Sistema eleitoral brasileiro está mais competitivo, diz cientista político

Pesquisador da FGV George Avelino entende que as novas regras nas eleições de 2018 foram positivas

São Paulo

O cientista político da FGV George Avelino entende que as regras eleitorais implementadas nas eleições de 2018 tornaram o pleito mais competitivo, com menos influência dos recursos financeiros, ao menos para o cargo de deputado federal.

Avelino coordenou pesquisa inédita, em parceria com a Fundação Brava, que analisou despesas e arrecadações nas disputas para a Câmara desde 2002. 

"A competição no sistema político brasileiro é muito restrita e nós vimos uma melhoria nisso. A influência do dinheiro não foi tão decisiva", disse Avelino. "Perderam os candidatos homens, mais bem educados e que tinham acesso aos recursos empresariais."

Avelino foi entrevistado para uma série realizada pelo UM BRASIL (plataforma multimídia apoiada pela FecomercioSP ) e Fundação Brava, em parceria com o Cepesp-FGV (Centro de Política e Economia do Setor Público).

Participou também dessa entrevista o professor Daniel Hidalgo, do MIT (EUA).

Outro entrevistado foi o ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.