Descrição de chapéu verão

Ocupação de 90% em hotéis de Alagoas e novo aeroporto empolgam setor de turismo

São Miguel dos Milagres e Maragogi, no litoral norte, encantam pela água transparente e corais

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Josué Seixas
São Miguel dos Milagres (AL)

Chegar à praia foi fácil, e a paisagem, agradável. De Maceió a São Miguel dos Milagres, um dos pontos turísticos de Alagoas, foram percorridos 120 km em duas horas de uma estrada bem pavimentada.


A recepção amistosa de parte dos trabalhadores ao chegar à areia e o devido distanciamento entre as mesas tornou o ambiente ainda mais agradável. Restaurantes de comidas típicas, com arquitetura característica do município, chamavam atenção à beira da estrada, além da oferta de passeios nas piscinas naturais.

Vista geral de São Miguel dos Milagres, em Alagoas - Leo Caldas/Folhapress

Com água cristalina e mar tranquilo, São Miguel dos Milagres é um dos destinos mais queridos em Alagoas, somado a Japaratinga e Maragogi, que ficam um pouco mais ao norte do litoral. Nessa região está localizada a segunda maior barreira de corais do mundo, composta por pequenas cidades e vilas de pescadores, além de piscinas naturais, artesanato e um turismo ecologicamente sustentável.


É também na região da Costa dos Corais, mais precisamente em Porto de Pedras, que fica o rio Tatuamunha. Conhecida como berçário do peixe-boi, o lugar preza pela preservação dos manguezais e pelos peixes-boi que circulam livremente pelo estuário, onde acontece o passeio de turismo de observação.

Há também um crescimento de visitantes na região do Sertão alagoano, em especial na região dos Cânions do São Francisco, como também na região de União dos Palmares, onde fica localizado o Quilombo dos Palmares, o maior quilombo da América Latina, além de destinos históricos, como os municípios Penedo e Marechal Deodoro.

Parque memorial Quilombo dos Palmares, em Alagoas - Beto Macário/UOL

No litoral sul do estado, Marechal Deodoro e Francês são os destinos mais procurados, assim como a Massagueira, por conta dos bares e restaurantes que oferecem frutos do mar e cocadas artesanais vendidas em banquinhas à beira da estrada.

A comunidade Palateia, localizada na Barra de São Miguel, um pouco mais à frente, abriga o maior criatório de ostras de Alagoas e torna-se atrativo pela beleza e pela receptividade da comunidade local.

A retomada do turismo vem sendo boa em Alagoas, que se recupera dos reflexos da pandemia. Segundo a ABIH-AL (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Alagoas), espera-se manter a ocupação de hotéis entre 80% e 85%. No feriado de 15 de novembro, a ocupação no estado chegou a 92%.

O fluxo do aeroporto Zumbi dos Palmares, em agosto, registrou 168 mil visitantes, um crescimento de 292%. A Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) também estima que o maior fluxo de turistas em cidades como Maceió deve promover um aumento de 20% nas contratações na próxima temporada.

Três hotéis foram inaugurados desde o ano passado (Tropicais Verano, Ibis Budget e Village Saint Patrick), com 2.900 leitos no total. Grandes resorts, como Vila Galé, Brisa Maragogi e Ipioca, serão finalizados em 2022, com mais 3mil leitos.


Alagoas também ganhará um novo aeroporto, no município de Maragogi, chamado Costa dos Corais. A obra, financiada com 100% dos recursos do Governo de Alagoas, foi orçada em aproximadamente R$ 120 milhões e está em construção.

O local contará com um terminal de embarque e desembarque de passageiros, uma pista de pouso e decolagem de 2.200 metros, além de um pátio para abrigar duas aeronaves simultaneamente, situados numa área de 340.888 hectares, segundo estudo topográfico.

O turismo foi um dos setores em que houve maior investimento do governo para a retomada. Só na região norte, entre 2018 e 2022, serão cerca de R$ 466 milhões investidos, com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo capitaneando o movimento de tornar Alagoas um dos pontos turísticos mais procurados no país a partir de mídias programáticas e parcerias com operadoras de viagens e companhias de viagem.

Praia de Maragogi, em Alagoas - Lucas Meneses/Divulgação


Em resposta à pandemia, Alagoas mantém a obrigação do uso de máscara, tanto para adultos quanto para crianças, e da disponibilização de álcool em gel nos estabelecimentos. Shows, feiras, congressos e jogos de futebol têm entrada liberada a partir da comprovação de imunização completa ou da apresentação de um teste antígeno ou RT-PCR negativo realizado com até 72 horas de antecedência, junto com documento com foto.

A retomada conta com o selo Safe Travels da WTTC (World Travel & Tourism Council), entidade de turismo internacional que reconhece destinos ao redor do mundo que tenham implementado protocolos sanitários em padrão mundial. Alagoas já conta com oito cidades chanceladas com o selo —Maragogi, Porto de Pedras, Penedo, Japaratinga, Piranhas, Delmiro Gouveia, Marechal Deodoro e Roteiro.

O estado também registra cerca de 1.866 empreendimentos turísticos com o selo do Turismo Responsável do Ministério do Turismo, ocupando o primeiro lugar no Nordeste em emissão de selos. As duas certificações levam em consideração a prática de condutas que tragam segurança para turistas, trabalhadores e moradores das regiões turísticas.


Serviço

CÂNIONS DE SÃO FRANCISCO, EM PIRANHAS

Trajeto de Catamarã pelo rio São Francisco, passando por diversas formações rochosas, com paredões que chegam a até 30 metros de altura.

A partir de Piranhas. Passagem R$ 110. É recomendável marcar o passeio com alguma agência turística de forma antecipada, principalmente por conta da alta temporada.

PISCINAS NATURAIS DA PRAIA DE PATACHO

Passeio de jangada até os corais fixados nos bancos de areia no mar aberto.

Vista geral da praia do Patacho, no litoral do Alagoas, a 100 quilômetros de Maceió - Leo Caldas/Folhapress

Praia de Patacho, em Porto de Pedra. Ingresso R$ 30 por pessoa. É recomendável olhar a tábua de marés antecipadamente para verificar o horário do passeio.

CAMINHO DE MOISÉS, EM MARAGOGI

Caminhada de cerca de 800 metros mar adentro durante a maré baixa por conta de um banco de areia que se forma.

Praia de Barra Grande, a 3 quilômetros do centro de Maragogi. É recomendável olhar a tábua de marés antecipadamente para verificar o horário do passeio.

PASSEIO DE QUADRICICLO NAS FALÉSIAS DO GUNGA

Passeio no meio dos coqueirais da praia do Gunga e, no final, a contemplação da vista das falésias.

Praia do Gunga. Ingresso R$ 150 por quadriciclo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.