do embarque, para brasileiros e estrangeiros que queiram ingressar no país. Isso significa que, antes de voltar para casa, o viajante terá que fazer o exame.

*

Para quais países turistas que estavam no Brasil podem viajar

​Permite entrada sem teste ou quarentena

Afeganistão
Albânia
Costa Rica
Haiti
Macedônia
México
República Dominicana
Sérvia
Tanzânia

Permite entrada com teste

África do Sul
Angola
Antigua & Barbuda
Armênia
Aruba
Bahamas
Barbados
Belize
Bermudas
Bolívia
​Brasil
Bósnia e Herzegovina
Botsuana
Burkina Faso
Burundi
Cabo Verde
Camboja
Chile
Croácia
Dominica
Egito
El Salvador
Emirados Árabes Unidos
Equador
Eslováquia
Etiópia
Gâmbia
Gana
Granada
Guatemala
Guiana
Guiné
Guiné Equatorial
Honduras
Irã
Iraque
Jamaica
Jordânia
Kosovo (há recomendação para que turista tenha teste negativo de Covid-19)
Líbano
Libéria
Malaui
Maldivas
Mali
Mauritânia
Nicarágua
Níger
Nigéria
Panamá
Paquistão
Paraguai
Quênia
Quirguistão
República Centro-Africana
República Democrática do Congo
Ruanda
Samoa
Santa Lúcia
São Bartolomeu
São Cristóvão e Névis
São Tomé e Príncipe
São Vicente e Granadinas
Senegal
Serra Leoa
Somália
Suazilândia
Sudão
Sudão do Sul
Togo
Tunísia
​Ucrânia
Uganda
Uzbequistão
Zâmbia
Zimbábue

Permite entrada apenas com quarentena
Chade
Cuba
Eslovênia
Irlanda
Lituânia
Namíbia
Palau
Peru
Tailândia

Não permite a entrada
Alemanha
Arábia Saudita
Argélia
Argentina
Austrália
Áustria
Azerbaijão
Bélgica
Butão
Canadá
China
Chipre
​Colômbia
Coreia do Norte
Curação
Dinamarca
Eritreia
Espanha
Estados Unidos
Estônia
Fiji
Filipinas
Finlândia
​França
Geórgia
Grécia
Groelândia
Holanda
Hong Kong
Hungria
Iêmen
Ilhas Cayman
Ilhas Cook
Ilhas Marshall
Ilhas Salomão
Índia
Indonésia
Islândia
Israel
Itália
Japão
Kuait
Laos
Lesoto
Líbia
Luxemburgo
Madagascar
Malásia
Malta
Marrocos
Mianmar
Micronésia
Mongólia
Montenegro
Nepal
Niue
Noruega
Nova Zelândia
Omã
Polônia
Portugal
Qatar
Reino Unido
República Tcheca
Romênia
Rússia
Seychelles
Singapura
Sri Lanka
Suécia
Suíça
Suriname
Taiwan
Tajiquistão
Timor Leste
Tonga
Trinidade e Tobago
Turcomenistão
Turquia
Uruguai
Vanuatu
Venezuela
Vietnã​

Atualizado em 22/1, as informações estão sujeitas a mudanças
Fontes: CovidControls.co e Iata (Associação Internacional do Transporte Aéreo)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.